Terapia de reposição hormonal – Como funciona? Quem deve fazer?

Está passando por uma fase de descontrole hormonal em seu corpo? Confira, aqui no Quero Viver Bem, como funciona a Terapia de reposição hormonal!

A terapia de reposição hormonal é um tratamento que tem como finalidade a suplementação de hormônios essenciais ao organismo, garantindo o correto funcionamento do corpo.

O caso mais conhecido de aplicação desse tipo terapia é na menopausa, quando a produção de hormônios pelo organismo feminino diminui consideravelmente, gerando diversos sintomas/desconfortos.

Mas, como funciona, exatamente, a terapia de reposição hormonal? A seguir, esclarecemos essa e outras questões envolvendo o tratamento. Não deixe de conferir!

Terapia de reposição hormonal

Como funciona a terapia de reposição hormonal

A terapia funciona como uma reposição de hormônios que estão em falta no organismo do paciente, contribuindo para que haja um equilíbrio e melhor funcionamento do corpo como um todo.

Geralmente, a terapia é feita via oral com hormônios em comprimidos, opção mais tradicionalmente utilizada. Mas, também há a alternativa de reposição transdérmica, que utiliza adesivos ou géis com hormônios, produtos que devem ser aplicados sobre a pele.

A reposição e o uso desses medicamentos hormonais variam de acordo com o perfil do paciente. Para saber qual hormônio tomar e por quanto tempo, sempre consulte um profissional especialista no assunto, como o endocrinologista ou ginecologista.

Para quem a terapia de reposição hormonal é indicada?

Terapia de reposição hormonal

A terapia de reposição hormonal é indicada em casos específicos, como os que aparecem na lista a seguir:

  • Mulheres na menopausa: neste caso, a terapia repõe os hormônios em falta por conta da menopausa, o que provoca um equilíbrio hormonal e uma amenização de sintomas como ondas de calor, cansaço, irritabilidade, queda de cabelo e secura vaginal;
  • Homens na andropausa: trata-se de um caso menos conhecido. A andropausa corresponde à diminuição da produção do hormônio masculino pelos homens, o que ocorre a partir dos 50 anos de idade. A terapia é utilizada para repor a testosterona, contribuindo para a melhora da libido, o aumento da densidade óssea e o controle da irritabilidade e da insônia.

Contraindicação da terapia de reposição hormonal

Terapia de reposição hormonal

A terapia de reposição hormonal é contraindicada em casos pontuais, porque pode gerar o agravamento de uma doença preexistente ou estimular o surgimento de uma enfermidade.

Estes são os casos de contraindicação:

  • Pessoas com doenças cardiovasculares;
  • Mulheres diagnosticadas com câncer do endométrio ou da mama;
  • Quem possui porfiria ou lúpus;
  • Pessoas com trombose venosa profunda ou embolia pulmonar;
  • Aqueles que foram diagnosticados com distúrbios de coagulação do sangue.

Quanto tempo dura a terapia de reposição hormonal

Terapia de reposição hormonal

A duração da terapia de reposição hormonal varia de acordo com o perfil do paciente, porque cada pessoa tem necessidades hormonais específicas a serem supridas.

No entanto, é possível apontar um tempo médio de realização da terapia: geralmente, de dois a cinco anos, no máximo, sempre com o acompanhamento de um médico.

[VEJA TAMBÉM: REPOSIÇÃO HORMONAL FAZ MAL?]

Quais medicamentos são utilizados na reposição hormonal?

São três os tipos de medicamentos utilizados na terapia de reposição hormonal. Conheça quais são eles:

  • Estrogênio: é o caso do estradiol e mestranol, hormônios que podem ser encontrados em anticoncepcionais, por exemplo;
  • Estrogênio e progesterona: trata-se do uso de medicamentos que combinam ambos os hormônios, como o estradiol e didrogesterona;
  • Testosterona: um bom exemplo de fármaco com esse hormônio é o undecanoato de testosterona.

Um detalhe importante: esses medicamentos (não importa se em comprimido, gel ou adesivo) só podem ser utilizados com recomendação médica, ou seja, não se indica fazer a reposição hormonal por conta própria.

O motivo disso é simples: o paciente não tem como saber qual hormônio está em falta em seu organismo e qual dose deve ser administrada para atingir o resultado desejado.

Se utilizar uma quantidade inadequada de hormônio, o paciente pode colocar sua saúde em risco ao invés de melhorar um eventual problema que esteja enfrentando.

Portanto, sempre consulte um profissional sobre a possibilidade de fazer a terapia. O médico indicará exames laboratoriais de medição de hormônios e, se for o caso, recomendará a terapia de reposição.

Terapia de reposição hormonal

Quais são os riscos da reposição hormonal?

A terapia de reposição hormonal é um tratamento eficaz, mas todo paciente que a realiza está sujeito a riscos. Abaixo, listamos os principais (baseadas em pesquisas científicas):

  • A reposição pode aumentar a chance de o paciente sofrer doenças cardiovasculares, como a cardiopatia isquêmica e o AVC (Acidente Vascular Cerebral);
  • O tratamento potencializa o risco de trombose venosa, inclusive de embolia pulmonar;
  • A terapia maximiza a chance de desenvolver câncer de mama e do endométrio.

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário