Silício – O que é? Benefícios, Alimentos que contêm e Deficiência

Já ouviu falar no silício? Esse é um mineral indispensável à saúde do corpo, atribuindo vários benefícios ao organismo. Confira informações completas, aqui!

O silício é um mineral que, mesmo em poucas quantidades, é extremamente importante para manter o corpo saudável. Ele está presente no tecido conjuntivo e endotelial do corpo, os responsáveis por cobrir e proteger todos os órgãos humanos – encontra-se até mesmo no sangue e nos ossos!

Conheça mais sobre eles, seus benefícios e indicações de consumo, só aqui no Quero Viver Bem!

O que é silício?

Silício

No corpo humano, o silício é o terceiro elemento mais abundante, estando presente nos ossos, vasos sanguíneos, cartilagem e tendões. Ele faz bem para praticamente tudo, desde os órgãos internos, os ossos e a pele. Está associado à restauração do equilíbrio entre o cálcio e magnésio, além de outros nutrientes.

Também, por facilitar a absorção do cálcio, contribui para a produção de colágeno. Logo, faz bem para a pele, deixando-a mais rejuvenescida e firme. O colágeno também proporciona benefícios para cabelo, unhas, ossos, articulações, músculos e tendões.

Outro papel importante desempenhado por esse nutriente é quanto à estabilização dos tecidos corporais, como as membranas e as paredes arteriais.

No entanto, apesar de tantos benefícios para o corpo, com o passar dos anos e a chegada da idade, o organismo perde a capacidade de absorver o silício dos alimentos. Isso acarreta em alguns danos, como o enfraquecimento da matriz extracelular da pele.

Consequentemente, afeta a produção do colágeno e da elastina.

Benefícios do silício

Silício

Os benefícios do silício para o organismo são principalmente estéticos. Por agir na produção do colágeno e da elastina, contribui evitando o envelhecimento precoce e mantém o cabelo mais forte e saudável.

Entenda melhor a respeito dessas propriedades a seguir:

Evita o envelhecimento precoce

Entre os fatores que causam o envelhecimento precoce está a perda ou a falta de produção do colágeno.

Por contribuir nesse último quesito, o silício acaba sendo um mineral bom para a pele. Consequentemente, garante mais elasticidade, hidratação e aparência jovem, sem rugas.

Outro benefício é a neutralização da ação dos radicais livres, mais um motivo para ser benéfico para a pele.

Faz bem para o cabelo

O colágeno também contribui para o crescimento saudável dos fios. Mas, além disso, o silício também favorece a produção da elastina, responsável pela elasticidade e textura saudável do cabelo.

Há, ainda, outro motivo para o silício ser benéfico para os fios. Cerca de 6% da composição do cabelo é com o próprio mineral. Consequentemente, torna-se um elemento fundamental de crescimento saudável.

Nutre as unhas

Ainda tratando do colágeno produzido pela presença do silício, as unhas são compostas, basicamente, a partir das proteínas. Sem elas, o resultado são unhas fracas, quebradiças, com manchas e com ranhuras.

Para mantê-las saudáveis, bonitas e fortes, é preciso nutrir muito bem o organismo. Entre os minerais excelentes para esse fim encontra-se o silício. Inclusive, parte da composição das unhas é à base desse mineral.

Alimentos ricos em silício

Silício

Assim como outros minerais, nutrientes e outras vitaminas, o silício pode ser encontrado em uma vasta lista de alimentos. Parece clichê, mas manter uma dieta sempre equilibrada e variada garante uma nutrição adequada para todo o corpo.

Além disso, com tantos alimentos saudáveis e ricos em minerais, nutrientes e vitaminas, é fácil caprichar no cardápio!

O silício é encontrado principalmente nos cereais integrais, como a aveia, o milho, a cevada, o arroz e o trigo, além de outros alimentos, como:

Com o passar dos anos e com o envelhecimento, o corpo perde um pouco da capacidade de absorver o silício. Para reverter esse quadro, quando a deficiência é diagnosticada, pode haver a suplementação feita a partir de cápsulas.

Distúrbios do silício: deficiência

A falta do silício no organismo causa alguns danos e problemas, principalmente relacionados à estética, por exemplo:

  • Envelhecimento precoce;
  • Sensibilidade no couro cabeludo;
  • Queda de cabelo;
  • Distúrbios do movimento e do sistema nervoso;
  • Alterações na pele (hidratação, elasticidade, etc.);
  • Fadiga cerebral;
  • Tosse;
  • Fraqueza sexual;
  • Varizes;
  • Transpiração excessiva;
  • Sede excessiva principalmente a noite.

Recomendações e contraindicações

Por ser um mineral presente nos alimentos, não há contraindicações na ingestão do silício. Mas, há ressalvas para o uso em cápsulas. A suplementação só deve ser feita quando realmente há necessidade, sendo recomendada por um profissional da saúde.

Antes dos 20 anos, os alimentos são o bastante para manter o corpo nutrido com esse mineral.

Pessoas com mais de 20 anos devem se atentar à quantidade de silício no organismo, principalmente ao perceberem problemas de pele, queda no cabelo e unhas quebradiças com mais frequência.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário