Quais as causas do ronco alto? Entenda como descobrir aqui!

Sofre com o seu parceiro que ronca muito? Entenda, aqui, quais as causas desse problema e como trata-lo adequadamente para cada caso!

Apneia do sono, obesidade, excesso de álcool, obstrução nasal e flacidez na musculatura estão entre as principais causas do ronco alto, aquele que atrapalha o sono do acometido pelo problema e também da pessoa que dorme ao lado.

Na realidade, muitas pessoas roncam, entretanto, é necessário entender quando esse ronco é normal ou patológico, ou seja, que se trata de um indicativo de doença mais grave.

Ronco

Como descobrir a causa do ronco alto?

O ronco é caracterizado pelo barulho causado pela vibração dos tecidos da faringe quando o ar passa por eles.  Algumas pessoas simplesmente roncam quando dormem de barriga para cima, pois a língua cai para trás e reduz o espaço do ar na garganta.

No entanto, outros indivíduos podem ter alguma doença e não sabem, como é o caso da apneia do sono, que é uma das causas mais graves do ronco e, a longo prazo, pode impactar inclusive o coração.

Na apneia, ocorre uma queda na oxigenação do sangue, fazendo com que a pressão arterial e a frequência cardíaca aumentem enquanto a pessoa dorme.

Essas quedas de oxigenação aumentam os riscos de o indivíduo ter infarto do miocárdio, AVC e arritmia cardíaca. Sem mencionar que a pessoa fica sem respirar mais de 10 segundos durante uma crise enquanto dorme.

Para saber se você tem essa doença, é importante consultar um cardiologista e solicitar o exame de monitoramento do sono. Por meio dele será identificado o grau do problema e orientado um tratamento, como o uso de CPAP, as terapias ou até mesmo uma cirurgia.

Ronco

[VEJA TAMBÉM: TRATAMENTO PARA QUEM RONCA MUITO]

Em contrapartida, outros fatores devem ser considerados como a causa do ronco alto, são eles:

  • Refluxo gastresofágico;
  • Obesidade;
  • Problema nas amígdalas;
  • Adenoides muito grandes;
  • Desvio de septo;
  • Pólipos nasais;
  • Obstrução crônica do nariz;
  • Maus hábitos alimentares, sobretudo antes de ir dormir;
  • Consumo de álcool.

Nesses casos, o ideal é procurar orientação de um otorrinolaringologista ou gastroenterologista. É fundamental descobrir a causa para um tratamento adequado e direcionado.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário