Você dorme pouco? Entenda os riscos para a sua saúde de não dormir o suficiente

Hoje em dia, dormir pouco é um problema presente na rotina da maioria das pessoas. Ansiedade, rotina corrida, compromissos em excesso são apenas alguns dos diversos motivos que podem levar à insônia, ou à falta de tempo para descansar bem. Privar seu corpo da quantidade mínima de descanso pode afetar a saúde física e mental.

O repouso é essencial para o corpo funcionar bem e realizar as atividades metabólicas com excelência. Cada organismo precisa de uma quantidade certa de horas para dormir. A média recomendada pelos médicos são de 8 horas diárias. Mas, cada pessoa é diferente e pode precisar descansar um pouco menos ou mais do que isso.

Para conhecer os problemas ligados à falta de sono, leia o texto na íntegra:

Malefício de ter poucas horas de sono

Dormir pouco afeta diretamente o humor no dia seguinte, mas não é somente isso. Conheça os riscos de privar seu corpo do descanso:

O que a falta de sono afeta?

A quantidade de sono desde a infância, juventude, até a fase adulta e velhice afeta diretamente no desempenho e desenvolvimento. As horas dormidas influenciam na saúde física e mental, na criatividade, memória, produtividade e no aprendizado e desempenho da estabilidade emocional.

O Dr.Dr. Michael J. Twery, especialista dos Institutos Nacionais de Sono, afirma que dormir bem ou pouco afeta quase todos os tecidos do corpo.

o que a falta de sono causa?

São diversos os órgãos comprometidos, como coração, rins e cérebro. A privação de sono pode, inclusive, afetar no metabolismo, apetite, controle de peso, sistema imunológico e nas funções cerebrais, além de outros fatores fundamentais para uma boa saúde física e mental e resistência a doenças.

Aumenta as chances de desenvolvimento de câncer

No Japão, foi realizado um estudo envolvendo 24 mil mulheres de idade entre 40 e 79 anos, no qual se descobriu que aquelas que dormiam menos de 6 horas por dia apresentavam maior probabilidade de desenvolverem câncer de mama do que as que dormiam adequadamente.

Em Harvard, estudos também mostraram envolvimento da baixa produção de melatonina, hormônio do sono, que é menor em quem dorme pouco, influenciando no aumento dos riscos de câncer de mama.

Afeta os hormônios

Não ter noites bem dormidas constantemente também pode provocar distúrbios hormonais. O hormônio do crescimento só é liberado durante o sono profundo em crianças, mas ele também tem a função de reparar tecidos que foram danificados, além de promover a massa muscular em adultos.

Diabetes e Apetite

O hábito também aumenta o risco de desenvolver diabetes tipo 2, pois a capacidade de processar a glucose é afetada. Dormir pouco também aumenta as chances de derrame ou doenças cardiovasculares.

Quando se dorme menos que o necessário, a pessoa tem mais tempo para comer e fazer lanches à noite, diminui-se os níveis de leptina, que indica ao cérebro saciedade, e aumenta os níveis de grelina, que estimula o apetite.

Transtornos

dormir pouco faz mal?

A falta de sono aumenta o risco de depressão e do abuso de drogas entre pessoas com Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT), já que o cérebro tende a reviver o trauma quando a pessoa tenta dormir. Dormir menos também está associado com o diagnóstico errôneo do Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH). O psiquiatra da Universidade de Nova York, Dr. Vatsal G. Thakkar apontou que 28% das crianças com problemas de sono apresentavam sintomas do TDAH, porém não possuíam o distúrbio de fato.

Com a falta de sono, o cérebro torna-se mais lento e diminui a capacidade de aprendizado. Pessoas que descansaram, pelo menos, 7 horas têm maior chance de aprender uma tarefa e lembrar-se do que aprenderam, isso porque o cérebro transforma a memória de curto prazo em memória de longo prazo, durante o sono. Ou seja, a insônia pode levar a pessoa a tomar decisões ruins e assumir riscos. Em testes de direção, pessoas privadas de sono agem como se estivessem bêbadas.

Mortalidade Precoce

Estudos realizados pela Universidade de Estocolmo, na Suécia, analisaram 38 mil adultos e seu hábitos noturnos, por 13 anos. A pesquisa indicou uma taxa de mortalidade precoce 65% maior em adultos até 65 anos de idade que dormiam menos de 5 horas por dia, quando comparados àqueles que conseguiam dormir 6 horas ou mais. Por outro lado, se você dormir mais aos finais de semana, o sono extra pode compensar e equilibrar essas taxas.

Mas lembre-se, dormir excessivamente também é um problema. Dormir mais de 8 horas aumenta 146% a chance de sofrimento de derrame, conforme pesquisas feitas pela Universidade de Medicina de Nova York, que estudou 290 mil pessoas. Passar das 8 horas diárias, todos os dias na semana, também leva a um risco 25% maior de morte precoce.

Como Proteger-se Desses Riscos?

malefícios da insônia

Os estudos feitos entre o grupo de pesquisados considerou a etnia, os hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos para chegar nos resultados. Entre eles, o grupo mais saudável foi aquele de pessoas que praticaram de 30 minutos a 1 hora de exercícios físicos diários, ou pelo menos 6 vezes na semana.

Algumas mudanças de hábito também levam à melhora da quantidade e qualidade de sono. É preciso ter uma rotina regrada e buscar sempre deitar no mesmo horário. Diminuir a luz antes de dormir, as distrações com barulhos, o uso do celular ou mesmo a brincadeira com animais de estimação devem ser levados em consideração.

Além de tudo, deve-se evitar sonecas durante a tarde, principalmente ao fim do dia. Evite, próximo ao seu horário de dormir, fazer refeições, tomar café preto ou bebidas que contenham cafeína.

Sempre que for a uma consulta médica, informe ao profissional a quantidade e a qualidade do seu sono. Esse é um fator crucial para avaliar a sua saúde física e mental. Pode ser tão importante quanto dados como pressão sanguínea, batimentos cardíacos e temperatura corporal.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário