Fome ou gula? Aprenda a diferenciar

A gula é considerada um mal na sociedade. O consumo alimentar em excesso é encarado, do ponto de vista moral e religioso, como um pecado capital, isso porque na história da humanidade existiram diversos episódios de fome, sendo que para que alguém pudesse se alimentar em excesso, alguém teve que deixar de se alimentar.

Hoje, a gula não é mais encarada sob esse ponto de vista, mas continua sendo um problema, uma vez que comer em excesso leva ao desequilíbrio do corpo. Com a facilidade que existe para consumir, tendo à nossa disposição diversos tipos de alimentos com os mais diferentes aromas e texturas, fica cada vez mais difícil conseguir diferenciar a necessidade de comer (fome) da vontade de comer (gula).

Principais diferenças

Fome ou gula? Aprenda a diferenciar e quais os cuidados necessários

A confusão entre fome e gula é culpa de nosso cérebro. Ele nos engana, mandando a mensagem de que temos que comer aquilo, mesmo quando fisicamente nosso organismo não precisa. Por exemplo, se você quer comer algo específico, como um docinho depois do almoço ou aquele prato de macarronada que só existe no restaurante X, então, provavelmente, isso é apenas desejo, ou seja, gula, e não fome. A fome se contenta com qualquer coisa, não com algo em específico.

Quem já sentiu fome sabe como é doloroso. O corpo começa a dar sinais claros de que precisa de alimento, o qual irá se transformar em energia para realizar as funções vitais. Por isso que, quando sentimos fome, não conseguimos nem mesmo raciocinar direito, isso porque o metabolismo fica mais lento, economizando a energia que possui por acreditar estar em uma situação de perigo.

É possível identificar a fome por meio dos sinais que o corpo envia: dor de cabeça, tontura, fraqueza, tremedeira, sensação de um buraco no estômago (que dói ou ronca), mau humor e dificuldade de concentração são alguns dos exemplos do que a fome faz com o corpo. Já a gula é um desejo, quase irracional, por uma coisa específica, por exemplo, as mulheres quando estão de TPM sentem, muitas vezes, uma necessidade louca de comer doces, ou pessoas que estão muito ansiosas sentem a necessidade de comer qualquer coisa para aliviar a sua ansiedade.

Tudo é controlado pelo cérebro, não pelo estômago. Estar atento ao próprio corpo é fundamental para conseguir diferenciar as duas sensações.

Cuidados necessários

Para evitar cair na gula e comer em excesso, o ideal é treinar o próprio corpo para entender as situações em que deve comer. Se você criar o hábito de se alimentar todos os dias na mesma hora, irá perceber que, quando começa a se aproximar daquela hora, o seu corpo começará a dar sinais de fome. Quem tem um horário de almoço regular sabe bem o que isso significa. A dificuldade, muitas vezes, é em saber se já estamos satisfeitos ou não, isso porque o corpo demora para entender que estamos comendo, especialmente se você se alimentar muito rápido.

O corpo precisa de tempo para conseguir enviar sinais de saciedade, sendo que o ideal, segundo a recomendação dos nutricionistas, é mastigar, pelo menos, 20 vezes cada garfada, comendo devagar e, claro, prestando atenção na ação que está sendo realizada.

Se você tiver o hábito de comer enquanto faz outra atividade, por exemplo, ver televisão ou conversar com um colega, não estará ajudando o seu cérebro a perceber que está comendo, e o risco de ingerir mais do que deve é maior. Outro truque para evitar os excessos é não ingerir líquido junto com a comida, especialmente se a bebida for gaseificada, o que gera uma sensação de saciedade falsa, que mais tarde será percebida pelo corpo, que enviará sinais de que quer mais comida, aumentando a dúvida entre fome e gula.

Dicas para evitar a gula

Fome ou gula? Aprenda a diferenciar e quais os cuidados necessários

Uma boa dica é perceber a sua necessidade calórica, isso significa a necessidade de energia que o seu corpo precisa para realizar as atividades diárias. Dessa forma, uma pessoa que tem uma estatura maior tem maior necessidade de se alimentar que outra menor. O problema aqui é se você tem o hábito de se alimentar na rua, pois os restaurantes não servem os clientes a partir de seu tipo físico, mas sim a mesma quantidade para todos, o que nos força, muitas vezes, a comer mais do que devemos, por receio de desperdiçar alimento.

Prefira preparar a sua própria comida, ou opções de restaurantes onde você pode se servir, assim terá maior controle sobre a sua alimentação. Outra dica é beber muito líquido, pois, muitas vezes, a desidratação causa sensação de fome. Prefira bebidas sem açúcar, de preferência chás ou água, que devem ser ingeridas sempre uma hora antes, ou depois das principais refeições. Esse hábito irá ajudá-lo a controlar o consumo em excesso, trazendo equilíbrio ao seu corpo.

Quando sentir vontade de comer algo específico (ou seja, gula) fora do horário de suas refeições, procure ocupar sua cabeça com algo não relacionado a comida, como ler um livro, estudar, assistir a um filme, conversar com alguém, etc. Assim, seu cérebro “esquecerá” aquele desejo e passará a focar na atividade realizada.

Caso você tenha muita dificuldade em controlar a gula, procure ajuda de um profissional (nutricionista, médico, psicólogo).


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (Ainda sem avaliações)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Deixe um Comentário