Esofagite – O que é? Graus, Causas, Sintomas e Tratamento

Você sabe o que é a esofagite? Confira, aqui no Quero Viver Bem, informações completas sobre essa doença que acomete muitas pessoas!

A esofagite, também chamada de esofagite erosiva ou esofagite péptica, é uma inflamação que acomete o esôfago, uma espécie de tubo que conecta a boca ao estômago, transportando o alimento para digestão.

O esôfago fica inflamado por diferentes causas, como o contato com o material ácido do estômago em casos de refluxo, contaminação por micro-organismos, reações alérgicas, entre outros fatores.

Descubra mais sobre o problema, a seguir no Quero Viver Bem!

Esofagite

Sintomas da esofagite

  • Pirose (sensação de queimação / azia) que vai do estômago até a garganta;
  • Dor no peito, em alguns casos intensa, sendo confundida com doenças cardíacas;
  • Refluxo e regurgitação;
  • Dor na garganta, especialmente em casos nos quais o paciente também apresenta refluxo e regurgitação;
  • Voz rouca;
  • Mau hálito;
  • Gosto amargo na boca;
  • Tosse;
  • Dificuldade para engolir alimentos;
  • Indigestão.

Graus de esofagite

A esofagite é dividida em quatro graus: A, B, C e D. Só é possível saber qual atinge o paciente realizando exames clínicos/de diagnóstico que, normalmente, são solicitados pelo médico.

Os graus A e B são considerados leves e iniciais. De maneira geral, o paciente apresenta sintomas da esofagite, porém sem grande intensidade, conseguindo se alimentar normalmente.

Já os graus C e D da esofagite são considerados mais graves, tanto que o paciente enfrenta sintomas de maneira aguda, passando a ter dificuldade para se alimentar.

Esofagite

Tipos e causas da esofagite

Há vários tipos de esofagite e cada um deles possui uma causa diferente. Abaixo, confira todos os conhecidos e o que provoca a doença:

Esofagite de refluxo

Trata-se de um tipo bastante comum, sendo uma complicação da DRGE (Doença do Refluxo Gastroesofágico). Neste caso, o material ácido do estômago retorna ao esôfago, danificando-o e provocando a inflamação.

Esofagite infecciosa

Ocorre quando o esôfago é contaminado por um vírus, bactéria, fungo ou qualquer outro organismo parasitário, gerando a infecção. Curiosamente, esse tipo costuma ser mais raro e ter incidência em pessoas com problemas no sistema imunológico.

Esofagite de eosinófilos

Tipo que acomete pessoas com alergia alimentar. Os eosinófilos, células que atuam na defesa do organismo, concentram-se no esôfago para combater agentes alérgicos presentes no alimento e acabam provocando, também, a esofagite.

Esofagite por medicamento

Acontece quando se faz uso de medicamentos que danificam a mucosa do esôfago. Em alguns casos, esses remédios grudam na parede do órgão e iniciam um processo de inflamação.

Daí a importância de tomar medicamentos com um pouco de líquido, pois faz com que o comprimido chegue rapidamente ao estômago, evitando que permaneça no esôfago por muito tempo e gere a inflamação.

Esofagite 2

Como identificar sinais da esofagite

A melhor forma de identificar sinais da doença é verificar se o corpo está passando pelos sintomas típicos da esofagite, como pirose, dor no peito, refluxo e dificuldade para engolir alimentos.

Se esses sintomas permanecerem por uma semana ou se intensificarem nesse período, o correto é procurar um médico para fazer o correto diagnóstico da doença e receber o tratamento adequado.

Como proceder em casos de esofagite

  • Consulte um especialista, como o gastroenterologista, profissional habilitado a tratar a doença;
  • Faça refeições pequenas, porém em um menor intervalo;
  • Corte o consumo de bebidas alcoólicas, gasosas e com cafeína;
  • Reduza a ingestão de alimentos condimentados e gordurosos;
  • Não use roupas apertadas, para não aumentar a pressão intra-abdominal e intensificar a esofagite.

Tratamento para esofagite

A esofagite tem cura e seu tratamento envolve o ataque à causa da doença. De modo geral, o médico indica que o paciente mude seus hábitos alimentares, passando a consumir itens com menor risco de levar à doença.

Além disso, também pode ser que o paciente precise tomar medicamentos específicos, como um antiácido, antifúngico ou antibiótico, tudo dependerá do agente causador da esofagite.

Em casos mais graves, o médico pode recomendar a realização de uma cirurgia para reparar o esôfago e garantir seu completo funcionamento, melhorando a qualidade de vida do paciente.

Complicações da esofagite

Caso a esofagite não seja tratada, ela pode estimular o estreitamento do esôfago, o que dificulta a passagem de alimentos e da própria saliva. Existe, também, o risco de surgimento de úlceras no órgão.

Ainda há a possibilidade do aparecimento de lesões, complicação que é chamada de esôfago de Barrett. Nesse caso, esses machucados no órgão podem evoluir para um câncer.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário