Sintomas da menopausa – Quais são? Diagnóstico e Tratamento: como aliviar?

Confira aqui a lista completa dos sintomas da menopausa, saiba como fazer o diagnóstico e ainda aprenda dicas efetivas de como alivair os sintomas!

Os sintomas da menopausa são muitos e variados. Os primeiros a aparecer são a irregularidade do ciclo menstrual e as ondas de calor. Ao entrar na fase não reprodutiva, a mulher  fica mais vulnerável às doenças e aos distúrbios emocionais, de modo que aprender a levar uma vida mais saudável torna-se imprescindível para a garantia da qualidade de vida na terceira idade.

Em pesquisa feita pelo  queroviverbem.com.br com 60 entrevistadas, constatou-se que 35% têm a vida muito interferida pelos sintomas da menopausa. Ainda assim, 6,8% afirmam que a fase não interferiu em nada. Foi o caso de Edilene Cristina, diagnosticada com menopausa precoce aos 38 anos, mas, apesar do calorão e da irregularidade menstrual, a única coisa que mudou foi a necessidade de repor os hormônios.

A ginecologista Doutora Débora dos Santos (CRM 26409/PR) comenta que há várias pacientes dela que chegam nesta fase mais bem resolvidas, com melhor estabilidade financeira e uma rotina mais saudável. A médica insiste que a menopausa “não é um bicho de sete cabeças” e a forma com que a pessoa lida com a situação pode interferir na incidência dos sintomas.

sintomas da menopausa

Sintomas da Menopausa

São sintomas da menopausa:

  • Ondas de calor (Fogacho);
  • Suores noturnos;
  • Menstruação irregular;
  • Insônia;
  • Depressão;
  • Ansiedade;
  • Alterações de humor;
  • Secura vaginal;
  • Redução de libido;
  • Memória fraca;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dor nas articulações;
  • Pele seca;
  • Queda de cabelo;
  • Cabelo ressecado;
  • Enfraquecimento das unhas;
  • Cansaço intenso e persistente;
  • Falta de disposição;
  • Dor nas mamas;
  • Acúmulo de gordura abdominal;
  • Aumento de peso;
  • Dor de cabeça;
  • Palpitações;
  • Aumento da incidência de infecções urinárias;
  • Perda de massa óssea;
  • Tontura;
  • Perda auditiva;
  • Inchaço corporal.

Durante uma pesquisa realizada pelo queroviverbem.com.br, constatou-se que o acúmulo de gordura corporal é o sintoma que mais incomoda na vida das mulheres que estão em alguma fase da menopausa, correspondendo à preocupação de 35% das entrevistadas. Em seguida, vêm as alterações de humor (34%). Já mostramos, aqui, como evitar a gordura acumulada na menopausa.

Entre os sintomas mais característicos também se incluem os distúrbios do sono. Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)¹ mostrou que 60% das paulistanas que estão na menopausa sofrem de insônia. O número é mais do que o dobro da incidência em homens da mesma faixa etária.

As ondas de calor também têm algum nível de interferência na qualidade do sono, já que podem ocasionar as sudoreses noturnas. A doutora Débora explica que os fogachos são ocasionados pela falência ovariana e pelo desequilíbrio hormonal que ocasiona ao corpo.

Os sinais do fim da fase reprodutiva feminina podem aparecer muito antes da menopausa. Este período de transição é chamado de climatério (quando a mulher ainda possui óvulos para liberar). A menopausa propriamente dita é o período a partir da data da última menstruação. Daí em diante não será mais possível ter filhos. Já explicamos como funciona a menopausa. 

Como saber se estou na menopausa

Para ter a certeza de que esta fase está chegando, é preciso fazer exames de medição hormonal, para obtenção do diagnóstico, já que somente a análise dos sinais físicos e psicológicos são insuficientes para comprovar em que fase reprodutiva a mulher se encontra.

Os níveis de referência hormonal são:

  • Suspeita de menopausa precoce: dosagem de FSH abaixo de 40mlU/ml e estradiol acima de 20-30pg/ml;
  • Nas mulheres na peri-menopausa, que tomam anticoncepcional, recomenda-se dosar o FSH e estradiol somente após 20 dias de suspensão de uso da pílula.

A Doutora Santos explica que não há uma idade exata para a chegada da menopausa. A partir dos 38 anos já é possível começar a pensar na possibilidade. No entanto, o mais comum é em torno de 40 a 42 anos. Ainda assim, há pessoas que chegam aos 55 anos e ainda menstruam regularmente.

menopausa diagnóstico

Tratamento da menopausa

O principal tratamento feito hoje para as mulheres que chegam na menopausa é com a reposição hormonal. Com ele, por conta de seus efeitos colaterais associados ao desenvolvimento de câncer, o sobrepeso acabou sendo ridicularizado.

A médica ginecologista conta que é normal as mulheres acreditarem que é essa situação é a pior coisa do mundo. No entanto, o problema não oferece tantos malefícios quanto se pensa. A especialista explica que há uma série de trabalhos científicos que mostram uma melhora significativa de riscos cardiovasculares, massa óssea e alívio dos sintomas, se a reposição hormonal for iniciada até o quinto ano.

Outro tratamento que tem crescido consideravelmente é o uso dos fitoestrógenos (remédios derivados de plantas). Existem constatações de melhora de 30% a 40% do sintomas da menopausa nas mulheres que se submetem a esta classe de medicação. No entanto, eles prometem custos mais altos – o que é um impeditivo para muitas pacientes.

Os recursos disponíveis só aumentam e proporcionam às mulheres cada vez mais qualidade.  Estudos² apontam que no século XVII somente 28% das mulheres viviam o suficiente para alcançar a menopausa e pouquíssimas sobreviviam até os 75 anos. Na contemporaneidade, taxas de 95% da população feminina atingem a menopausa, sendo que 50% delas ultrapassam os 75 anos.

menopausa como aliviar

Dicas de como aliviar os sintomas

Abaixo, segue algumas  dicas de como aliviar os sintomas da menopausa:

1 – Calorão

As ondas de calor são um dos sintomas mais agressivos e comuns. Entretanto, elas conseguem ser resolvidas com o tratamento hormonal. Há mulheres que se beneficiaram de receitas naturais, como o chá da folha de amora, e com o uso de bebidas refrescantes.

2 – Falta de libido e secura vaginal

A falta de libido pode ser melhorada com tratamentos hormonais e também com psicoterapias para relaxamento emocional. Em relação à secura vaginal, recomenda-se usar lubrificantes antialérgicos, para garantir que não haja dor na penetração e nem desconfortos no dia a dia.

3 – Alterações de humor e falta de disposição

As alterações de humor tendem a ser melhoradas com a mudança de rotina: praticar exercícios físicos, manter uma alimentação leve e saudável, bem como ter hobbies no dia a dia ajudam a aliviar o estresse e a manter as emoções controladas.

Há um movimento cada vez maior de mulheres que, quando chegam nessa fase, procuram pelas terapias alternativas.

4 – Aumento de gordura corporal

O acúmulo de gordura natural pode ser prevenido. Nesta fase da vida, por conta de o metabolismo ser mais lento, existe mais dificuldade para se emagrecer. No entanto, não é impossível. O segredo é adotar uma dieta saudável e praticar exercícios com regularidade. Estas  irão ajudar a aliviar vários sintomas do problema para além do sobrepeso.

Já mostramos dicas de alimentação para a menopausa.

5 – Insônia

A insônia, geralmente, é um dos sintomas que desaparece quando se usa o tratamento correto: terapias hormonais e fitoterápicos. Ainda assim, alguns ginecologistas apostam em remédios para dormir ou que ajudam no relaxamento do corpo.

Os distúrbios do sono precisam ser investigados por um médico, pois, apesar de serem sintomas característicos da fase, podem estar associados a outros problemas, como depressão, transtornos de ansiedade e síndromes emocionais.

Cada caso é um caso e a principal aposta,  hoje em dia, é no tratamento individualizado. A melhor forma de saber o que é o correto a se fazer é consultando um médico e experimentando as possibilidades. O primeiro passo é não se desesperar, afinal, a menopausa não é uma doença, mas sim uma das tantas outras fases que o corpo feminino passa ao longo da vida.


Referências utilizadas neste conteúdo:

¹ ESTADÃO. 6 em 10 paulistanas na menopausa tem insônia. Disponível em < https://saude.estadao.com.br/noticias/geral,6-em-10-paulistanas-na-menopausa-tem-insonia-terapias-alternativas-sao-opcao,70002467328 >

²REPOSITÓRIO INSTITUCIONAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO. Investigação do consumo alimentar e dos indicadores da composição corporal das mulheres na pós-menopausa. Disponível em <https://repositorio.unesp.br/handle/11449/93108?show=full> 2014

REVISTA PORTUGUESA DE MEDICINA GERAL. Fisiopatologia da menopausa. Disponível em <http://www.rpmgf.pt/ojs/index.php/rpmgf/article/download/9957/9695> 2003


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário