Mamona – Benefícios, Uso, Indicações e Contraindicações

Você sabia que a mamona é uma planta utilizada para muitos tratamentos naturais? Confira, aqui no Quero Viver Bem, informações completas sobre o assunto!

A mamona, semente originada do fruto da mamoneira, é conhecida no meio científico como Ricinus Communis. Surgida na região africana da antiga Abissínia, que compreende, atualmente, a Etiópia, há relatos desta planta há mais de 4 mil anos a. C., no Egito.

Ela chegou na América, provavelmente, a partir da vinda dos europeus com as grandes navegações e, consequentemente, com o tráfico de negros africanos para trabalhar como escravos nas terras recém exploradas. A mamona se mostrou facilmente adaptável ao clima e ao solo brasileiro, até por isso, hoje em dia, ela é encontrada em praticamente todo o território nacional.

A mamona também é conhecida no Brasil como rícino, carrapateira, enxerida e palma-de-cristo. O principal produto obtido a partir desta planta é o óleo de mamona, também conhecido como óleo de rícino, que é muito usado como uma espécie de purgativo pela medicina popular, além de ser aproveitado na indústria química.

Há, ainda, estudos realizados para usar a semente da mamona como biodiesel, podendo ser uma grande fonte energética para o Brasil, no futuro, caso haja investimento maciço neste tipo de combustível.

Mamona2

Benefícios da mamona

A mamona possui diversas propriedades benéficas para o organismo. Entre elas, é possível destacar os alcaloides, a partir da ricinina, glucoproteína (ricina), óleo riglicerídeo, fitotoxinas, entre outros. Ela possui propriedades vermífugas, atuando como um excelente purgante, além de ser um bom cicatrizante e emoliente. A planta pode, ainda, ajudar pessoas que sofrem com parasitas no intestino ou que têm problemas com herpes, eczemas, feridas, erupções, queimaduras e calvície.

Um dos benefícios bem característicos da mamona é devido ao seu fator purgante. Para que isso seja eficaz, no entanto, é importante que a pessoa ingira, em jejum, duas colheres de sopa de óleo de rícino, que é feito a partir da semente da planta. Isso vai ajudar a fazer com que o intestino volte a funcionar regularmente, liberando aquilo que está prejudicando o seu funcionamento.

A mamona ajuda até quem possui hemorroidas ou fissura anal. Para amenizar o problema, é necessário ferver um litro de água com cinco colheres de sopa de folhas de mamona fatiadas. Após a mistura aquecer, coe e espere que fique morno. Depois disso, faça banhos de assento com esse líquido pela manhã e à noite, sempre massageando suavemente o local.

[LEIA TAMBÉM: ÓLEO DE RICÍNIO NO CABELO – PARA QUE SERVE?]

Mamona

O óleo de rícino feito a partir da mamona também é muito procurado no âmbito cosmético, pois traz benefícios tanto para a pele quanto para o cabelo. No caso da pele, proporciona maior suavidade a uma pele seca e irritada, podendo reduzir rugas e estrias, pois estimula a produção de colágeno. Pode ser também um ótimo óleo de massagem.

Já no caso do cabelo, o óleo fortalece o couro cabeludo e auxilia no crescimento dos fios. Suas propriedades antifúngicas e antibacterianas, graças ao ácido ricinoleico, combatem problemas que poderiam impedir o desenvolvimento capilar.

Além desses benefícios, uma pesquisa recente, feita por cientistas da Faculdade de Odontologia da USP, em Ribeirão Preto (FORP), indicou que um subproduto da mamona ajudou a combater microrganismos existentes na boca, sendo um grande aliado na higiene bucal, em especial na limpeza das dentaduras – algo que é fundamental para uma ótima saúde bucal de quem usa a prótese dentária.

Especialistas responsáveis pelo estudo e pelos testes afirmam que a solução aplicada na água é mais eficaz do que as pastilhas efervescentes com hipoclorito de sódio. Até a sua última divulgação, no entanto, o material ainda não havia sido produzido para ser explorado de forma comercial.

[CONFIRA TAMBÉM: ÓLEO DE RICÍNIO FAZ O CABELO CRESCER EM QUANTO TEMPO?]

Mamona3

Contraindicações 

Apesar de possuir tantos aspectos positivos, a mamona deve ser manuseada com cuidado e sabendo de todas as suas contraindicações. É importante salientar que esta planta não é recomendada a grávidas, pois o produto pode causar sangramento menstrual e, até mesmo, aborto espontâneo.

Lactantes e indivíduos com graves doenças intestinais também não devem fazer uso do óleo feito a partir da mamona, assim como menores de 12 anos.

Vale dizer, ainda, que as sementes em si são tóxicas e, caso sejam mastigadas e ingeridas desta forma, podem causar náuseas, vômitos, diarreia e dores abdominais. Nessas situações, a pessoa deve ser levada imediatamente a uma unidade de pronto-atendimento para que seja encaminhada a uma lavagem gástrica.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário