Refluxo gastresofágico – O que é? Normal em bebês? Sintomas e Remédios

O Quero Viver Bem conversou com médicos para entender o que é o refluxo, quais são os sintomas, causas e como tratar a condição adequadamente.

O refluxo gastresofágico é uma doença digestiva que ocorre quando o suco estomacal sobe, invadindo o esôfago. A condição pode ocasionar feridas e sintomas persistentes, como dores no peito, queimação e azia. Segundo dados do Ministério da Saúde, esta doença silenciosa atinge 20% da população brasileira, o que corresponde a uma média de 30 milhões de pacientes.

O Quero Viver Bem conversou com o gastroenterologista Antonio Hirt (11031/RQE 11137), para saber como identificar e tratar a condição de forma correta. Para começar, o médico faz uma alerta: é preciso estar atento aos sintomas, pois muitos pacientes relegam o problema achando que sofrem somente de uma má digestão.

refluxo gastresofágico sintomas

Sintomas do refluxo

  • Azia recorrente;
  • Pressão no peito;
  • Engasgue com a comida;
  • Dor de garganta;
  • Queimação estomacal;
  • Rouquidão;
  • Náuseas;
  • Regurgitação;
  • Inchaço na garganta;
  • Tosse seca;
  • Dificuldade para engolir.

Alguns dos sinais do refluxo, como a dor no peito ou a tosse seca, podem ser confundidos com os sintomas do infartoFoi justamente isso que o bancário Cleyton Tosa pensou ao sentir o peito constantemente pressionado. Com medo, ele foi ao pronto socorro e lá descobriu que, na verdade, tinha um quadro de refluxo gastresofágico,  conforme comentou em entrevista à Globo.

No caso de Cleyton, ele chegou a ir ao médico, no entanto, os profissionais alertam que é muito comum os pacientes relegarem a consulta, por acreditar que os sintomas sejam algo normal: “foi algo que eu comi” ou “devo ter comido rápido demais”, são algumas das famosas desculpas.

O certo é ficar de olho aos sinais e identificar se eles estão sendo recorrentes. Se a resposta for sim, é melhor procurar um profissional, afinal, se não tratado, o refluxo pode evoluir para pequenas lesões, que só conseguem ser tratadas mediante cirurgia.

Causas

Conforme explica o médico Antônio Hirt, o refluxo acontece quando o conteúdo do estômago volta ao esôfago. Essa situação pode acontecer por conta de um mal funcionamento na válvula que separa os dois órgãos ou devido à fraqueza no músculo do diafragma, permitindo que o estômago vá um pouco mais para cima – condição conhecida como “hérnia de hiato”.

Outra possível causa da condição é o efeito colateral de remédios, que podem alterar a acidez estomacal ou lesionar as paredes do esôfago, todavia, esta origem é mais incomum. refluxo gastresofagico o que é

Como é feito o diagnóstico?

Como os sintomas são muito diversificados, os médicos precisam apostar em exames para a realização do diagnóstico. Assim, a maior parte deles solicita a endoscopia ou o impedâncio-pHmetria esofágica.

A influência da alimentação

O Doutor Drauzio Varella, em seu site pessoal, ainda ressalta a influência da alimentação na incidência do refluxo. Segundo ele, o consumo de alimentos ácidos ou muito gordurosos intensifica os sintomas do refluxo, principalmente a azia.

Para prevenir o desenvolvimento da doença, deve-se evitar os seguintes alimentos listados por Hirt:

  • Café;
  • Refrigerantes;
  • Frutas cítricas;
  • Tomate;
  • Leite integral;
  • Menta;
  • Molho de tomate;
  • Hortelã;
  • Ultraprocessados;
  • Açúcar refinado;
  • Frituras.

[VEJA TAMBÉM: dieta para quem tem refluxo, gastrite ou úlcera]

Refluxo é normal em bebês?

Sim, o refluxo é normal em bebês até um ano e meio de idade. Um estudo da Universidade Northwestern, em Chicago (EUA), mostrou que 50% dos bebês até três meses tinham, pelo menos, um episódio de regurgitação por dia. Quando se trata de bebês de quatro meses as situações tornam-se ainda mais recorrentes, uma vez que começam a se movimentar mais.

A explicação dos pesquisadores para o ocorrido é de que os bebês passam a maior parte do tempo deitados, o que pode fazer com que a válvula que separa o estômago do esôfago falhe e, então, seja provocado o vômito. Por consequência, à medida em que são introduzidos alimentos sólidos na refeição e a criança começa a ter uma rotina mais ativa, os episódios tendem a diminuir.

refluxo em bebes

Há cura?

Sim, o refluxo possui cura. Ele é feito conforme as necessidades de cada paciente, o que geralmente envolve o uso de medicamentos associados a uma alimentação saudável.

Remédios para refluxo

Os remédios mais recomendados para a condição são:

  • Antiácidos;
  • Inibidores da produção de ácido;
  • Inibidores da bomba de prótons;
  • Protetores gástricos.

Remédios caseiros

Os principais remédios caseiros para o alívio dos sintomas são as receitas baseadas em ingredientes que neutralizam a acidez estomacal, como o vinagre de maçã ou o chá de camomila.

Aprenda como fazer estas receitas no texto sobre remédios naturais para queimação estomacal.

Outras medidas caseiras também ajudam no alívio dos sintomas, como o uso do travesseiro antirrefluxo, o qual evita que, durante a noite, o alimento volte e prejudique a qualidade do sono.


Referências utilizadas neste conteúdo:

NORTWESTERN UNIVERSITY. Reflux or Gerd. Disponível em <http://www.womenshealth.northwestern.edu/blog/reflux-or-gerd>

REVISTA BRASILEIRA DE OTORRINOLARINGOLOGIA. Doença do refluxo gastroesofágico: análise de 157 pacientes. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/%0D/rboto/v69n4/a04v69n4.pdf>

CLINICAL EPIDEMIOLOGY. Prevalência e fatores associados à doença do refluxo gastresofágico. Disponível em <http://www.scielo.br/pdf/ag/v42n2/a10v42n2>

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Refluxo gastresofágico. Disponível em <http://bvsms.saude.gov.br/dicas-em-saude/2575-refluxo-gastroesofagico>

GLOBOPLAY. Drauzio explica doença do refluxo, que atinge 20% dos adultos brasileiros. Programa de 19 nov 2017.  Disponível em <https://globoplay.globo.com/v/6300065/>


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário