Ervilha – Benefícios, Tabela Nutricional, Consumo e Contraindicações

Que a ervilha está quase sempre na mesa do brasileiro isso muita gente sabe, mas você conhece os benefícios dessa vagem? Confira, aqui no QVB!

A ervilha (Pisum sativum) pertence à família Leguminoseae, juntamente com feijões, grão-de-bico e lentilha. Este vegetal ficou muito famoso em função dos experimentos de Mendel, ligados à genética e à transmissão de características de uma geração para a outra.

O vegetal é originário da Europa e é muito comum também em partes da Ásia. Como sua germinação ocorre em uma grande variação de temperatura, entre 5ºC e 25ºC, e requer pouca chuva, adaptou-se bem ao Sul do Brasil, e também ao Cerrado, onde passou a ser produzida recentemente.

Ervilha

Existem grãos do tipo liso e rugoso e cerca de 200 variedades de ervilhas, como Amélia, Bolero, Flávia, Majestic, Marina, Mikado e Triofin. Elas são bem resistentes a alguns tipos de conservação, como enlatadas e congeladas, apesar do consumo de ervilhas frescas ser melhor ao paladar.

Nutricionalmente, a ervilha consegue manter suas propriedades mesmo depois de processos. Confira, a seguir no Quero Viver Bem, os benefícios desta leguminosa para sua saúde, bem como a melhor forma de consumo!

Benefícios da ervilha

Ervilha

Fonte de proteínas

Assim como feijões, grão-de-bico e lentilha, as ervilhas possuem quantidades consideráveis de proteína vegetal e, juntamente com seu alto teor de fibra, fornecem sensação de saciedade, como acontece com o consumo de proteína animal.

Além de sua forma natural, existe a opção do consumo do pó proteico, feito a partir da extração de proteínas das ervilhas amarelas, consideradas de alta qualidade por conterem todos os nove aminoácidos essenciais.

Assim, a ervilha tornou-se uma opção vegana para suplementação de proteína com fins de aumentar a massa muscular.

Fonte de fibras

Pertencente à família das leguminosas, a ervilha é uma boa fonte de fibras, auxiliando no funcionamento do trato digestivo, fazendo o intestino funcionar com regularidade.

Bom para os ossos

As ervilhas verdes contêm vitamina K e manganês, que são essenciais para a construção e o fortalecimento de ossos, dentes e unhas. Assim, pessoas com osteopenia ou osteoporose podem se beneficiar do consumo.

Resultado de imagem para ervilha

Fonte de folato

O folato (ou vitamina B12) é um micronutriente essencial para a saúde do coração e para o desenvolvimento do feto. Portanto, grávidas podem aumentar o consumo deste vegetal a fim de suprirem a necessidade de B12.

Fortalecimento do sistema imunológico

A ervilha também contém quantidade considerável de vitamina C, que melhora o funcionamento do sistema imunológico.

A vitamina C também ajuda na absorção de ferro, fortalecendo ainda mais o organismo.

Auxílio no tratamento de diabetes tipo 2

Como as ervilhas possuem índice glicêmico baixo e alto teor de fibras, elas são uma boa opção para pessoas com diabetes, já que o açúcar será liberado de forma lenta no organismo, evitando os picos de glicemia.

Como pessoas com diabetes possuem restrição alimentar, as ervilhas são uma boa opção para inserir no cardápio.

Tabela nutricional

Confira a diferença nos valores nutricionais de 100 gramas de ervilha em vagem (in natura) e ervilha enlatada:

Ervilha

Dicas de consumo

Para se obter os benefícios citados acima, o consumo da ervilha deve ser intercalado com outros alimentos durante a semana. Dê preferência, opte pela versão in natura, em função de seu maior valor nutricional, sua textura em seu sabor mais agradáveis.

Se não for possível, as opções congeladas são melhores do que as enlatadas, como podemos ver no quadro nutricional acima.

Ervilha

Para incluí-la na dieta, a ervilha pode ser refogada com outros legumes, cozida sozinha ou no meio do arroz e da quinoa, por exemplo. Além disso, ela pode ser inserida em saladas, sopas e omeletes.

No caso do pó proteico para construção de massa muscular, o ideal é ingerir o pó misturado com água antes ou depois do treino, ou conforme indicação do seu nutricionista.

Contraindicações

Até o momento não há relatos de contraindicações para o consumo deste alimento.

 

Prefira sempre as versões in natura dos alimentos para um maior aproveitamento dos nutrientes, garantindo, assim, benefícios à saúde.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário