Piores Alimentos Para A Saúde

Nos dias atuais, com o aumento do número de pessoas em busca de uma alimentação saudável, muito se tem pesquisado acerca dos alimentos: benefícios, malefícios, formas de preparo, dentre outros. Existem aqueles que geram uma certa polêmica, em que alguns pesquisadores acreditam que são alimentos bons e outros os denominam como “vilões” da saúde, como é o caso do ovo, do leite e de algumas frutas.

Contudo, há vários alimentos que são unânimes quanto aos seus malefícios, ou seja, é certo que podem fazer mal à maioria das pessoas, se consumidos em excesso. Dentre eles, podemos citar as frituras, o açúcar e os industrializados.

Abaixo, veremos mais detalhadamente quais são os piores alimentos para a saúde.

Frituras

Durante o preparo dos alimentos, eles podem sofrer algumas alterações em sua estrutura. No caso das frituras, o alimento entra em contato com o óleo quente, fazendo com que este produza algumas substâncias tóxicas, devido à exposição à água, ao oxigênio e ao calor. Uma dessas substâncias chama-se acroleína, composto que pode aumentar o risco de câncer, principalmente de próstata, pulmão e cólon.

Um estudo realizado em 2009 constatou que os óleos vegetais passam a formar acroleína já a partir dos 180°C, tendo seu “pico de formação” aos 240°C. Os óleos reutilizados foram os que mais apresentaram este composto. Além disso, o mesmo estudo verificou que há produção de acroleína não somente em frituras, mas em vários tipos de preparações a altas temperaturas, como assados, grelhados, tostados, cozidos.

Frituras - Piores Alimentos

Outro componente que pode se formar a altas temperaturas é a acrilamida, quando o alimento, principalmente os ricos em amido (como a batata e o pão) são grelhados, tostados ou fritos com calor intenso. Existe uma lei nos EUA conhecida como “Proposta 65”, a qual alerta sobre o consumo de 900 substâncias perigosas à saúde, sendo a acrilamida uma delas. Esta, assim como a acroleína, também possui potencial cancerígeno.

Além disso, o consumo excessivo de frituras pode causar ganho de peso e doenças ao coração, pois, quando o alimento é aquecido, o óleo transforma-se em gordura saturada, que ao se concentrar nos vasos sanguíneos entope as artérias, podendo causar infarto ou AVC.

Portanto, evite as frituras e, ao substitui-las por outro método de cozimento (grelhado, assado, cozido) lembre-se de não deixar o alimento exposto muito tempo ao calor, evitando, assim, a formação de substâncias tóxicas.

Açúcares

O queridinho das crianças e da maioria da pessoas, o açúcar é um dos alimentos que mais faz mal à saúde. Isso porque ele, se consumido em excesso, pode ocasionar diversas doenças como diabetes, dislipidemias, obesidade e até mesmo depressão.

Sem valor nutricional algum, o açúcar refinado é o mais prejudicial deles: é um carboidrato simples, formado por uma molécula de glicose e uma de frutose, que começa a ser absorvido assim que é posto na língua, ou seja, a glicose vai para o sangue rapidinho, aumentando o índice glicêmico quase que instantaneamente. Há outros tipos de açúcares, como mascavo, demerara, cristal, mel, que também são carboidratos simples e possuem as mesmas calorias do comum, com o diferencial de conterem alguns nutrientes a mais.

Açúcares - Piores Alimentos

Um dos piores problemas do açúcar é que, por ter um sabor extremamente agradável ao paladar (docinho), ele acaba provocando um descontrole no consumo, ou seja, a grande maioria das pessoas acaba comendo em excesso, muito mais que o necessário, e é aí que mora o perigo!

O corpo acumula os excessos de macronutrientes (carboidratos, proteínas e gorduras) na forma de gordura, o que gera o aumento de peso. Esse, se muito severo, leva à obesidade e a várias doenças relacionadas, como diabetes, colesterol alto, pressão alta, gordura no fígado, triglicerídeos, entre outros.

Estudos recentes mostram que o açúcar e outros carboidratos refinados (pães e massas brancas) estimulam regiões do cérebro responsáveis pela dependência química e compulsão alimentar. Isso quer dizer que o açúcar pode ser considerado viciante: quanto mais se come, mais se quer, e é por isso que é tão difícil ficar longe dele.

E não é apenas o excesso de açúcar comum, o branquinho, que faz mal! Fique atento aos rótulos dos alimentos, pois muitos deles contêm açúcar disfarçado com outros nomes, como açúcar mascavo, açúcar demerara, açúcar invertido, mel, melado, maltodextrina, xarope, frutose, sacarose, dextrose, entre outros.

