Melasma – Causas, Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Você sabe o que é o melasma? Confira, aqui no Quero Viver Bem, informações completas sobre as causas, o diagnóstico e o tratamento!

Cada indivíduo possui uma cor própria da pele, e isso se deve tanto a fatores genéticos, como à exposição solar e outras questões fenotípicas (relacionadas ao meio em que se vive).

A exacerbação da pigmentação da pele em algumas regiões do corpo caracteriza os melasmas, os quais costumam causar incômodos estéticos e repercutir sobre a autoestima e o bem-estar de pacientes.

A seguir, saiba tudo sobre essa condição, causas e tratamentos, só aqui no Quero Viver Bem!

Como surge o melasma?

A pele humana é dividida em várias camadas, sendo a epiderme a mais externa. Logo abaixo desta, está a derme, onde encontramos os melanócitos.

Os melanócitos são as células responsáveis pela pigmentação, pois possuem vesículas chamadas de melanossomoas (as quais produzem a melanina). E o que determina a intensidade da coloração da pele é a qualidade da melanina produzida. Para isso, existe interferência de genes, raios solares, dentre outros fatores.

No caso do melasma, há uma exacerbação desta coloração!

Melasma2

Causas do melasma

Depois de um entendimento geral sobre a produção de melanina, é possível compreender quais são as principais causas do melasma. Vale destacar que, isoladamente, nenhuma delas é capaz de desencadear as manchas, e ainda existem muitas incertezas quanto à sua origem.

Mas, destaca-se, principalmente:

  • Fator genético;
  • Exposição excessiva ao sol, havendo prejuízo por conta dos raios UV;
  • Terapias hormonais, como anticoncepcionais;
  • Uso de determinados cosméticos;
  • Fatores emocionais, principalmente relacionados ao estresse;
  • Anticonvulsivantes;
  • Gestação.

Principais sintomas do melasma

O melasma é caracterizado apenas na visualização clínica, não sendo necessário nenhum exame para a sua comprovação. Ele deve ser diferenciado de outras doenças dermatológicas, já que não apresenta dor, nem prurido (coceira).Melasma

As regiões em que comumente aparece são face (em testa, principalmente), braços, pescoço e colo.

É muito comum perceber que as manchas aumentaram ou estão de cor mais intensa após a exposição a um evento específico, como gestação ou situações de estresse extremo.

Diagnóstico

Como já foi dito anteriormente, o dermatologista fará o diagnóstico apenas com a observação da pele e a realização de algumas perguntas.

Tipos de tratamento

Infelizmente, o melasma é uma condição crônica e que apresenta recidiva (isto é, períodos em que a doença retorna). Mas, ainda assim, existem diversas opções de tratamento, e uma série de cuidados precisam ser tomados. Conheça-os, a seguir:

1) Protetor solar

A fotoproteção deve existir em todos os momentos do dia, para que haja seleção dos raios solares, impedindo que estes atuem de forma maléfica sobre a pele.

Siga as recomendações do seu dermatologista, e invista em um protetor potente e de qualidade.

2) Peeling

Os peelings são realizados com o objetivo de “renovar” a pele, possibilitando a eliminação de manchas. Existem diversas técnicas e vários produtos que podem ser aplicados, variando conforme a condição de cada paciente.

3) Laser

O laser facial tem mostrado bons resultados no tratamento do melasma, mas deve-se tomar muito cuidado quanto à realização do procedimento, visto que este pode trazer alguns prejuízos ao paciente.

4) Ácido retinoico

Os retinoides são utilizados para diversas patologias que acometem a pele, inclusive para o melasma. Existem registros de excelentes resultados obtidos por estes medicamentos, principalmente quando combinados com outros compostos (ex: ácido glicólico).

5) Ácido tranexâmico

Conhecido pelo seu nome comercial “transamin”, o ácido tranexâmico é um medicamento utilizado para conter hemorragias e sangramentos, tendo alguns de seus efeitos aproveitados no combate ao melasma.

Mas, vale destacar que o uso só pode ser feito sob acompanhamento médico, visto que pode acarretar em uma série de riscos ao paciente.

6) Hidroquinona

A hidroquinona é um medicamento que age na inibição da tirosinase, enzima envolvida na produção de melanina – substância responsável por dar cor à pele.

Quando se inibe a produção da substância, torna-se mais fácil conter o melasma, e, assim, as manchas são eliminadas.

[CONFIRA TAMBÉM: COMO TIRAR MANCHAS DO ROSTO?]

Melasma3

Cuidados a serem tomados

Embora não seja possível curar o melasma, já se conhecem diversas modalidades de tratamento, as quais auxiliam no controle da doença.

Portanto, o paciente deve sempre estar atento à piora dos sintomas, para buscar ajuda médica (dermatológica).

Além disso, evitar a exposição solar excessiva, usar protetor solar, prevenir-se de situações estressantes, dentre outras situações preventivas, devem ser realizadas.

E, quando iniciada uma medicação, é essencial utilizá-la diariamente, conforme prescrito por um especialista, para então aumentar as chances de sucesso do tratamento.

Gostou? Então, confira, também, Microagulhamento serve para melasma?


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário