Remédios para sono: quais são eles, mitos e verdades

Remédios para sono, mais procurados como remédios para dormir, são muito procurados hoje em dia, veja aqui quais os cuidados necessários ao consumi-los, como tomar corretamente, efeitos colaterais e muito mais.

Hoje em dia, remédios para o sono são muito procurados e, provavelmente, você conhece alguém que usa de maneira contínua e garante que sem ele não há garantia de um sono bom. A função mais óbvia desses medicamentos é proporcionar um efeito calmante, ou seja, relaxar a sua mente e/ou o seu corpo.

Você pode facilmente conseguir uma receita desse medicamento com o seu médico, principalmente se alegar problemas para adormecer, por exemplo. O uso moderado e com o conhecimento do profissional de saúde, por outro lado, são, muitas vezes, dispensados pelas pessoas.

Saiba mais sobre os remédios para dormir:

  • Benefícios;
  • Riscos do uso em excesso ou combinado;
  • Cuidados.

Vantagens dos remédios para sono

Remédios para sono: quais são eles, mitos e verdades.

Quando você chega em casa, após um longo dia de trabalho, cheio de tarefas e estresse com colegas e chefe, tudo o que  quer é se jogar na cama e ter uma maravilhosa noite de sono.

Embora seja uma das sensações mais compensadoras do mundo, nem todas as pessoas conseguem pregar o olho e recarregar as energias para o dia seguinte. Muita gente sofre com algum distúrbio do sono,que causa dificuldades para adormecer ou que faz com que o sono fique fragmentado e não repare o dia atribulado.

É aqui que entra os remédios para o sono: os médicos prescrevem o uso de tais medicamentos para induzir o processo. Além disso, eles:

  • Contribuem para a manutenção das horas de sono;
  • Diminuem o estado de alertar;
  • Reduzem a ansiedade;
  • Estimulam a sensação de calma e tranquilidade.

Destaca-se, também, que o efeito dos remédios para sono, geralmente, é mais rápido e duradouro. Inúmeros remédios para dormir são conhecidos e recomendados pelos médicos, sendo os mais populares:

  1. Alprazolam;
  2. Dramin;
  3. Diazepam;
  4. Lorazepam;
  5. Rivotril;
  6. Sonata;
  7. Zolpidem.

É fundamental frisar que, para adquirir um desses remédios para o sono, é obrigatória a apresentação da receita médica, pois eles são pertencentes às classes das tarjas vermelhas ou pretas.

Riscos dos remédios para sono

Pelo fato da exigência de receita médica, já é possível entender que esses medicamentos podem apresentar algumas complicações e alguns riscos. Em primeiro lugar, entenda que eles podem fazer com que o seu corpo desenvolva resistência, isto é, por um tempo você realmente notará resultados ótimos durante as dormidas, mas depois eles perdem o efeito e já não agem corretamente.

Mas, o que mais os remédios para o sono podem oferecer de perigo? Veja só:

Podem viciar

Essa é uma discussão antiga e verdadeira. Habituar-se ao efeito dos remédios faz com que você não fique satisfeito(a) com o sono ao decidir dormir sem usar a medicação. Isso é denominado insônia rebote.

Aumentam o risco de Parasomnia

Esse é um estado de semiconsciência, que causa sonambulismo.

Provocam sonolência

Você pode continuar sentindo sono durante o dia, mesmo que o remédio tenha proporcionado uma noite completa de repouso. É uma sensação similar a uma “ressaca”, sendo que você ficará com falta de energia e com prejuízos em seu ambiente de trabalho, por exemplo.

Efeitos colaterais dos remédios para sono

Remédios para sono: quais são eles, mitos e verdades.

Os próprios remédios possuem reações adversas, que surgem logo nos primeiros dias de uso, como:

  • Sedação durante o dia;
  • Reflexos mais lentos;
  • Reação alérgica;
  • Atividade mental prejudicada;
  • Quedas e fraturas ósseas, especialmente em idosos.

Além disso, os riscos dos remédios para sono não param. Já pensou sobre como eles lidam com a combinação com outros remédios ou mesmo com álcool? Álcool e medicamentos para dormir é uma interação bastante perigosa e pode acabar sendo fatal. O uso combinado com outras medicações, principalmente sedativos, antidepressivos, antibióticos e analgésicos, pode agravar efeitos colaterais.

Por isso, é essencial que você se consulte com um médico capacitado, para avaliar os riscos e os benefícios do remédio para o seu caso.

Mitos e verdades sobre os remédios para sono!

Muitas dúvidas surgem quando o assunto aborda as medicações para dormir. Mas, o que é verdade e o que é mentira nesse âmbito? A seguir, estão separadas as informações mais relevantes para que você compreenda os remédios para sono e a sua utilização:

Remédio para dormir causa ronco

Verdade. Vários remédios sedativos fazem com que os músculos da garganta fiquem relaxados, o suficiente para causar o ronco ou mesmo para agravar a intensidade de quem já possui esse distúrbio do sono.

É possível tomar o remédio para sono todos os dias

Mito. A recomendação é que você evite o uso frequente, não esquecendo que esse tipo de medicamento gera dependência. Além do mais, quanto mais moderado o uso, mais minimizados serão os efeitos adversos.

Posso tomar o remédio para sono quando achar necessário

Verdade. Muitas pessoas têm o remédio para dormir guardado, para ser usado em casos de emergência, sabendo da importância de não o usar diariamente.

O remédio para sono não interfere nas atividades do meu dia a dia

Mito. Vá com calma! Como comentado, os remédios para dormir podem provocar alguns efeitos colaterais, como é o caso do sono durante o dia. Procure evitar dirigir qualquer veículo ou operar máquinas pesadas após a ingestão de qualquer tipo de remédio para dormir.

Posso alterar a dose da medicação sem falar com o médico

Mito. Siga a dose estipulada pelo médico e informe a ele como o seu organismo está respondendo ao tratamento, prestando atenção aos efeitos adversos.

Caso você tenha receio em iniciar o uso de um remédio para o sono, aposte em terapias alternativas, a fim de melhorar a qualidade do seu repouso. Exercícios físicos, técnicas de relaxamento, psicoterapia e uso de ervas e suplementos são dicas excelentes!


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário