Quais são os maus hábitos alimentares? Tome cuidado!

Veja aqui quais são os maus hábitos alimentares mais comuns que acontecem no nosso dia a dia, como evitar, cuidados necessários e muito mais.

Em meio à correria do dia a dia, é comum nos alimentarmos, ainda que não queiramos, de maneira a causar prejuízos à saúde: não selecionamos bem o que vamos ingerir, comemos com pressa, em quantidade inapropriada e de forma atribulada. Os danos comprometem o nosso bem-estar, fato é que está aí a própria medicina, constantemente, anunciando os males causados por uma alimentação irresponsável.

Os maus hábitos alimentares aumentam o risco de doenças, como obesidade, diabetes, pressão alta, doenças cardíacas e câncer, mas existem estratégias que podem ajudar a prevenir essas alterações.

Ter uma alimentação saudável e equilibrada ajuda a controlar o peso e a melhorar o metabolismo do organismo, reduzindo a produção de gordura e de radicais livres, que são as principais substâncias causadoras de doenças e do envelhecimento precoce.

Erros alimentares mais comuns

1- Comer muito rápido

Muitas vezes nos preocupamos em consumir alimentos mais saudáveis e esquecemos de um item importantíssimo: a mastigação.

A trituração dos alimentos feita pelos dentes faz com que o alimento chegue em pedaços menores no estômago, facilitando a digestão. Além disso, alguns nutrientes já começam a ser absorvidos na boca através de enzimas presentes na saliva, por isso é importante mastigar bem para que ocorra a absorção e pré digestão necessárias. Outro fator relacionado a mastigação é a saciedade, ou seja, você se sentirá satisfeito com uma menor quantidade de comida.

Para isso, é preciso fazer algumas mudanças no momento da refeição: sente-se a mesa, coloque pouca comida na boca, descanse os talheres e mastigue bem, apreciando o sabor do alimento. Evite comer na frente da TV, pois assim você ficará distraído e nem irá perceber o que e o quanto está comendo.

2- Exagerar nos industrializados

Na correria do dia a dia, muitos alimentos prontos acabam sendo a “salvação”. Porém se consumidos diariamente eles podem fazer muito mal à saúde devido a grande quantidade de açúcar, gorduras ruins, sódio e produtos químicos.

Bacon e carnes embutidas, como linguiça e salsicha, pratos prontos como lasanha e pizza, bolachas, salgadinhos, sorvete e chocolate são as piores escolhas, pois além de possuírem mais gordura e sal, também são ricos em conservantes, corantes e realçadores de sabor, aditivos que são tóxicos para o organismo e podem irritar o intestino. Além disso,  são altamente calóricos, contribuindo para o ganho de peso que desencadeia diversas doenças como diabetes, colesterol alto, hipertensão, doenças cardíacas e muitas outras.

Algumas sugestão de melhorias são:

  • Preferir frango, carne e peixes no lugar dos embutidos;
  • Diminuir o consumo de bolachas, pães e salgadinhos nos lanches, substituindo por frutas, aveia, pão integral, iogurte natural, oleaginosas;
  • Evitar ao máximo os alimentos prontos congelados, dando preferência aos frescos sempre que possível;
  • Trocar temperos prontos por cebola, alho, salsinha, cebolinha, orégano, açafrão, pimenta.

3- Tomar refrigerante

Os refrigerantes são bebidas ricas em frutose, um tipo de açúcar que aumenta o risco de resistência à insulina e diabetes. Eles também são ricos em ácidos, que desmineralizam o esmalte dos dentes, favorecendo o aparecimento de cáries, e em gases, que causam dores abdominais, gases intestinais e gastrite.

Trocou o refrigerante por suco de caixinha? Saiba que não é uma boa troca, pois eles também contém uma quantidade enorme de açúcares e outros produtos químicos. Sucos em pó, chá mate e bebidas lácteas (achocolatados e iogurtes) também não são boas opções.

Além de tudo, o refri contêm sódio e cafeína, o que provoca alterações na pressão arterial e retenção de líquidos. Por isso, prefira bebidas naturais, como sucos e chás sem açúcar, água e água de coco.

4- Não beber água

Como falado acima, os refrigerantes são bastante consumidos pela maioria das pessoas. Com isso, a água fica de lado, já que os refris e sucos são mais saborosos.

A água mantém o corpo hidratado e participa de todo o funcionamento do organismo, elimina as toxinas através da urina e suor, regula a temperatura corporal, estimula o trânsito intestinal, dentre outras funções vitais. Um adulto de 70 kg precisa ingerir pelo menos 2 litros de água por dia.

Então, lembre-se de tomar água entre as refeições e sempre carregue uma garrafinha à mão para ir tomando ao longo do dia.

5- Consumir poucas fibras

Quais são os maus hábitos alimentares? Tome cuidado!

As fibras estão presentes, principalmente, em frutas, verduras, sementes e alimentos integrais, mas esses alimentos têm sido trocados por produtos industrializados, ricos em carboidratos, sal e gorduras, como salgadinhos de pacote e bolachas recheadas.

Uma dieta pobre em fibras aumenta a sensação de fome, favorece a prisão de ventre e aumenta o risco de doenças, como o câncer de cólon. Além disso, quem consome poucas fibras também tem uma alimentação pobre em vitaminas e minerais essenciais para a prevenção de doenças, como câncer e envelhecimento precoce.

Comer frutas e verduras todos os dias, colocar salada nas refeições principais e preferir alimentos integrais, como pão e arroz, são boas soluções para esse problema.

Erros alimentares mais comuns em idosos

Os erros alimentares cometidos por idosos prejudicam ainda mais a saúde, pois, nessa fase da vida, o sistema imunológico está mais enfraquecido e é mais propenso a ter doenças e complicações, como infecções e desidratação. Em geral, os principais erros alimentares cometidos nessa fase da vida são:

  • Beber pouca água: os idosos não têm mais o controle da água corporal e não sentem mais a sensação de sede, por isso é comum a desidratação nos idosos, o que pode causar pele e lábios secos, tonturas e desmaios;
  • Pular refeições: por cansaço ou falta de habilidade, é comum os idosos não fazerem lanches e não se alimentarem bem, o que leva à perda de peso, fraqueza muscular e maior risco de obtenção de doenças infecciosas, como gripe e pneumonia;
  • Adicionar muito sal às refeições: os idosos sentem menos o sabor dos alimentos, então tendem a colocar mais sal na comida, para compensar a falta do paladar, o que favorece o aumento da pressão arterial.

Assim, os idosos devem sempre ter água ou alimentos líquidos ao alcance, para que possam se hidratar com pequenos goles ao longo do dia, além de que devem fazer as refeições principais e os lanches mesmo quando não sentirem fome.

Eles também precisam ter ervas aromáticas à sua disposição, para utilizar como temperos de cozinha, substituindo o sal. Sempre que possível, um adulto deve supervisionar a sua alimentação, para garantir que o idoso tenha uma adequada nutrição.

 

Mudar hábitos, principalmente os ruins, requer paciência e persistência. Por isso é importante fazer pequenas mudanças aos poucos, sem radicalismos, para que elas sejam duradouras. Uma alimentação saudável deve ser levada por toda a vida.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário