Polissonografia – Como funciona o exame? Preço e indicações

Quando deve ser feita a polissonografia? Entenda aqui as indicações do exame, como interpretar resultados, preços e detalhes sobre o procedimento de análise do sono.

Os distúrbios de sono se tornaram cada vez mais comuns na sociedade. E esses problemas causam reflexos em muitos aspectos na vida da pessoa acometida por esse mal. Os distúrbios mais comuns são insônia, apneia do sono, bruxismo, narcolepsia (sono excessivo), ronco, paralisia do sono, síndrome das pernas inquietas, sonambulismo, enurese noturna (micção involuntária durante o sono) e terror noturno.

São várias os problemas que podem atrapalhar o sono das pessoas. Por terem causas diferentes, os diagnósticos dos distúrbios do sono podem ser feitos por exames como o Teste de Latências Múltiplas do Sono (TLMS), Teste de Manutenção de Vigília (TMV) e a Polissonografia.

O que é a Polissonografia?

Polissonografia trata-se de um tipo de exame capaz de diagnosticar diversos distúrbios do sono. Isso é possível mediante a análise de vários dados coletados por meio de eletrodos colados ao paciente durante uma noite de sono. O exame não é invasivo, podendo ser realizado tanto em crianças quanto em adultos. No exame, são monitoradas a atividade cerebral e muscular, o movimento dos olhos e a respiração, os níveis de gás carbônico, a oxigenação do sangue e a posição ao dormir.

A polissonografia pode ser realizada pelo SUS, desde que exista encaminhamento médico. Vários planos de saúde também possuem cobertura para esse exame.

polissonografia quando fazer

Como funciona?

O exame é feito durante o sono. Por isso, o paciente deve passar uma noite na clínica sob acompanhamento de um técnico responsável, que só fará intervenções quando necessário. Antes do exame, o paciente responde a um questionário. Depois, é levado para o quarto em que irá ser realizada a polissonografia.

O técnico colocará eletrodos pelo corpo do paciente e um clipe de dedo, para monitoramento da noite de sono do paciente. Pessoas que apresentem apneia do sono podem fazer uso também de uma máscara nasal.

Esses eletrodos são os responsáveis por coletar todos os dados do paciente durante o período de sono. Esses dados consistem em: eletroencefalograma, eletro-oculograma, eletro-miograma, oximetria, capnografia, sensor de ronco e sensor de movimento de membros inferiores. O exame também é gravado em vídeo, para auxiliar a análise dos dados coletados.

A polissonografia tem a mesma duração que uma noite habitual de sono. O paciente pode se levantar para ir ao banheiro normalmente, caso precise. Depois do exame, a pessoa poderá retornar às suas atividades habituais, sem quaisquer ressalvas.

Os únicos incômodos que podem haver no exame são dormir em um local diferente do que está habituado e os fios que podem causar problema na movimentação – mas, os técnicos tentam posicionar os fios de uma forma que não atrapalhe o sono do paciente. Então, geralmente, o exame costuma correr de forma satisfatória.

Atualmente, é possível fazer a polissonografia em casa, mas são mais caras. Além disso, não é coberta pela maioria dos planos de saúde, não sendo tão completa quanto a realizada nas clínicas.

Como são os resultados?

O resultado do exame é obtido pela análise em conjunto dos diversos dados coletados durante a noite de sono do paciente. Como cada fase do sono tem características próprias, o especialista analisa as informações captadas pelos eletrodos, respeitando cada uma dessas fases. Entram também em análise o tempo que o paciente passou efetivamente dormindo, a quantidade de despertares noturnos e outras ocorrência durante o período do exame.

As análises obtidas por meio dos eletrodos podem ser comparadas com as imagens filmadas durante o exame, mas somente com todos os dados analisados é possível emitir uma conclusão final.

polissonografia como funciona

Preparo antes do exame e contraindicações

O exame é simples e não invasivo, mas, ainda sim,precisa de alguns preparos para sua realização.

  • Os cabelos devem estar limpos. Não devem ter sido aplicados condicionadores, cremes e géis de cabelo, para não dificultar a colagem dos eletrodos;
  • A pele também deve estar limpa e sem maquiagem;
  • Não usar esmaltes escuros;
  • Trazer objetos pessoais, como escova de dentes e de cabelo, pijamasou camisolas sem elástico nos pulsos e tornozelos;
  • Se for mais confortável para o paciente, poderá também levar o travesseiro com que esteja habituado a dormir;
  • Não é recomendado a ingestão de café, refrigerantes e outras bebidas ou alimentos que contenham cafeína por, no mínimo, 24h antes ao exame;
  • Não ingerir bebidas alcoólicas, pelo menos, nas 48h antes do exame;
  • Fazer uso de todos os medicamentos de uso contínuo, a menos que a suspensão seja recomendação médica;
  • Relatar todos os medicamentos utilizados nas últimas 72h anteriores ao exame;
  • O exame deverá ser remarcado se o paciente estiver gripado, resfriado, com febre, com tosse ou qualquer outra doença que interfira no sono.

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

2 Comentários

  1. Cristiane amaral
    • webgocontent

Deixe um Comentário