Passiflora – Benefícios, Como usar, Indicações e Contraindicações

A Passiflora é um excelente calmante natural, que auxilia no controle da depressão e ansiedade, também diminuindo o inchaço, as infecções e a pressão arterial.

Essa é uma planta originária da América do Norte e Sul, onde o clima é mais quente. Porém, muitas espécies são cultivadas ao redor do mundo, por conta de suas flores que são lindas, coloridas e muito viçosas, além de produzirem frutos deliciosos.

Ela tem inúmeros benefícios para a saúde. Se você quer saber mais sobre, confira este artigo completo que o Quero Viver Bem preparou para você e se surpreenda com as contribuições dessa planta maravilhosa para a sua saúde!

Passiflora

[CONFIRA TAMBÉM: COENZIMA Q10]

Benefícios da Passiflora

A passiflora apresenta inúmeros benefícios ao organismo, já que é ótima para distúrbios do sono, melhora do humor, mulheres com ondas de calor, regulagem da pressão arterial, controle do déficit de atenção, hiperatividade, entre muitos outros.

Confira alguns desses poderes naturais mais detalhadamente, a seguir.

Equilibra o humor

Como a passiflora possui efeitos calmantes e relaxantes, ela faz com que o humor fique equilibrado, sem que a pessoa sofra com efeitos colaterais. Além de ser natural, a passiflora pode ser administrada até em crianças, com uma dosagem menor.

Melhora o sono

Dormir uma noite tranquila é fundamental para as pessoas. E aquelas que não conseguem dormir direito sofrem com vários problemas decorrentes do mau dormir.

Depois de consumir a passiflora, estudos comprovaram que os pacientes dormiram noites muito mais tranquilas. O resultado deve ser por conta do efeito calmante que a erva tem.

[CONFIRA TAMBÉM: SUPLEMENTO ESTROGÊNIO]

Reduz ondas de calor e depressão na menopausa

A GABA, uma substância presente no cérebro, que é o ácido aminobutírico, quando está baixa, principalmente na menopausa, está associada à depressão e à ansiedade.

Para isso, a passiflora tem papel importante, pois aumenta os níveis de GABA, diminuindo a depressão e seus sintomas. A planta também diminui as ondas de calor, os conhecidos fogachos que ocorrem em mulheres quando estão na menopausa.

Controla a pressão arterial

O extrato de passiflora, que possui propriedades que promovem a GABA, aumenta o nível de enzimas antioxidantes e ao mesmo tempo diminui graus de lipídios oxidados. Por consequência, ameniza a pressão arterial alta.

Diminui a ansiedade

Seu potencial calmante e relaxante faz com que o indivíduo tenha mais calma. Tudo isso ocorre por conta do aumento da GABA, substância química do cérebro. Com seu acréscimo, a planta promove o alívio da ansiedade sem que seja prejudicial ao corpo, ou que deixe o indivíduo sonolento interferindo na sua rotina diária.

Passiflora

[CONFIRA TAMBÉM: L-CARCITINA]

Ajuda a tratar TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade)

Esse é um tipo de transtorno que traz muitas preocupações aos pais. As crianças que apresentam TDAH ficam desatentas, possuem impulsividade e têm hiperatividade. Estudos mostram que, após fazer uso da passiflora, essas crianças tiveram melhora. Porém, é importante consultar o médico antes de fazer uso da substância.

Diminui a inflamação

A Passiflora é rica em nutrientes fitonutrientes e antioxidantes das espécies P. tenuifila e P. setácea, que são essenciais para diminuir as inflamações que causam doenças.

[CONFIRA TAMBÉM: TRIBULUS TERRESTRIS]

Como usar Passiflora?

A Passiflora pode ser ingerida de 2 cápsulas por dia, mas você também pode encontra-la em gotas. A dosagem a ser administrada vai depender de cada caso a critério médico.

Indicações e contraindicações

[CONFIRA TAMBÉM: GINKGO BILOBA]

A passiflora é indicada em todos os casos já citados acima, entre muitos outros, como no emagrecimento. Porém, ela é contraindicada em pacientes que tenham sensibilidade aos componentes da fórmula, mulheres que estão amamentando ou que estão grávidas e crianças menores de 12 anos.

Ela também é indicada em outros casos como:

  • Epilepsia
  • Antiespasmódico
  • Analgésico
  • Anti-asmático
  • Vermicida
  • Neurose e neuralgia
  • Histeria
  • Diarreia
  • Queimaduras
  • Hemorróidas

Lembre-se que antes de fazer uso do medicamento é importante consultar o seu médico.

Consumo diário

Se for em cápsulas, a dosagem diária deve ser de 2 cápsulas, de duas a três vezes ao dia, ou a critério médico. No caso da solução oral, deve ser ministrado 10 a 15 ml, duas a três vezes ao dia.

[CONFIRA TAMBÉM: MALTO]

Como já foi dito, é importante ressaltar que nenhum tipo de medicamento deve ser ingerido sem o consentimento médico, pois cada caso é ímpar e não pode ser ingerido com outros medicamentos.

Cuidar da saúde é muito importante, principalmente se você puder optar por medicamentos naturais que ofereçam menos efeitos colaterais.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário