Menopausa: cuidados, idade comum, dicas e guia completo!

A menopausa é uma fase muito temida pelas mulheres, isso costuma acontecer devido aos sintomas costumeiros que sinalizam a chegada desse período fisiológico no organismo feminino.

Este acontecimento não é nada mais nada menos do que o fim do período fértil da mulher. Neste nova fase, preciso redobrar a atenção e ficar atenta às possibilidades de surgimento e agravamento de determinadas doenças, leia mais informações abaixo.

A menopausa e o climatério

Menopausa: cuidados, idade comum, dicas e guia completo!

É importante saber diferenciar a menopausa do climatério, confusão muito comum de acontecer, principalmente por estarem coligados a mesma fase do organismo feminino. Segundo a Doutora Débora Santos (CRM 26409/PR), o climatério é considerado a pré menopausa, quando começam a aparecer os primeiros sintoma. Entre eles se encontram:

  • Ondas de calor (fogachos);
  • Irritação;
  • Aumento de peso;
  • Problemas de memória;
  • Falta de lubrificação vaginal natural;
  • Ansiedade;
  • Libido em falta;
  • Insônia;
  • Menstruação irregular;
  • Fadiga em excesso;
  • Depressão.

Conforme a doutora explica, a sensibilidade aos sintomas da menopausa variam de mulher para mulher, a qualidade de vida que ela possui e seus hábitos influenciarão diretamente na forma com que ela vai viver esta nova fase.

Mulheres que praticam atividade física – principalmente exercícios aeróbicos -, por pelo menos quatro vezes na semana e possuem uma alimentação regrada com o consumo daquele prato colorido, cheio de verduras, frutas e proteínas, tendem a sentir 40% menos de sintomas da menopausa do que aquelas que não têm esses hábitos.

Evila Silva conta que, um pouco antes de completar 50 anos, começou a sentir os primeiros sintomas – sudorese noturna, calorões, indisposição, dores no corpo, perda de cabelo e mudanças bruscas no humor -, porém não considerou que fosse a menopausa efetivamente.

Após uma bateria de exames, foi constatado que a menopausa havia chegado, principalmente pelos números de seus hormônios estarem quase zerados.

Pacientes que estão acima do peso e possuem outras patologias, como diabetes e hipertensão, também tendem a passar pela fase da menopausa com mais complicações. Até o momento, não existe nenhum remédio que garanta o atraso ou adiantamento dessa fase da vida, apenas a prevenção e cuidados com a saúde no geral.

Mas, qual a idade comum da menopausa? Há influencias?

A doutora explica que não há uma idade limite ou mínima para a chegada da menopausa, ela pode ter início aos 38 anos indo até mesmo aos 55, tudo vai depender da paciente e do organismo de cada uma.

A menopausa é considerada precoce quando começa a acontecer antes dos 38 anos, nesse caso, na maioria das vezes é necessário fazer a reposição hormonal para regularizar a situação.

Edilene Cristina conta que aos 38 anos recebeu o diagnóstico de menopausa precoce. O tratamento adotado foi a Cicloprimogyna para regularizar o ciclo menstrual, que costumava oscilar entre 20 dias de fluxo sanguíneo até 6 meses da falta do sangramento.

Outro ponto importante sobre a menopausa é que meninas que menstruam mais cedo, costumam entrar na menopausa antes. A Doutora Santos explica o porquê: quando as mulheres nascem, elas têm um determinado número de óvulos programados para toda a sua vida. Quando acabam, a menopausa chega.

Todos os meses se costuma liberar alguns desses óvulos, conhecido como o processo natural do organismo feminino que é a ovulação, gerando assim a possibilidade de se engravidar. Outra característica da menopausa é que ela costuma seguir a linha dos antepassados: meninas que a mãe entrou no processo da menopausa precoce, possuem mais chances disso acontecer. Esse é o caso de Edilene, que conta que sua bisa avó entrou na menopausa com apenas 36 anos de idade.

A dica é ficar de olho nesses dois fatores influentes na menopausa, a prevenção é o melhor remédio para reduzir os sintomas nocivos naturais.

O diagnóstico da menopausa

Menopausa: cuidados, idade comum, dicas e guia completo!

Quando a mulher está no período do climatério, conforme a Doutora explica, é comum que tenha – ou não -, os sintomas da chegada da menopausa. Nesse caso, é feito um exame para diagnóstico hormonal, considerando a dosagem do FSC e do estradiol.

Os cuidados durante a transição da menopausa

É muito comum casos de mulheres que engravidam durante o período do climatério, porém, como isso se explica? A Doutora Santos conta que mesmo que em alguns meses não aconteça a ovulação ou ela aconteça de forma irregular, as chances de se engravidar vão sempre existir enquanto a ovulação acontecer, por isso enquanto não há diagnóstico comprovado do(a) ginecologista, é necessário continuar com os métodos anticoncepcionais adotados.

É necessário adotar hábitos saudáveis durante esse período, isso porque há um aumento de gordura corporal, principalmente na região abdominal – conhecida como gordura central -, causado pela queda dos níveis de testosterona no organismo, diminuindo a reação do metabolismo e a possibilidade de emagrecimento. Com isso, também há o aumento das possibilidades de doenças cardiovasculares. Leia aqui se a menopausa engorda e cuidados.

Reposição hormonal: solução ou vilã?

Menopausa: cuidados, idade comum, dicas e guia completo!

Esse método é conhecido pelas suas controvérsias: muitas pessoas consideram como uma solução e outras possuem medos dos efeitos colaterais que pode trazer.

A Doutora Débora explica que a reposição hormonal evoluiu muito desde que surgiu, hoje existem vários medicamentos, muito mais modernos, com doses menores e com maneiras de administração diferenciadas, seja por meio de gel, diu mirena, adesivo e comprimidos.

Porém, a médica relata que a reposição hormonal deve ser feita de maneira individual e depois de uma avaliação específica do seu médico. Não é recomendado utilizar um medicamento porque foi bom para sua amiga ou para algum conhecido, o organismo de cada um vai encarar a medicação de formas diferentes.

Com a medicação correta, é possível ver melhorias na parte óssea, na área cardiovascular, além da diminuição dos sintomas, mas só com os remédios certos para cada tipo de corpo.

Métodos alternativos

Há muita especulação sobre métodos naturais que parecem diminuir os sintomas causados pelo climatério e o fim da ovulação feminina, porém, até quando realmente funcionam e são bons para o organismo?

Evila conta que ao iniciar a reposição hormonal, realmente sentiu uma grande melhora nos sintomas: ela tinha sono regular, a libido melhorou e os fogachos quase sumiram, porém decidiu parar com o método depois de engordar o total de cinco quilos com a medicação. Ela conta que usou algumas vezes o chá da folha de amora e sentiu menos calorões e que pretende voltar com essa alternativa natural.

Quanto ao chá de amora e outros meios naturais divulgados pela mídia, a Doutora comenta que não há comprovação científica sobre a eficiência dos mesmos, porém se está fazendo bem para a paciente, ela recomenda que continue.

A Doutora conta ainda sobre o uso dos fitoestrógenos, que são derivados não completamente naturais, porém extraídos de determinadas plantas que melhoram os sintomas em até 40% das pacientes.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário