Redutores de Apetite – Conheça os 13 Melhores Inibidores que vão te Ajudar a Perder Peso

Existem alguns medicamentos no mercado chamados de redutores de apetite (ou também de inibidores de apetite) que são liberados para atuação em pessoas que buscam um aliado na perda de peso. Se você está lendo isso, é provável que esteja buscando informações acerca deste assunto, especialmente se quer ter certeza que o seu caso se encaixa no uso da medicação.

Os redutores de apetite agem diminuindo a fome e prolongando a sensação de saciedade. Levando assim as pessoas acima do peso à um emagrecimento ainda mais rápido. Isso porque ao sentirem menos fome, as pessoas ficam propensas a comerem menos. Com o menor consumo calórico, se dá o emagrecimento. Existem remédios para emagrecer vendidos em farmácias e até mesmo inibidores com uma fórmula mais natural.

Antes de começar a utilizá-los, é preciso que entenda os seguintes temas correspondentes aos redutores de apetite:

  1. O que eles são?
  2. Quais são os tipos existentes?
  3. Como eles funcionam no organismo?
  4. Quais são os 13 melhores inibidores de apetite?

Preste atenção nas informações abaixo, caso tenha uma pergunta que não foi respondida, deixe-a nos comentários que tentaremos respondê-la para você.

Redutores/Inibidores de Apetite: O que são?

Os redutores de apetite para emagrecer são classificados como medicamentos que possuem uma ação direta na redução do apetite e no controle da sensação de fome, isto é, eles procuram deixar a pessoa saciada e evitar aquela sensação de ansiedade que tanto atrapalha as dietas e processo de emagrecimento. Ou seja, após comer, demora muito mais tempo para que a pessoa sinta fome ou comece a pensar em comida. Assim, passa a comer menos e se acostuma em uma nova dieta. É ideal para serem tomados na reeducação alimentar, para que o paciente não abandone o processo e não sinta tanta fome com sua nova alimentação.

A medicação que inibe o apetite pode agir diretamente no sistema nervoso central, em uma parte do cérebro chamada de hipotálamo – responsável pelo controle da sensação de fome e de ansiedade. Outros buscam trazer a saciedade pela formação de um gel no estômago e intestino que lhe manterá mais tempo com a sensação de satisfação. Esse gel retarda a digestão e geralmente é rico em fibras. Ao tornar o processo digestivo mais lento, demora muito mais para que ele chegue ao fim e para que a pessoa fique novamente com fome.

Os redutores de apetite podem ser somente comprados com apresentação de receita médica, pois é recomendável para pessoas com obesidade  – isto é, que apresentem Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30 – Portanto, o tratamento com um inibidor de apetite é realizado juntamente com um médico, feito por um curto período de tempo e com aplicação de mudanças alimentares (adaptação e equilíbrio) e no estilo de vida (prática de atividades físicas). Os remédios naturais, como as fibras, por sua vez, são vendidos livremente, porém não podem ser considerado remédios, devido à sua classificação na ANVISA, Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

A indicação destes medicamentos são para garantir perdas de peso rápidas e ajudar no controle de processos de emagrecimento. Assim, pessoas que estão acostumadas a ingerir grandes quantidades de alimento não sofrem tanto durante o processo de perda de peso. Eles permitem a manutenção na qualidade de vida de pessoas obesas. E são ministrados quando os benefícios propostos ultrapassam os riscos dos efeitos colaterais.

 

Como os Redutores de Apetite Funcionam?

Como dito anteriormente, os redutores de apetite em forma medicamentosa são compostos por substâncias que irão influenciar a atuação do sistema nervoso central, transmitindo mensagens falsas que o organismo já está saciado, fazendo com que a pessoa pense que não está com fome. Eles atuam em dois principais neurotransmissores – a serotonina e noradrenalina, que enviam sinais entre si e para o cérebro e fazem a recaptação desses sinais. Os inibidores retardam esse processo no cérebro, que faz com que a pessoa sinta-se saciada de maneira mais rápida.

Já os inibidores de apetite naturais trabalham de maneiras diferenciadas. Esses suplementos não atuam no cérebro e não provocam dependência. São naturais e podem ser utilizados por qualquer pessoa. Suas fórmulas variam entre si e atuam de maneira diferencia. Por exemplo:

  • Fibras: as fibras possuem a função de retardar a digestão e promover um efeito mas longo de saciedade. É ainda vantajoso por regular a sensação de bem-estar. Também ajudam no trânsito intestinal e acabam com o problema de intestino preso;
  • Gorduras boas: estas estimulam os hormônios da saciedade, que são aqueles responsáveis pelo envio das mensagens de satisfação ao cérebro e que, por sua vez, entende que a pessoa já está saciada. São gorduras que aumentam o HDL, o colesterol bom, e fazem bem para todo o organismo;
  • Vitaminas e minerais: se relacionam com a produção de serotonina – o neurotransmissor que faz a regulação da sensação de bem-estar e do apetite, promovendo a sensação de saciedade. Elas promovem o que o corpo precisa e ajuda a manter as funções do corpo.

Pode-se destacar que os redutores de apetite se dividem entre as medicações e os produtos naturais (incluindo alimentos) – as medicações são a forma mais comum e mais utilizada (especialmente por ser a forma recomendada pelos médicos). Os medicamentos são utilizados apenas para pessoas com algum risco de vida ou saúde, provocado pela obesidade, ou para quem já tem uma alimentação saudável, pratica esporte e mesmo assim não consegue emagrecer.

Os medicamentos geralmente são compostos por drogas da classe da anfetamina. Ou mesmo por outros tipos de medicamentos atuam no cérebro. Os redutores de apetite naturais são aqueles que têm em sua composição elementos como vitaminas, minerais, fibras, proteínas e gorduras saudáveis.

13 Melhores Inibidores de Apetite para Emagrecer

Ocorreram algumas contradições e mudanças nas leis sobre a proibição nas vendas de redutores de apetite. Atualmente, a venda é somente liberada para pessoas que tenham prescrição médica – e que está na classificação de obesidade e também estilo de vida levado pela pessoa. A legislação dentro do país vive mudando e a Anvisa está sempre permitindo e proibindo certos remédios. Por isso fique sempre atento.

Para substituir esses remédios, você pode apostar em suplementos. Ao contrário dos remédios com grandes quantidades de efeitos colaterais, os suplementos não colocam a saúde do consumidor em risco, apesar de poder ser um pouco menos efetivo. O mercado já aposta muito nas alternativas naturais e sem contraindicações, estas geralmente são compostas por alta concentração de nutrientes, que contribuem para o bom funcionamento do corpo.

É possível destacar que entre os 13 melhores inibidores de apetite estão 4 medicações e o restante se enquadra em produtos naturais, isso quer dizer que somente de incluir algumas classes de alimentos dentro do seu dia a dia já poderá ter a sensação de satisfação. Confira quais estão entre os mais recomendados:

1. Sibutramina: é o mais conhecido e usado no Brasil. Trabalha aumentando os níveis de serotonina e outras substâncias, proporcionando uma redução do apetite e uma sensação de saciedade e bem-estar.
Ele age como um antidepressivo.
2. 5HTP: é a sigla para a substância 5-hidroxitriptofano, é um suplemento feito a partir de um legume africano que age no aumento da síntese da serotonina, reduzindo a vontade de comer, melhorando o prazer e o humor.
3. Anfepramona (ou outro anfetamínico, tal como o mazindol): inibe o apetite, agindo no sistema nervoso central. O grande destaque é que o apetite é perdido de forma muito rápida.
4. Orlistat: é um remédio que age no intestino, fazendo com que se reduza em até 30% a ação da enzima responsável pela absorção da gordura.
5. Gengibre: é um poderoso alimento que pode ser utilizado em forma de chá ou mesmo na alimentação, sendo um estimulante, melhorando a digestão, aumentando o metabolismo, queimando a gordura e deixando a fome bem longe.
6. Chá verde: graças às catequinas presentes nesta bebida, há a inibição do movimento da glicose nas células de gordura.
Isso faz com que haja maior lentidão no aumento do açúcar no sangue, impedindo os picos de insulina e o armazenamento de gordura.
7. Maçã: fruta rica em fibras e em pectina, substância que age diretamente na sensação de saciedade.
8. Aveia: faz com que a digestão seja lenta, promovendo a saciedade por mais tempo, além de ter um índice glicêmico muito baixo.
9. Água: para hidratar o corpo e também para reduzir a ingestão de calorias das refeições. A água contribui para a sensação de saciedade também.
10. Chá de hortelã: é um calmante, que ajuda a reduzir a ansiedade – um fator que também aumenta a compulsão alimentar.
11. Chá de erva doce: tipo de erva que além de ajudar a emagrecer, pode também reduzir o apetite e a vontade de comer doces.
12. Linhaça:composta por fibras solúveis e ácidos graxos essenciais.
13. Abacate: rico em fibras e gordura monoinsaturada, consegue controlar o apetite.

Efeito colaterais dos inibidores

A Sibutramina, embora diminua a vontade de ingerir carboidratos, tem como desvantagens a perda de eficácia com o tempo, além de apresentar alguns efeitos colaterais, entre os quais: boca seca, insônia, prisão de ventre, irritabilidade e dor de cabeça leve. O mesmo vale para outros medicamentos em que o efeito colateral é a perda de peso, tais como a Fluoxetina.

O 5HTP, por sua vez,  pode ocasionar danos hepáticos quando administrado em dose inadequada, além de náuseas e problemas gastrointestinais.

Os anfetamínicos podem causar dependência física e química, sendo que suas reações colaterais levam à agitação, insônia, taquicardia e irritabilidade. Alguns casos podem chegar aos sintomas parecidos com os da síndrome do pânico e os de distúrbios cardiovasculares.

Por último, o Orlistat pode causar diarreia e carência de vitaminas. O medicamento já chegou a ser discutido pelos médicos como uma alternativa a ser retirada do mercado devido suas consequências para a pressão arterial e ainda porque pode ajudar a desenvolver certo risco cardíaco.

Na lista você pode conferir alguns alimentos que ao ser consumidos in natura ajudam naturalmente você a controlar o seu apetite e garantir que não exagere nas refeições. No entanto, o problema é conseguir inserir a quantidade correta destes alimentos no seu cardápio sem estragar com a dieta. Muitas farinhas, tipos de leites e frutas são considerados redutores de apetite somente pelo fato de ter grande quantidade de calorias – para quem pretende emagrecer esta também não seria a melhor solução.

Suplementos naturais como alternativa – Quitoplan

As melhores alternativas hoje no mercado são os suplementos naturais que tem fórmulas 100% naturais e já previamente pensadas para garantir a satisfação e queima calórica sem necessidade da prática de exercícios físicos. Uma das que é melhor conceituada no mercado é o Quitoplan.

A fórmula é composta por folhas verdes como Plantas Nativas americanas e casca de crustáceos de águas profundas. Ao contrário de outros componentes estes ingredientes naturais tem baixa taxa calórica e forma um gel no estômago que ajuda no controle da fome. No entanto, além disso, os efeitos termogênicos e desintoxicantes vão também ajudar a acelerar seu organismo para o máximo de queima calórica sem necessidade de realizar exercícios físicos ou mudar drasticamente a sua alimentação.

Outro benefício é que ele é um dos poucos que foi aprovado pela Anvisa e conta com todas as certificações da vigilância da saúde  – o que garante a eficiência e confiabilidade do produto. Se você tem interesse em saber mais ou comprar clique no botão abaixo.

 


Ajude a melhor ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (30 votos, média: 4,13 fora de 5)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Um Comentário

  1. edineide da silva

Deixe um Comentário