Remédio e Álcool – Riscos de beber enquanto toma remédios

Quais remédios podem ser misturados com bebidas alcoólicas sem problemas? São poucos, mas existem. Confira aqui a lista de remédios que podem e não podem ser misturados com bebidas e quais os efeitos da mistura.

Todo mundo sabe que misturar remédio e álcool não é uma boa ideia, mas será que o motivo pelo qual se pensa isso está realmente correto? Será que a bebida alcoólica pode cortar o efeito do medicamento ou os riscos dessa combinação são outros?

As consequências vão variar de acordo com o tratamento que está sendo feito, mas os malefícios podem ser enormes e afetar diferentes partes do organismo. Quer entender melhor? Então, veja as informações contidas no post:

remédios e bebida

Remédio e álcool –  Os perigos da combinação

Misturar remédio e álcool pode oferecer uma série de riscos para a saúde, que vão muito além de cortar o efeito do medicamento. Essa prática pode oferecer:

Perigos para o fígado

A grande maioria dos medicamentos é metabolizada pelo fígado, assim como as bebidas alcoólicas. Quando se está tomando uma quantidade alta de remédios, isso acaba alterando consideravelmente o funcionamento do órgão.

Então, o fígado já está sobrecarregado por conta da metabolização dos remédios e, ainda, precisa fazer seu papel em relação ao álcool. Isso pode acabar causando dores e outros problemas mais sérios.

Perigos neurológicos

Ainda mais perigoso é misturar medicamentos para tratamentos neurológicos com o álcool. Apesar de muita gente ficar “alegrinha” após alguns drinks, as bebidas alcoólicas possuem efeito depressivo e podem causar sérios problemas, se afetarem o funcionamento dos remédios.

Além disso, o consumo exagerado de álcool em conjunto com medicamentos pode provocar a perda de consciência, de memória e de coordenação motora, fazendo com que os riscos de acidentes ou atitudes inconscientes sejam enormes.

Misturar remédio e álcool pode afetar a ação do medicamento?

Tomar uma ou duas latinhas de cerveja não vai fazer com que o efeito do remédio seja cortado, por isso, não há problemas em beber uma pequena quantidade de álcool esporadicamente.

Porém, uma grande quantidade de bebida pode influenciar no sucesso de seu tratamento. Na realidade, o álcool não corta o efeito do medicamento, o que acontece é que ele possui efeito diurético, podendo acabar fazendo com que o remédio seja eliminado pela urina antes de ser absorvido pelo organismo.

Medicamentos que não podem ser misturados com álcool

riscos de beber e tomar remédios

1. Antibióticos

Além da possibilidade de fazer com que o medicamento seja eliminado do organismo, diminuindo a sua eficiência, o álcool pode potencializar alguns efeitos colaterais dos antibióticos, como diarreias, náuseas e vômitos.

2. Antidepressivos

Como o álcool possui efeito depressivo, ele pode acabar anulando o efeito do medicamento e fazer com que a pessoa se sinta ainda pior, tendo crises causadas pela bebida. Além disso, ingerir uma quantidade suficiente para ficar bêbado pode fazer com que se perda o controle e a consciência, provocando sérias consequências.

3. Anti-inflamatórios

Misturar anti-inflamatórios com bebida em grande quantidade pode acabar sobrecarregando o fígado e, se feito com frequência, pode causar problemas no órgão. Além disso, se a bebida eliminar o medicamento do organismo, as inflamações que estão sendo tratadas podem não curar no tempo determinado.

4. Analgésicos

Pelos mesmos motivos dos anti-inflamatórios, os analgésicos não devem ser misturados com álcool, principalmente em grandes quantidades. A ressaca pode ser ainda maior, agravando os sintomas que deveriam ser curados pelo analgésico, como a dor de cabeça, por exemplo.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário