Redutores de Apetite – Conheça como eles podem te ajudar a perder peso

Existem alguns medicamentos no mercado chamados de redutores de apetite (ou também de inibidores de apetite) que são liberados para atuação em pessoas que buscam um aliado na perda de peso.

Os redutores de apetite agem diminuindo a fome e prolongando a sensação de saciedade, mas eles podem agir de diferentes formas: por meio da função termogênica ou presença de fibras, por exemplo. Com isso, facilitam a fidelidade à dietas e minimizam a ansiedade e compulsão alimentar.

Os inibidores de apetites são como uma classe dos remédios para emagrecer vendidos em farmácias. Mesmo que grande parte – principalmente as fórmulas naturais – não possuam retenção de receita médica, recomenda-se fazer uma consulta para ter certeza que o uso de redutores da fome realmente vão ajudar no emagrecimento.

O que é inibidor de apetite

Os inibidores ou redutores de apetite são classificados como medicamentos anorexígenos que possuem uma ação direta na redução do apetite e no controle da sensação de fome. Ao manter-se saciado, fica mais fácil controlar transtornos alimentares, como a compulsão, vício em doces ou adaptar-se a regimes alimentares.

Quem sofre de problemas relacionados a transtornos de ansiedade deve, conforme recomendam os nutricionistas, só fazer o uso de redutores de apetites ao mesmo tempo que se valem de outras formas de tratamento da ansiedade, o que pode levar em consideração terapias alternativas ou uso de medicação específica.

Os redutores de apetite podem ser somente comprados com apresentação de receita médica, pois é recomendável para pessoas com obesidade. Conforme indica a médica Edna Melo em entrevista ao UOL, estas substâncias são recomendadas somente aqueles que apresentem Índice de Massa Corporal (IMC) acima de 30 e mediante acompanhamento apropriado. 

Como funcionam os redutores de apetite?

A medicação que inibe o apetite pode agir diretamente no sistema nervoso central, em uma parte do cérebro chamada de hipotálamo – responsável pelo controle da sensação de fome e de ansiedade.

Já os redutores de apetite naturais usam altas concentrações de fibra, a qual faz a  formação de um gel no estômago e intestino que lhe manterá mais tempo com a sensação de satisfação. Ao tornar o processo digestivo mais lento, demora muito mais para que ele chegue ao fim e para que a pessoa fique novamente com fome.

A indicação destes medicamentos são para garantir perdas de peso mais rápidas e ajudar no controle de processos de emagrecimento. Assim, pessoas que estão acostumadas a ingerir grandes quantidades de alimento não sofrem tanto durante o processo de perda de peso.

Inibidores de apetite naturais

Os inibidores de apetite naturais trabalham de maneiras diferenciadas. Esses suplementos não atuam no cérebro e não provocam dependência. São naturais e podem ser utilizados por qualquer pessoa. Suas fórmulas variam entre si e atuam de maneira diferencia. Por exemplo:

  • Fibras: as fibras possuem a função de retardar a digestão e promover um efeito mas longo de saciedade. É ainda vantajoso por regular a sensação de bem-estar. Também ajudam no trânsito intestinal e acabam com o problema de intestino preso. Já mostramos aqui a lista de alimentos rico em fibras.
  • Gorduras boas: estas estimulam os hormônios da saciedade, que são aqueles responsáveis pelo envio das mensagens de satisfação ao cérebro e que, por sua vez, entende que a pessoa já está saciada. São gorduras que aumentam o HDL, o colesterol bom, e fazem bem para todo o organismo;
  • Vitaminas e minerais: se relacionam com a produção de serotonina – o neurotransmissor que faz a regulação da sensação de bem-estar e do apetite, promovendo a sensação de saciedade. Elas promovem o que o corpo precisa e ajuda a manter as funções do corpo.

Pode-se destacar que os redutores de apetite se dividem entre as medicações e os produtos naturais (incluindo alimentos) – as medicações são a forma mais comum e mais utilizada (especialmente por ser a forma recomendada pelos médicos).

Os medicamentos geralmente são compostos por drogas da classe da anfetamina. Ou mesmo por outros tipos de medicamentos atuam no cérebro. Os redutores de apetite naturais são aqueles que têm em sua composição elementos como vitaminas, minerais, fibras, proteínas e gorduras saudáveis.

Chás para tirar a fome

Os chás naturais são um dos usos dos redutores naturais de apetite. As receitas que realmente funcionam para este fim aquelas reguladoras dos níveis de glicose no sangue ou que possuem grande quantidade de fibras:

Conheça aqui receitas de chás emagrecedores. 

Lembre-se que há diferença entre o potencial termogênico e o inibidor do apetite. No caso da termogênese é o aumento da temperatura corporal que fará com que a pessoa gaste mais calorias e acabe emagrecendo, já o inibidor de apetite só irá saciar, facilitando a fidelidade à dietas e processos de reeducação alimentar.

 

Conheça 13 Inibidores de Apetite para Emagrecer

Ocorreram algumas contradições e mudanças nas leis sobre a proibição nas vendas de redutores de apetite. Atualmente, a venda é somente liberada para pessoas que tenham prescrição médica – e que está na classificação de obesidade e também estilo de vida levado pela pessoa.

Para substituir esses remédios, você pode apostar em suplementos. Ao contrário dos remédios com grandes quantidades de efeitos colaterais, os suplementos não colocam a saúde do consumidor em risco, apesar de poder ser um pouco menos efetivo.

O mercado já aposta muito nas alternativas naturais e sem contraindicações, estas geralmente são compostas por alta concentração de nutrientes, que contribuem para o bom funcionamento do corpo.

É possível destacar que entre os 13 melhores inibidores de apetite estão 4 medicações e o restante se enquadra em produtos naturais, isso quer dizer que somente de incluir algumas classes de alimentos dentro do seu dia a dia já poderá ter a sensação de satisfação. Confira quais estão entre os mais recomendados:

1. Sibutramina: é o mais conhecido e usado no Brasil. Trabalha aumentando os níveis de serotonina e outras substâncias, proporcionando uma redução do apetite e uma sensação de saciedade e bem-estar.
Ele age como um antidepressivo.
2. 5HTP: é a sigla para a substância 5-hidroxitriptofano, é um suplemento feito a partir de um legume africano que age no aumento da síntese da serotonina, reduzindo a vontade de comer, melhorando o prazer e o humor.
3. Anfepramona (ou outro anfetamínico, tal como o mazindol): inibe o apetite, agindo no sistema nervoso central. O grande destaque é que o apetite é perdido de forma muito rápida.
4. Orlistat: é um remédio que age no intestino, fazendo com que se reduza em até 30% a ação da enzima responsável pela absorção da gordura.
5. Gengibre: é um poderoso alimento que pode ser utilizado em forma de chá ou mesmo na alimentação, sendo um estimulante, melhorando a digestão, aumentando o metabolismo, queimando a gordura e deixando a fome bem longe.
6. Chá verde: graças às catequinas presentes nesta bebida, há a inibição do movimento da glicose nas células de gordura.
Isso faz com que haja maior lentidão no aumento do açúcar no sangue, impedindo os picos de insulina e o armazenamento de gordura.
7. Maçã: fruta rica em fibras e em pectina, substância que age diretamente na sensação de saciedade.
8. Aveia: faz com que a digestão seja lenta, promovendo a saciedade por mais tempo, além de ter um índice glicêmico muito baixo.
9. Água: para hidratar o corpo e também para reduzir a ingestão de calorias das refeições. A água contribui para a sensação de saciedade também.
10. Chá de hortelã: é um calmante, que ajuda a reduzir a ansiedade – um fator que também aumenta a compulsão alimentar.
11. Chá de erva doce: tipo de erva que além de ajudar a emagrecer, pode também reduzir o apetite e a vontade de comer doces.
12. Linhaça:composta por fibras solúveis e ácidos graxos essenciais.
13. Abacate: rico em fibras e gordura monoinsaturada, consegue controlar o apetite.

Anvisa e a regulamentação dos redutores

Apesar de parecer ser uma boa alternativa para quem quer uma ajudinha na perda de peso, os inibidores de apetite não são bem vistos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Em 2017 foi sancionado pelo presidente da Câmera Rodrigo Maia, o projeto de lei  lei 2.431/2011 que autoriza a produção comercialização e consumo destes produtos, o que até 2011 tinha sido bloqueado pela instituição reguladora por conta dos perigosos efeitos colaterais.

Por ser da classe das anfetaminas (com exceção das alternativas naturais) podem ocasionar pequenos níveis de dependência, bem como proporciona remédios como a Sibutramina.

Para Jarbas Barbosa, diretor-presidente da Anvisa, os estudos mostram que os medicamentos não são eficazes a longo prazo. Alguns médicos, no entanto, advertem que nem todos os inibidores se encaixam nas pesquisas referidas, como o que acontece com a liraglutida, uma medicação de preços proibitivos (média de R$ 900,00) mas que consegue reduzir o peso a longo prazo.

Efeito colaterais dos inibidores

Os inibidores de apetite já foram medicações de venda proibida no país por mais de 7 anos. Isso se deu por conta de um conjunto de estudos reunidos pela Anvisa, que os utilizou de justificativa para restringir o uso da substância.

As pesquisas demonstram que a eficácia deste tipo de droga é baixa e proporciona uma série de reações adversas tais como:

  • Arritmia;
  • Dependência;
  • Distúrbios psicóticos;
  • Tontura;
  • Náuseas;
  • Cansaço físico e mental;
  • Palpitações;
  • Insônia;
  • Transtorno obsessivo-compulsivo.

No entanto, estes efeitos podem variar muito de acordo com o tipo do inibidor de apetite. A Sibutramina, embora diminua a vontade de ingerir carboidratos, tem como desvantagens a perda de eficácia com o tempo, além de apresentar alguns efeitos colaterais, entre os quais: boca seca, insônia, prisão de ventre, irritabilidade e dor de cabeça leve.

O 5HTP, por sua vez,  pode ocasionar danos hepáticos quando administrado em dose inadequada, além de náuseas e problemas gastrointestinais.

Os anfetamínicos podem causar dependência física e química, sendo que suas reações colaterais levam à agitação, insônia, taquicardia e irritabilidade. Alguns casos podem chegar aos sintomas parecidos com os da síndrome do pânico e os de distúrbios cardiovasculares.

Contraindicações

Antes de tomar qualquer medicação é preciso consultar um médico. Cardíacos, diabéticos, mulheres grávidas ou mediante aleitamento e crianças principalmente devem evitar o uso dos inibidores.

Remédio para ansiedade emagrece?

Os redutores de apetite em forma medicamentosa são compostos por substâncias que irão influenciar a atuação do sistema nervoso central, transmitindo mensagens falsas que o organismo já está saciado, fazendo com que a pessoa pense que não está com fome. Algumas medicações que podem acelerar o emagrecimento são os recaptadores de serotonina, classe de remédios antidepressivos como a fluoxetina e ansiolíticos.

Eles atuam em dois principais neurotransmissores – a serotonina e noradrenalina, que enviam sinais entre si e para o cérebro e fazem a recaptação desses sinais. Os inibidores retardam esse processo no cérebro, que faz com que a pessoa sinta-se saciada de maneira mais rápida.

 

A automedicação nunca deve ser feita, pois todo medicamento possui prós e contras, cabendo ao médico avaliar se o paciente deve fazer uso ou não. A melhor forma de perder peso com segurança é através de dietas e exercícios físicos, portanto, é interessante também consultar um nutricionista.


Referências utilizadas neste conteúdo:

ANVISA. Eficácia e segurança dos medicamentos inibidores de apetite. Disponível em <http://www.anvisa.gov.br/hotsite/anorexigenos/pdf/Nota_Tecnica_Anorexigenos.pdf>

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Tratamento farmacológico da obesidade: a perspectiva da saúde pública. Disponível em <https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S0102-311X2011000300001&script=sci_arttext&tlng=en>

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE. O uso de inibidores de apetite por mulheres: um olhar a partir da perspectiva de gênero. Disponível em <https://www.scielosp.org/scielo.php?pid=S1413-81232011000500022&script=sci_arttext>

ANVISA. Cloridrato de sibutramina monoidratado. Disponível em <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=9762462015&pIdAnexo=2936673>

ANVISA. Bula orlistate. Disponível em <http://www.anvisa.gov.br/datavisa/fila_bula/frmVisualizarBula.asp?pNuTransacao=12975632016&pIdAnexo=3127094>


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

3 Comentários

  1. edineide da silva
  2. Glomboni
    • Quero Viver Bem

Deixe um Comentário