Medicamento fitoterápico – O que é? Funciona? Entenda como

Os fitoterápicos são medicamentos feitos somente à base de plantas, sem a adição de químicos e sintéticos produzidos em laboratório. Por não possuírem efeitos colaterais, não são tão rigorosamente controlados, mas muitos já possuem comprovação científica, inclusive pelas agências reguladoras de saúde.

Funcionam?

Não são todos os fitoterápicos que funcionam, afinal, tudo dependerá das propriedades presentes em cada planta e a interação que proporcionam no organismo. Ainda assim, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou, em 2016, uma lista com 66 fitoterápicos que funcionam, a fim de orientar ao consumidor sobre a serventia das plantas, conforme pesquisas comprobatórias.

O reconhecimento dos potenciais medicinais das ervas tem sido comemorado por muitos médicos, entre eles, os professores de química e farmacêuticos, Angelo Cunha e Vitor Ferreira (vide pesquisa¹). Os autores ressaltam que 50% dos medicamentos aprovados entre 1981 e 2006, pela Agência Reguladora Americana, são direta ou indiretamente derivados de produtos naturais.

Em outras palavras, já se usam milhares de remédios por dia, cujo funcionamento provém de propriedades naturais – a diferença é a proporção que cada medicação possui.

fitoterapicos como funcionam

Como agem?

Segundo explicações do Departamento de Análises Clínicas e Toxicológicas da USP², as plantas criam mecanismos de defesa contra pragas e ataques de herbívoros. A maior parte delas usam complexas estruturas químicas para se proteger, das quais muitas possuem efeitos terapêuticos em humanos e animais.

Ao analisar as plantas, é possível identificar quais são as propriedades e os efeitos que cada composto possui. O isolamento de vários desses deram origem a remédios conhecidos, como é o caso da morfina (poderoso analgésico) e da digoxina (medicamento para insuficiência cardíaca).

Muitos alimentos presentes no dia a dia possuem funções medicinais. A banana, por exemplo, pode aliviar a dor de cabeça, enquanto que o gengibre tem uma poderosa ação antioxidante e anti-inflamatória. Já as folhas do maracujá podem ser usadas para o controle da ansiedade e da insônia.

Desse modo, os fitoterápicos são alternativas médicas para o tratamento de sintomas e doenças que oferecem baixo risco ao paciente, se comparados aos remédios farmacêuticos, e que ainda podem ser muito explorados pela ciência, visto que esse é um estudo recente.

Cuidados no uso dos fitoterápicos

Conforme pesquisa publicada pela Associação Brasileira de Fitoterapia, é preciso tomar cuidado com as ofertas, pois, por conterem uma regulação mais branda, muitas empresas aproveitam para oferecer produtos que não são comprovados cientificamente ou que funcionam somente por efeito placebo.

A pesquisa ainda ressalta que a velocidade e a ação dos fitoterápicos varia muito, de forma que não é possível determinar exatamente por quanto tempo cada produto deve ser usado ou qual é a melhor dose. Portanto, o melhor a se fazer antes de consumir qualquer plante é consultar a opinião de um médico, uma vez que nem sempre os fitoterápicos são suficientes para dar um fim aos sintomas.

Lista de medicamentos fitoterápicos

Para te ajudar a saber o que funciona e o que não funciona, listamos, abaixo, quais plantas ajudam no tratamento de cada sintoma. No Quero Viver Bem, você pode encontrar mais dicas sobre os potenciais medicinais de cada alimento.

Medicamento fitoterápico para ansiedade

São eficientes no tratamento de ansiedade:

[ VEJA TAMBÉM: melhores chás para combater a ansiedade]

Para emagrecer

Os principais fitoterápicos para esta finalidade são os termogênicos naturais:

[ VEJA TAMBÉM: lista de alimentos para emagrecer rápido]

Para dormir

As plantas, abaixo, são as que possuem melhores efeitos na indução do relaxamento:

  • Lavanda;
  • Erva-de-São-João;
  • Camomila;
  • Passiflora;
  • Folha de maracujá.

[VEJA TAMBÉM: 5 melhores dicas para dormir bem]

Se quiser saber se um fitoterápico está regulamentado pela Anvisa, use o passo a passo oficial da agência para fazer a verificação. Assim, você evita ser enganado por empresas mal-intencionadas.


Referências usadas neste conteúdo

REVISTA BRASILEIRA DE CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS. Informações toxicológicas de alguns fitoterápicos utilizados no Brasil. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/%0D/rbcf/v42n2/a15v42n2.pdf >

QUÍMICA NOVA. Fitoterapia no mundo atual. Disponível em < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-40422010000900001&script=sci_arttext&tlng=es >

DUNFORD, Andrew. Fitoterapia na atenção primária à saúde. Disponível em < https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=s3PFkaXTUfcC&oi=fnd&pg=PP9&dq=fitoterapia&ots=eXY4hknlnI&sig=C0ZJQhMJoopcKk6O9Gn8nO1FvGs#v=onepage&q=fitoterapia&f=false>


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (Ainda sem avaliações)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Deixe um Comentário