Portanto, tente diminuir o consumo aos poucos, acostumando seu paladar ao verdadeiro sabor dos alimentos. Investir em uma alimentação natural é crucial, pois a grande maioria dos industrializados contém açúcar, até mesmo os salgados.

Industrializados e processados

A correria do dia a dia, muitas vezes, nos faz optar por alimentos prontos, mais rápidos e fáceis de serem consumidos. O mercado, muito atento a isso, possui uma gama imensa de produtos prontos, ou quase prontos para o consumo, facilitando a vida de muitos.

Industrializados - Piores Alimentos

Mas, pare para pensar: como um alimento, que normalmente estragaria rápido na sua geladeira, dura meses ou anos na embalagem? Ou então, como é que meu biscoito feito em casa fica mole em 2 dias sendo que o do mercado fica crocante e delicioso por muito tempo? A indústria alimentícia utiliza de várias artimanhas para produzir alimentos muito saborosos e duradouros, sendo eles:

Açúcar

Como já comentado, o açúcar serve para adoçar e conservar os alimentos, com um sabor agradável, por isso é bastante utilizado em produtos industrializados, sejam doces ou salgados, como bolachas recheadas, biscoitos, sorvete, bebidas – como suco e refrigerante -, chocolates, balas, molhos – como shoyu, catchup, mostarda -, dentre outros.

Sódio

Muito conhecido na forma de cloreto (sal), ele confere o sabor salgado aos alimentos, sendo um dos principais conservantes alimentícios. Todos os industrializados possuem grande quantidade de sódio em sua composição, a fim de que durem mais tempo nas prateleiras. O consumo elevado deste nutriente resulta no aumento da pressão arterial (hipertensão) e retenção de líquidos (inchaço).

Os alimentos campeões em sódio são temperos prontos, salgadinhos, macarrão instantâneo, embutidos (mortadela, salsicha, presunto, peito de peru, salame), enlatados em conserva (milho, ervilha, palmito), pratos congelados (lasanha, pizza, sopa), refrigerantes zero.

Produtos químicos

Conservantes, corantes, texturizantes, flavorizantes, aromatizantes… já leu algum desses nomes nos rótulos de alimentos industrializados? Provavelmente sim, porque são aditivos químicos usados para melhorar a qualidade do produto final, seja na cor, no sabor, no cheiro ou na durabilidade. Como são extremamente artificiais, podem causar alergias e prejudicar a saúde do consumidor.

Gordura trans

Assim como o açúcar, a gordura trans também dá sabor aos industrializados, além de textura. Normalmente, utiliza-se um óleo vegetal mais barato na fabricação, que é hidrogenado e transformado em trans. O consumo exagerado desse tipo de gordura pode ocasionar obesidade, aumento de colesterol e triglicerídeos, doenças cardiovasculares, gordura no fígado, inflamações, câncer de mama, entre outros.

Essa substância é encontrada em maior quantidade em margarinas, biscoitos e bolachas, sorvetes, chocolates, salgadinhos, embutidos e pratos congelados.

Por serem bastante artificias, os alimentos industrializados e processados não possuem grandes quantidades de nutrientes, não agregando valor nutricional à alimentação. Além disso, possuem várias substâncias que fazem mal ao organismo. Portanto, procure substituí-los por alimentos frescos e naturais, sempre que possível, e quando quiser comer algo diferente, que tal você mesmo preparar? Com certeza, a qualidade de um produto caseiro será bem melhor que a de um industrial.

Uma alimentação balanceada é imprescindível para manter a saúde em dia. Por isso, vale a pena investir em alimentos de maior qualidade, mais frescos e naturais – as famosas “comidas de verdade”. Ao fazer isso, você estará evitando muitas doenças e melhorando a sua qualidade de vida. Sua saúde e seu corpo agradecem!


Referências:

Como o Brasil trata a acrilamida. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/geral-43805098> Acessado em: 3 de set de 2018.

O que é acrilamida. Disponível em: <http://portal.anvisa.gov.br/perguntas-alimentos> Acessado em: 3 de set de 2018.

Scientific Opinion on acrylamide in food. Disponível em: < https://efsa.onlinelibrary.wiley.com/doi/epdf/10.2903/j.efsa.2015.4104> Acessado em: 3 de set de 2018.

Acroleína: riscos à saúde. < http://nutricaoempauta.com.br/lista_artigo.php?cod=2162> Acessado em: 3 de set de 2018.

Recomendações de ingestão e rotulagem de gordura trans em alimentos industrializados brasileiros. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rsp/v46n5/20.pdf> Acessado em: 3 de set de 2018.

A high-glycemic diet is associated with cerebral amyloid burden in cognitively normal older adults. Disponível em: <https://academic.oup.com/ajcn/article/106/6/1463/4823177?searchresult=1> Acessado em: 3 de set de 2018.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (Ainda sem avaliações)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Deixe um Comentário