Síndrome do Intestino Irritável: sintomas, cuidados e tratamento

Veja aqui quais são os principais sintomas da Síndrome do Intestino Irritável, qual é o tratamento mais correto e cuidados necessários.

A síndrome do intestino irritável é uma doença crônica que atinge o intestino grosso e precisa de cuidados médicos para não levar a outros problemas ainda mais graves. Não se sabe exatamente o que faz com que uma pessoa tenha essa síndrome, mas especialistas afirmam que uma combinação de inúmeros fatos pode estar por trás desse problema.

O que é?

Síndrome do Intestino Irritável: sintomas, cuidados e tratamento

O intestino é revestido de músculos que, normalmente, contraem-se e relaxam-se, conforme a entrada de alimentos que vêm do estômago e direcionam-se ao reto. A pessoa que tem a doença costuma ter essas contrações mais fortes e e que duram mais tempo do que o normal, podendo gerar gases, flatulência e até diarreia.

Também, é possível que ocorra um movimento oposto, isto é, as contrações podem ser mais fracas, retardando a passagem dos alimentos, o que leva à produção de fezes ressecadas e muito duras.

Principais sintomas

Os sintomas da síndrome do intestino irritável podem variar de indivíduo para indivíduo e, em geral, são semelhantes a outras doenças. Confira, a seguir, os sinais mais comuns:

  • Dor abdominal ou cólicas;
  • Sensação de inchaço;
  • Gases;
  • Diarreia ou constipação – às vezes alternadas;
  • Muco nas fezes.

Apesar de ser uma doença crônica, a síndrome do intestino irritável pode a manifestação dos sintomas mais acentuada em alguns momentos, contrabalançando com outros em que os sinais estão menos destacados. Há momentos, inclusive, que não há sintomas, dando a impressão de que a pessoa está recuperada.

Causas do problema

Apesar de não se saber com exatidão o que leva alguém a ter a síndrome do intestino irritável, a combinação de fatores específicos pode originá-la. Entre eles estão:

  • Alimentos: não se sabe ainda como as alergias e a intolerância a determinados alimentos estão ligadas a essa síndrome, porém é normal que os sintomas apareçam depois do indivíduo comer alguns itens, entre eles feijão, repolho, couve-flor, brócolis, frutas, chocolate, especiarias, gorduras, leite, bebidas com gás, álcool, etc;
  • Estresse: momentos turbulentos vividos pelo paciente costumam potencializar os sintomas dessa síndrome. Porém, estudiosos afirmam que o estresse é um fator agravante e não uma causa que faria com que a pessoa desenvolvesse a doença;
  • Hormônios: pelo fato de as mulheres serem duas vezes mais propensas a terem essa síndrome, especialistas creem que as mudanças hormonais podem desencadear o problema. Outro fato que corrobora essa tese está nos relatos de muitas mulheres que revelam que os sintomas são mais intensos em períodos mais próximos ao da menstruação;
  • Outras doenças: problemas como a gastroenterite ou o crescimento demasiado de bactérias normais do intestino também podem acentuar os sintomas da síndrome do intestino irritável.

Tratamento contra a síndrome do intestino irritável

Síndrome do Intestino Irritável: sintomas, cuidados e tratamento

É fundamental buscar ajuda médica para que seja realizado o tratamento de combate à síndrome do intestino irritável, isso porque é comum que os sintomas causem confusão e aparentem coisas simples e corriqueiras do dia a dia. No entanto, sem um tratamento adequado, são grandes as chances de a síndrome proporcionar problemas mais graves à saúde.

Como não se tem a causa precisa do que leva a esse problema, o tratamento visa aliviar os sintomas e proporcionar uma melhor qualidade de vida ao paciente. Isso, geralmente, ocorre com a ingestão de medicamentos que vão combater o problema. Entre os remédios podem ser citados Brometo de Pinavério,  Ceftriaxona Sódica, Digedrat, entre outros.

Vale lembrar, no entanto, que esses medicamentos deverão ser receitados apenas por um médico especializado para tratar o seu caso, pois o profissional entenderá o que ocorre com você que culmina nessa síndrome, ver se há outro problema te afetando, além de indicar a dosagem correta e o tempo do tratamento medicamentoso. Também, pode ser indicada a ingestão de suplementos de fibra e doses menores de medicamentos anticolinérgicos, antiespasmódicos e antidepressivos.

Mas, além da medicação, é possível mudar alguns hábitos do cotidiano, que são importantes para o sucesso do tratamento. Um desses itens é a alteração radical de sua dieta alimentar, que prevê o corte imediato de alimentos gordurosos e com glúten, além do fim do consumo de bebidas gaseificadas. A prática de exercícios físicos e a melhoria dos hábitos de sono também podem ajudar que você recupere o equilíbrio e elimine os sintomas da síndrome.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário