A Importância Do Exercício Físico Na Terceira Idade

Veja aqui quais são os principais benefícios dos exercícios físicos durante a terceira idade, quais são os mais indicados, cuidados e muito mais.

A melhora nas condições de vida e saúde e o avanço da medicina proporcionaram uma qualidade de vida e longevidade ainda melhor para as pessoas, de maneira geral. Com isso, a expectativa de vida vem aumentado com o passar do tempo, por isso, nossa população idosa vem crescendo cada vez mais.

No entanto, sabemos que, com o envelhecimento – mais especificamente depois dos 30 anos -, nosso corpo e estrutura muscular do organismo como um todo, passam a responder de forma mais lenta às necessidades do dia a dia, bem como a massa muscular que vai reduzindo ano após ano e o percentual de gordura aumentando mais facilmente.

Quando entramos na terceira idade, é comum que alguns problemas de saúde “entrem no pacote”, também. Doenças como hipertensão arterial, diabetes, depressão e doenças degenerativas – osteoporose, osteopenia, artrite, artrose, arteriosclerose e fibromialgia, por exemplo -, são comuns aparecerem para incomodar ainda mais a vida da pessoa idosa.

A Importância Do Exercício Físico Na Terceira Idade

O organismo como um todo já não é mais como antes, a perda de massa muscular e óssea está presente, os movimentos são mais lentos e o corpo não está mais tão flexível.

Também, as articulações começam a perder sua mobilidade o coração e os pulmões já não trabalham da mesma forma e na mesma qualidade e a circulação sanguínea diminui.

O idoso sedentário – que não pratica nenhuma atividade física regular – tende a diminuir ainda mais sua força muscular, que está totalmente vinculada à sua independência funcional. Com a prática regular de um exercício físico, a probabilidade de reverter essa realidade é muito grande.

A atividade física oferece para a população idosa uma série de benefícios à saúde, tais como: fortalecimento da musculatura, melhora na densidade óssea, controle e até diminuição das doenças cardíacas e da diabetes, além da reversão dos quadros de problemas graves de osteoporose, artrite e muitos outros – além de trazer a sensação de prazer, bem-estar e satisfação, otimizando quadros de depressão e tristeza.

A atividade física na terceira idade ainda gera um resultado considerável nas atividades funcionais e do cotidiano do idoso, fortalecendo a musculatura, dando mais força, protegendo-os contra lesões e doenças crônicas degenerativas, melhorando o quadro geral de saúde e aumentando, assim, a expectativa de vida.

Como devem ser os exercícios para a população da terceira idade

O ideal é que esses exercícios sejam prescritos e monitorados por um profissional de educação física especializados, ou seja, que o professor busque primeiro saber das particularidades do indivíduo (se existem doenças degenerativa, cardiovasculares, entre outras) para aí sim indicar o melhor exercício a ser feito – afinal, nessa idade, as alterações estruturais de cada indivíduo são comuns e necessitam de uma precaução maior.

As atividades mais indicadas para essa população são os exercícios de pouco impacto, por exemplo:

O mais importante é que, dentre todos esses exercícios citados acima, o idoso opte por iniciar aquele que mais lhe agrada, para que, com isso, sinta-se ainda mais motivado a manter o programa de atividade física regular e a obter os resultados e os benefícios à saúde, de maneira mais rápida e eficaz.

Benefícios dos exercícios físicos na terceira idade

Como já citado, a pratica regular de atividades físicas gera muitos benefícios à população idosa. Ela proporciona uma melhora na composição corporal, postural, articular, neuromuscular e metabólica.

Existem estudos comprovando a diminuição da incidência de câncer para essa população, além do aumento da imunidade e do colesterol bom (HDL), da diminuição da pressão arterial e gordura corporal, do fortalecimento dos músculos e da elevação da massa muscular e óssea. Sem falar nos grandes benefícios psicológicos, afinal de contas, o exercício físico proporciona a interação social, te faz sair de casa, respirar outros ares e liberar hormônios que farão sentir-se bem e mais feliz.

É importante que se saiba que se o idoso nunca praticou exercícios antes, o ideal é que inicie de forma moderada, um treino com curta duração de tempo e por, no máximo, 3 vezes na semana. Quando seu corpo começar a se acostumar com essa nova atividade, aí sim pode aumentar o tempo de treino e até aumentar a frequência para 4 ou 5 vezes na semana.

O melhor sempre é escutar o que o seu corpo diz. Sentir dores e desconfortos durante a atividade não é bom. Fique sempre atento aos sinais que seu organismo te dá. Se precisar parar um pouco para descansar, faça isso! A prática de atividade física não pode trazer malefícios para a sua vida e deve ser orientada por um profissional, a fim de evitar que ocorra qualquer tipo de lesão ou prejuízo às articulações e à musculatura.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Marlise Carvalho (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário