O que furúnculo? Sintomas, Tratamento e Como prevenir

Você sabe qual a origem do furúnculo? Aqui no Quero Viver Bem você confere formas e métodos de tratamento e prevenção desse problema!

A pele humana é como um envelope, serve como uma barreira contra a infecção de microrganismos e outros agentes patogênicos. Assim, qualquer abertura nesta estrutura pode levar a doenças. O hábito que temos de passar as mãos pelo rosto pode colaborar muito para que haja contaminação do nosso organismo. Assim, manter as mãos sempre limpas, principalmente as unhas, é uma das melhores formas de nos prevenirmos.

Dentre as doenças que acometem nossa pele estão o furúnculo e o carbúnculo, sendo o segundo uma infecção mais grave. São infecções muito comuns. Confira abaixo mais detalhes sobre o furúnculo, como tratar e se prevenir.

O que é furúnculo?

Furúnculo

Furúnculo é uma doença de pele, um tipo de foliculite, causada geralmente pela bactéria Staphylococcus aureus. É uma infecção que acomete o folículo piloso, a glândula sebácea anexa e o tecido subcutâneo ao redor desta área.

O furúnculo é caracterizado por um abscesso, um nódulo duro e quente, de cor avermelhada com um ponto central amarelo, indicando a presença de pus. O tamanho e profundidade variam. Este abscesso ocorre principalmente onde há pelos e em regiões que ficam mais expostas a umidade, pressão e atrito, ou que acumula gordura, facilitando a obstrução dos folículos pilosos. A face, o pescoço, costas, axilas, coxas e nádegas são as áreas mais propensas a ter esta infecção.

A maioria dos casos é benigno, mas se não cuidadas, podem levar a complicações quando a lesão acomete regiões próximas ao nariz ou ouvido, região muito irrigada e próxima ao cérebro. A infecção também pode se agravar se a bactéria for disseminada pela corrente sanguínea, podendo atingir órgãos como o coração. Além disso, se a bactéria contida no pus atingir os folículos pilossebáceos ela bode levar ao aparecimento de várias outras lesões do mesmo tipo. O quadro pode ser agravado se a contaminação atingir folículos pilosos vizinhos, formando uma única e profunda contaminação com vários pontos de pus, chamado de carbúnculo, que geralmente acomete a nuca ou as coxas.

Sintomas

Os sintomas desta doença, são: a formação de um abscesso folicular de cor avermelhada, dura, com pus e dolorido. Quando é o caso de um carbúnculo, a dor é mais intensa e seu rompimento deixa cicatrizes grandes. Além disso, é comum o paciente infectado apresentar febre e calafrios, a alguns apresentam toxemia intensa, ou seja, intoxicação sanguínea em função de toxinas liberadas pela bactéria.

Furúnculo

Fatores de risco

Dentre os fatores que deixam as pessoas mais susceptíveis ao furúnculo estão a ocorrência de diabetes mellitus, pacientes HIV positivos, pacientes com discrasias sanguíneas, pacientes em tratamento com corticosteroides, pacientes com defeitos funcionais dos neutrófilos, usuários de drogas do tipo injetáveis, pessoas acima do peso e com baixa imunidade.

 

Diagnóstico

Para fazer o diagnóstico é necessário realizar o exame dermatológico clínico, de preferência com um médico dermatologista. Em geral o causador da doença é a bactéria Staphylococcus aureus, mas em alguns casos é necessário o cultivo em laboratório para se ter a confirmação.

Como tratar?

Furúnculo

Geralmente, o furúnculo se rompe espontaneamente e drenam, cicatrizando a infecção em questão de semanas. A cicatrização pode deixar marcas.

Em caso de persistência, é necessário consultar um médico e o tratamento é feito com uso de antibióticos tópicos ou orais, que podem ser locais ou sistêmicos. A cefalexina é um dos antibióticos mais utilizadas para esta finalidade. No entanto, o uso deve ser sempre acompanhado por um médico especialista. Pode-se também realizar compressas quentes para acelerar a drenagem do abscesso, que nunca deve ser espremido. Em geral o furúnculo se rompe espontaneamente, mas há casos que há necessidade de cirurgia.

Prevenção

A maior parte dos casos é decorrente de má higienização pessoal. Assim, manter as mãos limpas e tomar banhos regulares é um dos principais meios de prevenção. Além disso, evitar roupas justas e de tecido sintético, que dificultam a transpiração, é outra medida eficiente, pois o atrito e a umidade também favorecem lesões de pele. As roupas de cama também devem ser trocadas com regularidade, uma vez que lençóis com mais de duas semanas de uso apresentam bactérias que podem causar infecções de pele.

Se você já estiver infectado, não coce o local, pois isso pode aumentar as chances de espalhar a infecção.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário