Motivos por que você não consegue soltar o intestino

Não está conseguindo soltar o intestino? Descubra, aqui no Quero Viver Bem, o que isso pode ser e dicas para tratar o problema de um vez!

Em algum momento da sua vida você já deve ter enfrentado dificuldade para evacuar, problema popularmente chamado de prisão de ventre ou intestino preso.

Curiosamente, na medicina, essa dificuldade é conhecida como constipação intestinal e pode ser provocada por diferentes causas. Conheça, aqui, quais são elas e veja dicas para soltar o intestino.

Quando a prisão de ventre é um problema?

Intestino preso

Como dito anteriormente, a dificuldade para soltar o intestino é comum, mas nem sempre é um problema, porque o organismo pode apresentar respostas diferentes ao longo de sua vida.

A prisão de ventre só será um problema quando o intestino passar a funcionar menos vezes que o habitual ou quando a pessoa consegue evacuar duas ou menos vezes por semana, sempre fazendo muito esforço, e o volume eliminado é bastante reduzido.

Em situações assim, é importante procurar um médico.

Causas da constipação intestinal

Festas

A dificuldade para soltar o intestino pode estar ligada a diferentes fatores. Os mais comuns são os seguintes:

Dieta pobre em fibras

As fibras são importantes porque ajudam na formação do bolo fecal, aumentando o volume das fezes, além de as deixarem mais macias para facilitar a evacuação, eliminando a prisão de ventre com total eficácia.

Consumo reduzido de água

A água ajuda a dissolver as fibras e os alimentos ingeridos, garantindo as fezes a consistência ideal. Quando o consumo de água é reduzido, as fezes ficam endurecidas, o que dificulta a evacuação.

Sedentarismo

A prática de exercícios físicos favorece e estimula a atividade muscular intestinal, contribuindo para a evacuação. Quem não se exercita geralmente enfrenta quadros frequentes de prisão de ventre.

Dieta inadequada

Há alimentos que estimulam a constipação intestinal. Os grandes vilões são os industrializados, porque, quando são processados, perdem boa parte de seus nutrientes, principalmente as fibras.

Além disso, o consumo excessivo de carboidratos simples e proteína de origem animal, como carnes, também pode estimular o desenvolvimento e a manutenção da prisão de ventre.

Segurar a evacuação

Prender a evacuação regularmente pode prejudicar o funcionamento normal dos intestinos, gerando a prisão de ventre. Neste caso, o organismo gera um quadro de constipação naturalmente.

Doenças no sistema digestório

A dificuldade para evacuar também pode estar associada a doenças ligadas ao sistema digestório, como diverticulose, câncer colorretal, fissuras anais e hemorroidas.

Uso de medicamentos

Há medicamentos que podem provocar a constipação intestinal, porque alteram o metabolismo e o funcionamento de órgãos específicos. Neste caso, é importante reportar esse problema ao médico que receitou os remédios, para adaptações no tratamento.

Distúrbios emocionais

Ansiedade, estresse e depressão, por exemplo, são distúrbios emocionais que podem influenciar no funcionamento do intestino, causando a prisão de ventre e as demais alterações no órgão.

Complicações da prisão de ventre

A complicação mais recorrente entre pessoas que possuem prisão de ventre é o fecaloma, uma massa compacta de fezes duras que se acumula no cólon ou reto, interrompendo completamente o trânsito intestinal.

[VEJA TAMBÉM: REMÉDIO CASEIRO PARA PRISÃO DE VENTRE]

Dicas para soltar o intestino

Consuma mais fibras

Inserir fibras na alimentação costuma ser suficiente para melhorar o funcionamento do intestino. É possível encontrá-las em cereais integrais (aveia, chia, linhaça), oleaginosas (nozes e castanhas), verduras, legumes e frutas.

Se preferir, há a possibilidade de consumir um suplemento de fibra, que está disponível em forma de pó e também em comprimidos (versão mais prática).

Outra dica importante é ingerir alimentos com ação laxativa em suas refeições, como a ameixa e o mamão, que devem ser consumidos preferencialmente in natura para preservar as fibras.

Beba mais água

O recomendado é consumir, no mínimo, 2 litros de água por dia. Esta dica só não deve ser seguida por quem possui insuficiência renal ou cardíaca, porque o organismo pode não tolerar essa quantidade de líquido.

Pratique atividades físicas

O ideal é realizar algum tipo de exercício por três vezes na semana, no mínimo. Se for sedentário, comece a praticar por meia hora e vá aumentando a carga conforme seu organismo se adaptar.

Não segure as fezes

Vá ao banheiro quando tiver vontade e procure não segurar as fezes, para que o organismo não se acostume a essa prática e não gere a constipação intestinal naturalmente.

Saiba lidar com suas emoções

Saber administrar melhor suas emoções, sobretudo crises de ansiedade e estresse, causará impacto positivo no funcionamento intestinal, além de ajudar a melhorar seu bem-estar.

Coma menos carboidrato simples

O carboidrato simples, que está presente em alimentos como açúcar, pão branco, macarrão e arroz, pode dificultar a evacuação e se acumular no intestino. Prefira substituir tais alimentos por versões integrais.

 

Caso você mude seus hábitos e ainda assim o problema permaneça, consulte um médico.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário