Erva-de-santa-maria – Para que serve? Benefícios e Como consumir!

Você já ouviu falar na erva-santa-maria? Sabia que ela é uma das ervas que mais contém benefícios? Confira, aqui no QVB, quais são!

Erva-de-santa-maria, também conhecida como mastruz, é uma planta de porte arbustivo – que pode alcançar de 40 centímetros a 1 metro – de origem no México, na América Central e na América do Sul.

Muita usada na medicina popular brasileira, a erva-de-santa-maria tem seus maiores usos com as folhas, os talos e as sementes.

Descubra quais são os benefícios dela, suas propriedades e tabela nutricional, formas de consumo e contraindicações, tudo isso só aqui, no Quero Viver Bem!

Erva-santa-maria

Para que serve a erva-de-santa-maria?

A erva-de-santa-maria é uma planta de uso medicinal bastante curiosa, principalmente por suas indicações.

De acordo com as inúmeras pesquisas científicas realizadas a fim de comprovar suas propriedades e seus benefícios, pode-se dizer que a erva-de-santa-maria se destaca por ser:

  • Anti-inflamatória;
  • Antiasmática;
  • Anticancerígena;
  • Antiespasmódica;
  • Antifúngica;
  • Antigripal;
  • Abortiva;
  • Antinevrálgica;
  • Antipalúdica;
  • Antitumoral;
  • Antiulcerosa;
  • Antiviral;
  • Cicatrizante;
  • Digestiva;
  • Diurética;
  • Sedativa.

Outras propriedades da erva-de-santa-maria podem ser encontradas, já que a planta vem passando por vários estudos.

No caso dos benefícios dessa planta, ela é capaz de:

  • Aumentar a transpiração;
  • Combater tumores, quando usada em forma de cataplasmas;
  • Desinchar pernas gotosas;
  • Atuar contra afecções de pele, edemas, dores de estômago e cólicas;
  • Ajudar a combater as varizes e as cãibras;
  • Tratar distúrbios renais, infecções pulmonares, traumatismos ósseos, má circulação, úlceras, problemas de má circulação e espasmos musculares;
  • Regular e fortalecer o fígado, o estômago e os intestinos;
  • Melhorar casos de refluxo gastresofágico;
  • Diminuir problemas com gases e constipação crônica.

Ainda, a erva-de-santa-maria é eficaz contra parasitoses e vermes intestinais.

Nas hortas, a planta pode ser utilizada como controle de insetos.

Outros problemas de saúde também podem ser tratados com o uso medicinal de erva-de-santa-maria, como é o caso de angina, bronquite, catarro bronquial e gripe.

Erva-santa-maria

Tabela nutricional da erva-de-santa-maria ou mastruz

A erva-de-santa-maria, por todos os benefícios citados acima, com certeza possui princípios ativos essenciais.

Entre óleos essenciais, saponinas ácidas, sais minerais e flavonoides, essa é a tabela nutricional com alguns dos principais componentes encontrados nessa planta:

  • Ácido butírico;
  • Ácido furúlico;
  • Ácido málico;
  • Ácido salicílico;
  • Ácido tartárico;
  • Ácido vanílico;
  • Ácidos orgânicos;
  • Aritasona;
  • Cânfora;
  • Espinasterol;
  • Éster fenólico;
  • Mirceno;
  • P-cimeno;
  • P-cimol;
  • Pectina;
  • Peróxido de metandieno;
  • Taninos;
  • Terpenos;
  • Trimetilamina;
  • Uréase.

É curioso dizer que 1,5% da planta é composta por óleo essencial, enquanto que 64,5% dela contém ascaridol.

Como consumir?

Erva-santa-maria

No Brasil, o uso de erva-de-santa-maria é comumente visto em óleo e extrato.

Farmácias de manipulação tendem a oferecer a erva-de-santa-maria em dosagens de tintura e extrato fluído. Mas, tudo vai depender do médico que irá lhe recomendar o uso adequado da planta.

Em geral, a tintura de erva-de-santa-maria é recomendada, por dia, de 10 a 50ml, enquanto que o extrato fluído é indicado de 2 a 10ml diários.

O óleo essencial presente na erva-de-santa-maria pode ser letal ao ser humano, quando ingerido. Por isso, o uso externo é a forma mais correta.

Vale lembrar, entretanto, que mesmo o uso externo pode causar reações adversas, tais como náuseas, depressão do sistema nervoso, vômitos, surdez, transtornos visuais, lesões hepáticas e renais e problemas cardíacos e respiratórios.

Em outros casos, seu uso pode provocar irritação na pele e nas mucosas.

Converse bem com o seu médico antes de iniciar o uso de erva-de-santa-maria, afinal, a utilização dessa planta deve ser feita de forma cautelosa para que se minimize os seus efeitos colaterais e se obtenha o máximo de suas propriedades medicinais.

Contraindicações

Embora existam inúmeras vantagens terapêuticas na aplicação da erva-de-santa-maria para a saúde, essa planta pode não ser a mais indicada para certas pessoas.

Um ponto que se deve analisar é a dosagem, afinal, por ser tóxica, quando a dosagem ultrapassar dos limites, isto é, for utilizada em alta concentração, a erva-de-santa-maria poderá causar até a morte.

As quantidades indicadas de uso são fundamentais para que só se aproveite a parte boa da planta.

Pessoas sensíveis podem sofrer com alterações do Sistema Nervoso Central, passando por espasmos e paralisias, por exemplo. Por isso, a planta é contraindicada para pessoas que apresentem hipersensibilidade a algum componente.

Além disso, é de extrema importância que a erva-de-santa-maria não seja utilizada por mulheres que estejam com intenção de engravidar, nem para aquelas que estão com suspeita de gravidez, gestantes e lactantes, isso porque a planta é abortiva, como comentado anteriormente.

Seu uso é desaconselhado também para crianças pequenas e bebês.

A ideia é sempre ter o apoio de um profissional de saúde quando você intenciona aproveitar os benefícios que a natureza oferece.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário