TDAH: O que é? Como tratar?

O TDAH, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, é um transtorno que, geralmente,desenvolve-se na infância e tende a acompanhar o indivíduo durante toda a sua vida. Veja aqui sintomas, tratamento e muito mais.

O TDAH, Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade, é um transtorno que, geralmente, desenvolve-se na infância e tende a acompanhar o indivíduo durante toda a sua vida.

Esse problema é um transtorno neurobiológico que atinge varias partes do cérebro,causando falta de atenção, desinteresse, inquietude, impulsividade.

Estudos científicos apontam que a área mais atingida por esse transtorno é a região frontal e suas ligações com o resto do cérebro. Pesquisas, por todo o mundo, procuram saber a causa do desenvolvimento de TDAH, apontando que a hereditariedade é uma das causas que podem fazer com que a criança desenvolva esse transtorno.

Outras causas como o que é ingerido durante a gravidez, o sofrimento fetal (algumas pesquisas apontam que mulheres que tiveram algum problema na gravidez terá um aumento de chance do bebê desenvolver o TDAH), os problemas familiares e, até mesmo, a exposição ao chumbo podem provocar maior desenvolver desse transtorno.

Sintomas

TDAH: O que é? Como tratar?

Os sintomas podem ser identificados na infância, geralmente feito nas escolas, onde os profissionais da educação identificam a falta de interesse expressiva da criança, falta de atenção nas atividades desenvolvidas nas escolas, inquietude e impulsividade.

Após o primeiro diagnóstico, é aconselhável que a criança passe por um especialista,para que esse possa passar o tratamento mais adequado para a criança.

TDAH tem cura?

Por não ser considerada uma doença, e sim um transtorno, o Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade não tem cura, apenas tratamento. O procedimento é feito com a ajuda de profissionais, como psicólogos, psicopedagogos, psiquiatras, pedagogos, entre outros.

Hoje, com o avanço tecnológico da medicina, pode-se observar diversas formas de tratamento, para que o transtorno não se agrave, e assim a criança possa levar uma vida tão normal quanto possível.

Tratamento para TDAH

O tratamento para TDAH, hiperatividade ou qualquer outro problema deve ser baseado em uma análise extensa das causas – um Diagnóstico Diferencial. Todo procedimento pode incluir também um plano de ação, com prioridades e objetivos de curto e longo prazo.

No caso do TDAH e comorbidades, é necessário um tratamento integrado e multidimensional, dirigido tanto aos déficits de base orgânica quanto aos comportamentais, emocionais e de aprendizagem. O quanto se investirá em cada área, por quanto tempo e com qual prioridade varia de acordo com cada caso.

A ocorrência do TDAH e a intensidade dos sintomas depende de uma interação complexa de fatores de risco genéticos, com as condições ambientais e circunstanciais – o contexto de vida, a organização familiar, o tipo de escola, o ambiente de trabalho, etc. -, e também da história pessoal de cada um – potencial cognitivo, habilidades comportamentais, facilidades e dificuldades, entre outras.

Há algumas condições ambientais que favorecem a manifestação das formas mais graves do transtorno e outras que funcionam como fatores de proteção, que podem minimizar ou reduzir a gravidade dos sintomas. Tudo isto deve ser levado em conta ao se propor o tratamento.

Em um exemplo, crianças e jovens com TDAH que procuram tratamento por dificuldades escolares apresentam déficits comportamentais intensos na área de habilidades de estudo. Mesmo que as dificuldades orgânicas fossem sanadas, ainda assim essas pessoas necessitam de um tratamento comportamental-psicopedagógico, para aprenderem melhores estratégias e bons hábitos de estudo.

O tratamento do TDAH deve, necessariamente, levar em conta necessidades relacionadas ao substrato orgânico (com treinamentos cognitivos, na linha de ginástica cerebral – Brain Fitness, estimulação cerebral – Brain Entrainment ou com medicação), bem como terapias direcionadas ao funcionamento comportamental (com Terapia Comportamental-Cognitiva ou treinamentos comportamentais, Coaching Comportamental e/ou atividades psicopedagógicas, relacionadas ao desempenho escolar, a depender do caso) e contexto ambiental (como orientação para pais ou para os cônjuges).

Tratamento com Ritalina e seus efeitos negativos

TDAH: O que é? Como tratar?

Apesar de ter muito preconceito contra as drogas que tratam o TDAH, é preciso entender que elas são eficazes. Entre os pacientes que utilizam os medicamentos, 70% a 80% têm sucesso no tratamento.

A cultura do brasileiro de tentar não medicar o paciente pode fazer com que a criança ou o adolescente sofra mais. Apesar do TDAH não comprometer a inteligência, o jovem pode repetir de ano, ser vítima de Bullying por parte dos colegas e ficar com a autoestima baixa, por enfrentar uma série de dificuldades na escola.

Hoje há muitas críticas associadas ao aumento excessivo do uso da Ritalina no Brasil, mas, nos casos do TDAH, em que há o desenvolvimento do transtorno, o medicamento mais indicado para o tratamento desta doença ainda é a Ritalina.

Ainda sim, não se descarta a possibilidade de o medicamento trazer efeitos colaterais até mesmo para quem desenvolveu o TDHA. Os efeitos negativos dessa medicação geralmente são:

Solução com suplementos naturais

Hoje, o TDAH pode ser tratado com a junção dos tratamentos medicamentosos, psicológicos e alternativos (como tratamentos psicomotores, terapia com artes, tratamento desenvolvido com os pais e etc).

Há, também, os tratamentos naturais, que são feitos com vitamina B6, cálcio, magnésio, ácido gama, amino butírico (gaba) e outros. Esses medicamentos alternativos não têm resultado comprovado garantido pelos médios e especialistas.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Um Comentário

  1. Lia de Paula Moraes

Deixe um Comentário