Sífilis: O que é? Formas de Contágio, Como Prevenir e Tipos de Tratamento

A sífilis é uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), causada pela bactéria Treponema Pallidum. De acordo com Ministério da Saúde, a Sífilis continua sendo uma epidemia, pois, de alguns anos pra cá, houve um aumento abrupto no números de casos em todo o Brasil.

A sífilis pode ter 3 tipos de apresentação, que são representadas em fases. Na primeira, ocorre uma lesão no órgão sexual, que chega a durar dias ou até semanas, mas pode desaparecer de forma espontânea, levando a pessoa a acreditar que está curada ou que não é nada de grave.

Na segunda fase, geralmente acontece 2 ou 3 semanas após a primeira, começando a surgir lesões por todo o corpo. Muitas pessoas, inclusive, a confundem com algum tipo de alergia.

Comumente, as feridas se espalham pelas palmas das mãos e pelos pés, podendo durar bastante tempo, sem outros sintomas, entretanto a pessoa pode transmitir a doença.

A terceira fase, é a mais grave, pois, muitas vezes, a sífilis não é diagnosticada nas primeiras fases, pois o paciente não busca ajuda médica. É a partir daí que podem ocorrer danos no coração, na pele, nos ossos, nos olhos,nos quadros de demência e outras manifestações neurológicas.

Formas de contágio da Sífilis

Sífilis: O que é? Formas de Contágio, Como Prevenir e Tipos de Tratamento

A sífilis pode ser transmitida pelo contato sexual sem o uso de preservativo, entretanto, ela também é altamente contagiosa pelo contato da pele quando as lesões estão aparentes.

Uma grande preocupação mundial é a sífilis congênita, aquela que é passada de mãe para filho durante a gravidez. Se a doença não for tratada logo no início do pré-natal, ela pode levar a complicações muito sérias, como parto prematuro, aborto, má formação do feto, cegueira, surdez e problemas mentais.

Durante o pré-natal, é absolutamente normal os médicos solicitarem o exame de Sífilis na gestante. Detectando o problema, a mãe e o pai também devem ser tratados, a fim de evitar a contaminação vertical.

Como prevenir a Sífilis?

Prevenir a sífilis, assim como outras doenças sexualmente transmissíveis, incluem:

  • Redução no número de parceiros sexuais;
  • Uso de métodos preventivos de barreira (camisinha);
  • Mulheres grávidas devem fazer o pré-natal, para evitar complicações para o feto.

Como tratar a Sífilis?

Sífilis: O que é? Formas de Contágio, Como Prevenir e Tipos de Tratamento

A boa notícia é que a Sífilis tem cura, na maioria dos casos, mas é preciso ser tratada com antibióticos que, geralmente, são à base de penicilina, pois ela se mostra muito superior a outros tipos de antibióticos.

Quanto mais rápida a sífilis for diagnosticada, menores serão os danos à saúde. Por isso, é essencial ficar atento aos sintomas e buscar a ajuda médica, para impedir a progressão da doença.

Gestantes também recebem o tratamento à base de penicilina, além do bebê após o nascimento.

Depois do período de tratamento da sífilis, o paciente deve fazer o controle, para saber se realmente está curado. É necessário realizar o exame de VDRL a cada 6 meses durante os próximos 2 anos, pois o intuito é que os valores de VDRL caiam ao longo do tempo.

Caso o tratamento não surta o efeito desejado, será preciso repeti-lo. No entanto, apenas 15% dos pacientes não conseguem sucesso na primeira tentativa.

Pacientes que são dados como curados não precisam se preocupar, pois não transmitirão mais a doença. No entanto, podem ser contaminados novamente se tiverem contato com outra pessoa contaminada. Ou seja, uma pessoa pode pegar sífilis inúmeras vezes na vida.

Qual médico procurar?

Geralmente, as especialidades médicas que fazem o diagnóstico da sífilis são: Clínico Geral, Ginecologista, Urologista e o Infectologista.

Os especialistas podem conduzir os exames que levam ao diagnóstico da doença, que são:

  • Testes diretos – exames em campo escuro;
  • Testes imunológicos– VDRL, RPR, TRUST, FTA ABS, ELISA, testes de aglutinação e hemaglutinação, entre outros.

Caso a doença seja diagnosticada, o tratamento da sífilis, geralmente, é ministrado e acompanhado pelo infectologista.

Quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores são as chances de um tratamento de sucesso. Além disso, é importante não esperar para que a sífilis não cause nenhum dano à saúde.

Uma pessoa infectada deve informar ao seu parceiro (a), pois ambos devem passar pelo tratamento da sífilis. Se a doença não for tratada, ela pode levar a sérias complicações ao paciente, até mesmo a morte.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (Ainda sem avaliações)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Deixe um Comentário