Rinite Alérgica: sintomas, cuidados, tratamento e mais

Quer saber mais sobre a rinite alérgica? Veja aqui quais são os principais sintomas, cuidados necessários, tratamentos mais indicados e mais.

Uma doença que acontece muito no Brasil principalmente com a chegada da primavera é a rinite alérgica, que pode acometer qualquer idade e trazer efeitos colaterais terríveis.

Essa reação alérgica costuma afetar 40 milhões de brasileiros, segundo a Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia, por isso, você deve estar atento a algumas informações que dispomos, abaixo:

O que é rinite alérgica?

Rinite Alérgica: sintomas, cuidados, tratamento e mais

Uma reação imunológica do organismo que acontece quando partículas não reconhecidas – chamadas de alérgenos – são inaladas pelo sistema respiratório. Porém, é importante primeiro entender que existem tipos diferentes de rinite, veja quais são eles:

Rinite alérgica

A mais comum de todas é quando as defesas do corpo não reconhecem alguma partícula entrando no sistema imunológico, nesse caso, há uma grande reação alérgica em relação ao “intruso”.

O seu corpo liberará histamina e outros compostos para combate dos invasores, gerando, assim, os principais sintomas. Os alérgenos que causam esse tipo de problema costumam ser pólen, ácaros, mofo e pelo de animais.

Rinite não-alérgica

De menor frequência, esse tipo acomete principalmente adultos, apresentando sintomas que costumam perdurar por muito tempo, sendo diferente do primeiro tipo, pois não há relação com o sistema imunológico.

Principais sintomas da doença

Os primeiros sinais da chegada da rinite costumam ser inconfundíveis, sendo eles:

  • Espirros constantes;
  • Nariz escorrendo;
  • Nariz entupido;
  • Coceira no nariz;
  • Tosse contínua;
  • Dor de garganta – como se estivesse inchada;
  • Olhos lacrimejando;
  • Falta de olfato;
  • Sensação febril;
  • Cansaço em excesso.

Principais causas

Rinite Alérgica: sintomas, cuidados, tratamento e mais

O contato com os agentes alérgicos são as principais causas, principalmente quando o sistema imunológico está enfraquecido. Além disso, os principais alérgenos podem ser:

  • Poeira;
  • Pólen;
  • Fungos;
  • Cheiro de cigarro;
  • Ácaros;
  • Pelos de animais.

Quais são os fatores de risco?

É importante ficar de olho nos principais fatores de risco, assim fica muito mais fácil se prevenir contra a doença e seus ataques. Veja o que pode ajudar a acentuar o problema:

  • Pessoas que possuem histórico de alergia na família;
  • Lugares com má circulação de ar;
  • Contato direto com a poluição.

O diagnóstico da doença é feito rapidamente por meio de análise clínica, porém há casos em que testes de alergia são requeridos, geralmente para verificar se o paciente não possui alergia a outro alimento ou causa específica.

Exames de sangue podem ser usados em alguns casos, a fim de verificar os níveis da imunoglobulina – anticorpo que o corpo produz quando em contato com alérgeno.

Na pior das hipóteses, uma rinite não tratada pode acentuar os sintomas, sendo que para quem já possui pré-disposição a ela sofrerá com o aparecimento da sinusite em paralelo.

Qual o tratamento da doença?

Rinite Alérgica: sintomas, cuidados, tratamento e mais

É preciso que o paciente que sofre constantemente com a rinite tenha o costume de tomar bastante água, para manter o organismo sempre hidratado contra a invasão de alérgenos. Em casos mais sérios, o uso de umidificadores de ar podem ser uma boa opção.

Além disso, os hábitos de higiene básicos também são indicados: manter as mãos sempre limpas e higienizadas e tomar cuidado com o acúmulo de poeira nos lugares que frequenta, principalmente em: tapetes, cortinas, pelúcia, cobertor, travesseiros e outros.

Cheiros fortes também devem ser evitados, principalmente de produtos de limpeza, perfumes, tintas, cigarro e outros. O paciente deve realizar o uso de anti-histamínicos, descongestionantes nasais e corticosteroides para amenizar os sintomas da doença.

Há, ainda, a vacina antialérgica disponível para venda no mercado, que é indicada especialmente para aqueles que têm a comprovação da rinite alérgica em relação a determinado alérgeno. Vale lembrar que a vacina não acaba com a doença, porém diminui a potencialidade dos sintomas até que não seja mais necessário utilizar medicamentos.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário