Mastigação – Por que é importante e 5 dicas para mastigar da forma correta!

Você sabia que mastigar corretamente evita uma série de problemas bucais e intestinais? Confira dicas completas para adotar já!

Na correria do dia a dia, a mastigação de alimentos é um detalhe que pode passar despercebido, o que não é um bom negócio. O motivo é simples: causa diversos problemas de saúde!

A seguir, veja quais são os problemas mais comuns enfrentados ao fazer uma mastigação inadequada e confira dicas para realizá-la corretamente e evitar complicações para o organismo.

Por que fazer uma mastigação correta?

mastigar da forma correta

É importante lembrar que a mastigação é o primeiro passo da digestão de alimentos, reduzindo-os em partes menores. Quando essa trituração é feita de maneira inadequada na boca, todo o processo digestivo pode ser prejudicado.

Em situações assim, a pessoa sentirá desconfortos, como sensação de estômago demasiadamente cheio, dor abdominal, arrotos frequentes, enjoo, vômito e sonolência.

Há, ainda, um problema ligado à saciedade. A movimentação da mastigação ativa os receptores de ligamentos periodontais, que encaminham informações para o centro de saciedade do cérebro. Quando o processo de trituração não é feito adequadamente, essa mensagem não é enviada e não se tem sensação de saciedade, fazendo com que a pessoa coma mais do que o necessário, passe mal ou engorde.

Além dos problemas associados à alimentação e ao processo digestivo, também há outros de ordem odontológica e estética. Mastigar corretamente promove o equilíbrio do tônus muscular de lábio, bochecha e língua.

Sem essa tonificação, pode haver deformação da arcada dentária, causando a mordida cruzada ou aberta, inclusive problemas de ATM (Articulação Temporomandibular), como inflamação e dor irradiada pela cabeça, ouvido e cervical.

[CONFIRA TAMBÉM: DOR DE DENTE]

A longo prazo, especialmente com o avanço da idade, a pessoa pode ter dificuldade para mastigar alimentos específicos, como a carne, colocando-os de lado por não conseguir triturá-los.

O grande problema desse quadro é que o indivíduo deixará de ingerir nutrientes específicos e poderá entrar em um quadro de anemia, se não houver uma reposição de vitaminas e minerais.

Justamente por afetar drasticamente a saúde, é extremamente importante atentar e priorizar a mastigação durante as refeições, para garantir não somente uma boa digestão, mas evitar problemas nutricionais e odontológicos.

Como identificar se sua mastigação está errada

Um sinal claro de que a mastigação não foi corretamente realizada é quando se tem a impressão que o bolo alimentar está parado na garganta, sendo preciso ingerir algum líquido, como água, suco ou refrigerante, para empurrar a comida.

Outro bom indicativo é quando o processo digestivo se torna algo desagradável, com dor estomacal e abdominal, náusea e vômito. Isso ocorre porque os órgãos do sistema digestório ficam sobrecarregados, tendo de realizar um trabalho que não foi bem feito no início – na mastigação.

Também, vale citar que dor na mandíbula, irradiando pela cabeça, durante a mastigação não é algo comum, indicando que o processo de trituração dos alimentos pode estar errado ou que há algum problema de ATM.

Dicas para mastigar corretamente

mastigação

1. Não coma rápido

Quanto mais pressa você tiver, pior será a mastigação. Portanto, procure fazer suas refeições com calma. Se for um dia corrido, alimente-se com algo mais leve e que demande menos tempo de mastigação – por exemplo: carne moída com purê, legumes cozidos com frango desfiado, sopas, entre outros.

2. Corte o alimento em pequenas porções

Encher a boca com uma quantidade enorme de alimento não é o indicado, porque se corre o risco de não realizar a mastigação totalmente, passando a engolir pedaços maiores, que causarão desconforto estomacal. Por isso, corte os alimentos em porções menores, o que facilitará a mastigação.

3. Mastigue mais

Quanto maior for a mastigação, melhor. Inclusive, há especialistas que recomendam mastigar o alimento, pelo menos, trinta vezes. Como nem sempre dá para contar o número de mastigadas, procure aumentar a quantidade de movimentos natural e continuamente.

4. Utilize os dentes corretamente

As pessoas seguem a ordem de mastigação naturalmente, mas há quem corte alimentos, por exemplo, nos dentes errados. Portanto, evite esse tipo de atitude, para assegurar a adequada redução dos itens ingeridos, e faça o uso correto de cada dente:

  • Incisivos (dentes da frente): têm como finalidade cortar o alimento;
  • Pré-molares: fazem a trituração;
  • Molares (dentes do fundo): pulverizam o alimento em partes ainda menores.

5. Não tome líquidos durante a refeição

Ao ingerir um alimento sólido com um líquido, poderá ocorrer duas situações: ou o líquido pode “diluir” o sólido, fazendo com que você não precise mastigar muito; ou o alimento poderá “escorregar” pela garganta quando você tomar a bebida, assim ele irá entrar quase que intacto no trato gastrintestinal. Ambas situações prejudicam a mastigação e, consequentemente, a digestão.

 

Portanto, na sua próxima refeição lembre-se de comer com calma, mastigando bem e apreciando o sabor e textura de cada alimento.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário