Transtorno bipolar – Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Você já ouviu falar no transtorno bipolar? Essa é uma doença grave, que atinge tanto homens como mulheres. Confira mais só aqui, no Quero Viver Bem!

Transtorno afetivo bipolar é uma perturbação mental que causa alternância súbita entre momentos de euforia (dividida entre mania e hipomania) e depressão, com crises que podem variar de intensidade, frequência e duração.

Esse distúrbio afeta tanto homens quanto mulheres, sendo mais comum ocorrer entre 15 e 25 anos, podendo também afetar crianças e idosos.

O risco de suicídio entre portadores da doença é considerado elevado, assim como o número de casos de automutilação. Por isso, é importante entender como o problema ocorre e quais as suas causas. Confira essas e outras informações só aqui, no Quero Viver Bem!

Transtorno bipolar

Quais as causas do transtorno bipolar?

As causas efetivas do transtorno bipolar ainda não foram determinadas, mas sabe-se que fatores genéticos, além de alterações em certas áreas do cérebro e nos neurotransmissores, podem ocasionar o problema.

Algumas situações específicas também podem servir de gatilho para a manifestação desse distúrbio, sobretudo em pessoas geneticamente predispostas. Entre elas, destacam-se:

  • Episódios frequentes de depressão ou início precoce dessas crises;
  • Puerpério;
  • Estresse prolongado;
  • Remédios inibidores do apetite, tais como anorexígenos e anfetaminas;
  • Certas disfunções, tais como tireoide, hipertireoidismo e hipotireoidismo.

[LEIA TAMBÉM: O QUE É E QUAIS AS CAUSAS DO TRANSTORNO DE PERSONALIDADE?]

Tipos de transtorno bipolar

O transtorno bipolar costuma apresentar os seguintes tipos:

  • Transtorno bipolar Tipo I: o portador apresenta períodos de mania com duração de, no mínimo, sete dias, e fases de humor deprimido, que podem durar vários meses. Os sintomas são intensos, podendo provocar problemas nas relações familiares, sentimentais e profissionais. Em muitos casos, esse tipo de transtorno exige internação hospitalar;
  • Transtorno bipolar Tipo II: alternância entre estado de depressão e hipomania (estado de euforia mais leve do que o da mania), sem grandes consequências para o portador;
  • Transtorno bipolar misto: nesse caso, os sintomas não são suficientes para classificar o paciente nos dois primeiros tipos;
  • Transtorno ciclotímico: é o quadro mais leve, com alterações leves entre humor e depressão que podem ocorrer no mesmo dia, a ponto de serem confundidas com o temperamento natural da pessoa.

Transtorno bipolar

Sintomas

Durante a depressão, os sintomas costumam ser os seguintes:

  • Humor deprimido;
  • Tristeza e apatia;
  • Desinteresse por atividades das quais costuma gostar;
  • Isolamento social;
  • Alterações de sono e apetite;
  • Redução da libído;
  • Cansaço;
  • Falta de concentração;
  • Sentimento de culpa e frustração;
  • Falta de sentido para a vida;
  • Ideias suicidas.

Durante a fase de mania:

  • Estado de euforia, autoestima e autoconfiança;
  • Pouca necessidade de sono;
  • Agitação psicomotora;
  • Desvio de atenção;
  • Aumento da libído;
  • Impaciência e irritabilidade crescente;
  • Comportamento agressivo;
  • Delírios e alucinações.

Durante a fase de hipomania, os sintomas são parecidos com os da mania, porém mais leves e com menos repercussão na vida do paciente, que se mostra mais eufórico e sociável do que o normal.

Em geral, essas crises costumam durar poucos dias. Todos os sintomas listados podem variar de pessoa para pessoa, dependendo do caso.

[LEIA TAMBÉM: O QUE É E QUAIS AS CAUSAS DA SÍNDROME DO PÂNICO?]

Diagnóstico

Para diagnosticar o transtorno, os médicos recomendam uma série de exames e testes. Depois, o paciente é encaminhado para avaliação psicológica, na qual o médico observará por algum tempo o padrão de comportamento do paciente, bem como suas possíveis alterações de humor. O histórico médico do paciente e de sua família também podem ajudar a confirmar o diagnóstico.

Diagnosticar uma paciente com o transtorno bipolar é um tanto quanto complicado, pois a doença apresenta muitos sintomas que estão presentes em outras, portanto, o médico deve ser muito criterioso na análise dos possíveis casos.

Transtornos de personalidade

Tratamento

Não existe cura para o transtorno bipolar. O tratamento tem como objetivo controlar as crises e os sintomas, de modo a permitir ao paciente uma vida mais próxima da normalidade.

O tratamento inclui uso de medicamentos, psicoterapia e mudanças no estilo de vida, tais como o fim do consumo de certas substâncias, sobretudo as psicoativas (cafeína, anfetaminas, álcool e cocaína, por exemplo), o desenvolvimento de hábitos saudáveis, a alimentação equilibrada, a quantidade adequada de sono e a redução dos níveis de estresse.

O uso de medicamento se dá de acordo com o tipo, a gravidade e a evolução da doença.

Medicamentos neurolépticos, antipsicóticos, anticonvulsivantes, ansiolíticos e estabilizadores de humor, especialmente o carbonato de lítio, têm se mostrado úteis para reverter os quadros agudos de euforia e evitar a recorrência das crises.

[LEIA TAMBÉM: DEPRESSÃO E ANSIEDADE – COMO IDENTIFICAR?

Os antidepressivos, por sua vez, devem ser utilizados com cuidado, porque podem provocar uma mudança rápida da depressão para a euforia, ou acelerar a incidência das crises. Os medicamentos, como ocorre na maioria das doenças crônicas, deverão ser mantidos por toda a vida.

A psicoterapia é uma outra parte vital do tratamento da bipolaridade, uma vez que oferece suporte para que o paciente possa superar as dificuldades impostas pelas características da doença, ajudando a prevenir também a recorrência das crises.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário