Zinco – O que é? Benefícios, Indicação, Contraindicação e Suplementação

Você sabe o que é o zinco e quais os seus benefícios para o organismo? Confira essas e outras informações completas, aqui no Quero Viver Bem!

Os minerais são essenciais para a saúde do corpo humano, sendo por meio da alimentação correta que eles são adquiridos. Para o organismo funcionar apropriadamente, um dos minerais que mais se destacam é o zinco.

O zinco está presente na água, no solo e no ar. Em grande parte dos organismos, os níveis desse elemento se autorregulam – entre 2 a 3 gramas do mineral.

Entenda mais a respeito da função e dos benefícios do zinco, quais são suas indicações e contraindicações, além de saber como usar a suplementação dele, só aqui no Quero Viver Bem!

Benefícios do zinco

Zinco3

A principal função do zinco no corpo humano está relacionada ao sistema imunológico, pois esse mineral atua na síntese das células imunológicas e também na defesa contra microrganismos invasores (fungos, bactérias e vírus).

O zinco tem importante ação antioxidante – o que faz com que haja uma redução na quantidade de radicais livres pelo seu uso. Seus benefícios, portanto, são inúmeros. Confira:

  • Ajuda no processo de cicatrização de feridas;
  • Aumenta a produção de estrogênio no organismo das mulheres;
  • Auxilia na formação e mineralização dos ossos e órgãos reprodutivos;
  • Elimina o tártaro dos dentes;
  • Inibe a produção de um hormônio derivado da testosterona, o que diminui a chance de o homem desenvolver câncer de próstata;
  • Melhora a pele, as unhas e o cabelo;
  • Melhora o paladar e olfato;
  • Previne o surgimento de doenças causadas por bactérias e vírus;
  • Protege as artérias;
  • Reduz a chance de desenvolvimento de vários tipos de câncer;
  • Trata a osteoporose – quando junto de cálcio, manganês e cobre.

Além disso, o zinco está associado à redução do zumbido nos ouvidos, à melhora da azia e ao alívio dos casos de diarreia, pois ajuda na melhor absorção dos nutrientes.

A ingestão diária de zinco é recomendada conforme o sexo. Para mulheres, a indicação é de 12 mg/dia; para os homens são 15 mg/dia; e que para crianças (dependendo da idade) são entre 7-11 mg/dia.

Indicações e contraindicações do zinco

Zinco2

O zinco é considerado uma das 100 enzimas mais importantes para o ser humano, por isso as indicações do mineral são para todos. No entanto, existem grupos de pessoas que precisam de uma ingestão maior de zinco, por questões de saúde (ou até para ajudar em determinadas doenças).

São esses os grupos:

  • Alcoólatras;
  • Bebês e crianças;
  • Gestantes;
  • Idosos;
  • Lactantes;
  • Pessoas celíacas;
  • Pessoas que foram operadas recentemente;
  • Pessoas que sofrem com a doença de Crohn, além da colite ulcerativa ou má absorção intestinal;
  • Pessoas subnutridas e que sofrem com distúrbios alimentares;
  • Veganos;
  • Vegetarianos.

Obviamente, pessoas que estão com o sistema imunológico debilitado devem aproveitar os benefícios do zinco para fortalecê-lo no organismo.

Suplementação de zinco

A falta de zinco pode trazer consequências para todo o corpo – não só há maior fragilidade do sistema imunológico, como também o indivíduo passa a estar mais exposto a doenças infecciosas.

Problemas na pele (psoríase), assim como ferimentos que não cicatrizam, aumento da glicose no sangue, dificuldade em sentir o gosto salgado dos alimentos, aspecto seco e amarelado da pele e péssimo funcionamento do fígado são sintomas da falta desse mineral.

Zinco

Nem sempre a alimentação será capaz de fornecer a quantidade de zinco que falta no seu organismo. Nessas situações, um médico poderá lhe orientar na suplementação do mineral – lembrando que os alimentos sempre serão a melhor alternativa, está bem? Além disso, não é difícil alcançar as recomendações diárias de zinco com alimentação, pois ele está presente em alimentos básicos do dia a dia, como:

  • Camarão;
  • Carnes (de frango, de vaca e de peixe);
  • Castanhas;
  • Cereais;
  • Fígado;
  • Gérmen de trigo;
  • Grãos integrais;
  • Legumes;
  • Leite;
  • Tubérculos.

É claro que o excesso de zinco no corpo também irá fazer mal – nunca se deve consumir mais de 50mg/dia durante a semana, pois poderá provocar uma deficiência de cobre no organismo. Os sintomas do excesso de zinco e, consequentemente, da falta de cobre, são:

  • Diarreia;
  • Enjoo;
  • Letargia;
  • Sonolência;
  • Vômitos frequentes.

Para gestantes, por exemplo, a suplementação de zinco tende a ser uma recomendação bastante importante, pois pode prevenir várias complicações durante o parto, além de auxiliar o bebê a ganhar peso, reduzindo riscos de infecções. A orientação, em geral, costuma ser de 12mg de zinco por dia para as futuras mamães.

O uso do suplemento de zinco deve ser prescrito por um médico, afinal deve-se analisar corretamente a real necessidade de suprir uma carência do mineral. Procure não se automedicar, está bem?!

Gostou? Então, confira, também, 15 Alimentos ricos em zinco e os benefícios!


Referências utilizadas neste conteúdo:

http://www.icz.org.br/zinco-meio-ambiente.php


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário