Ginkgo Biloba – Benefícios, Como usar, Indicações e Contraindicações

Você está buscando um suplemento para aumentar o seu desempenho e a sua disposição? Então, confira, no QVB, os benefícios do Ginkgo Biloba para a saúde!

Você já ouviu falar da árvore ginkgo biloba? De origem asiática – estando presente em Coreia, Japão e China –, essa planta é considerada a mais velha do mundo, existindo por mais de 200 milhões de anos.

Além desse fato, o ginkgo biloba foi a primeira planta (medicinal) a brotar na cidade de Hiroshima, no Japão, após a sua destruição pela bomba atômica em 1945.

Conheça mais sobre a respeito dessa planta, para que ela serve, seus benefícios, como usar e indicações e contraindicações, só aqui no Quero Viver Bem!

Benefícios do ginkgo biloba

Ginkgo biloba

[CONFIRA TAMBÉM: COENZIMA Q10]

O ginkgo biloba pode chegar a 40 metros de altura e viver por aproximadamente 4 mil anos – esses dados mostram o quanto essa planta pode proporcionar benefícios para a saúde, graças aos seus princípios ativos.

O benefício mais conhecido dessa planta é o de melhorar o funcionamento do cérebro, atuando na memória, humor, aprendizado e até em demências.

Veja mais benefícios abaixo:

  • Atua contra doenças oftalmológicas, pois é antioxidante;
  • Aumenta o fluxo de oxigênio e nutrientes para as células;
  • Auxilia em casos leves de labirintite, de zumbido no ouvido e de tonturas;
  • Controla a pressão arterial, pois tem ação vasodilatadora;
  • Favorece a concentração e a memória;
  • Pode ser uma terapia complementar para quadros de enxaqueca;
  • Previne o envelhecimento;
  • Inibe a destruição do colágeno, estando muito presente em tratamentos estéticos.

Em certos casos, é visto o uso de ginkgo biloba como parte do tratamento para depressão.

Principalmente para as pessoas idosas, o ginkgo biloba é um remédio natural antioxidante que reduz a velocidade de envelhecimento do cérebro, retardando estágios iniciais do Alzheimer até que um diagnóstico seja realizado.

[CONFIRA TAMBÉM: SUPLEMENTO ESTROGÊNIO]

Como usar o Ginkgo biloba?

Ginkgo biloba

É de curiosidade informar que algumas partes da planta, como as sementes (depois da remoção da parte venenosa que elas possuem), são utilizadas como condimento para pratos tradicionais no Japão e na China.

Atualmente, o uso do ginkgo biloba é feito por cápsulas. Elas devem especificar o extrato padronizado da planta (“EGB761”), com quantidade mínima de 24% de flavonoides glicosilados e 6% de terpenoides.

Além das cápsulas, o ginkgo biloba pode ser encontrado em pó e extrato seco. O consumo irá depender da forma escolhida da substância e conforme a orientação do médico ou nutricionista.

[CONFIRA TAMBÉM: L-CARCITINA]

 

Vale mencionar que o consumo em excesso de ginkgo biloba pode causar piora dos efeitos colaterais. Ainda, é possível que você sofra diarreia e alterações da coagulação sanguínea (podendo até ocorrer sangramento).

Indicações e contraindicações do Ginkgo biloba

Ginkgo biloba

[CONFIRA TAMBÉM: TRIBULUS TERRESTRIS]

Embora seja algo extraído da natureza, o ginkgo biloba não é indicado para todas as pessoas. Portanto, tenha certeza de que você não faz parte dos grupos a seguir, antes de aproveitar os benefícios desta planta.

As contraindicações do ginkgo biloba são para:

  • Crianças menores de 12 anos;
  • Gestantes;
  • Lactantes;
  • Epilépticos;
  • Hemofílicos;
  • Pessoas que usam medicações anticoagulantes, anti-inflamatórias e antiplaquetárias.

Ainda, o ginkgo biloba não deve ser associado com produtos à base de alho ou derivados de salgueiro, pois pode aumentar o risco de irritação da mucosa gástrica.

Os efeitos colaterais do excesso de ginkgo biloba são:

  • Aumento na sensibilidade da pele, que pode gerar reações cutâneas;
  • Dores de cabeça;
  • Enjoos;
  • Gastrite;
  • Queda da pressão arterial;
  • Tontura.

[CONFIRA TAMBÉM: FUCUS]

Evite fazer o uso de ginkgo biloba em períodos próximos a alguma cirurgia, pois pode aumentar o risco de sangramento.

O uso desta planta só deve ser feito após a orientação de um profissional qualificado, como um médico ou nutricionista.

O ginkgo biloba é uma planta segura, mas você deve consumir com cautela – respeite a dosagem e o período de uso para melhor aproveitar os benefícios sem atrapalhar a sua saúde.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário