Endorfina – O que é? Como liberar e Produzir o hormônio da felicidade?

A endorfina pode trazer milhares de benefícios para o corpo se você souber como liberá-las e não é só com o exercício que você consegue. Descubra aqui como!

A endorfina é um hormônio natural, produzido pelas reações do nosso cérebro, também chamada de neuro-hormônio. Ela tem muito em comum com drogas que controlam o humor, como a morfina. Entretanto, essas drogas, normalmente, oferecem também alguns efeitos colaterais, ao contrário da endorfina, que apresenta somente benefícios.

A função da endorfina no corpo é mascarar a dor, funcionando como um analgésico natural. Quando ela é liberada causa uma breve euforia que faz com que a pessoa se sinta relaxada e feliz.

O que é a endorfina?

Endorfina é o termo popular para substâncias químicas nomeadas cientificamente de opiatepeptides. Seu nome é a junção dos termos endo (interno) + morfina (analgésico), sendo que seus efeitos são tão poderosos que chegam a ser 20 vezes mais eficientes que alguns medicamentos para dor.

Essa substância é produzida pelo próprio organismo humano, mais precisamente pela glândula hipófise. Ela é responsável pela modulação da dor e atua nas áreas cerebrais responsáveis pela sensação de conforto, bem-estar e bom-humor. 

Conhecido como o hormônio do prazer, esse analgésico natural pode, até mesmo, inibir o estresse e aliviar tensões, sendo que estudos apontam que os seus efeitos podem durar até duas horas após a sua liberação.

5 formas de liberar endorfina

Liberar endorfina pode ser mais fácil do que você imagina. Fique tranquilo, pois você não vai precisar gastar uma fortuna com medicamentos para se beneficiar desta droga natural do corpo. Veja 7 ações que ajudam a liberá-la:

1 – Comer

Não importa se é a sua comida preferida ou aquele lanche rápido, se alimentar tem efeitos positivos para o organismo e ajuda a liberar endorfinas. Está explicado porque todo mundo gosta de dar uma atenção especial para o paladar, principalmente quando se está triste.Na hora de escolher o prato dê preferência para os alimentos termogênicos como chocolates ou a pimenta – eles também ajudam a expelir o hormônio.

dieta low carb efeito colateral fome

2 – Assistir filmes

Por incrível que pareça assistir às suas séries preferidas te ajuda a liberar endorfinas. O efeito foi confirmado por pesquisadores da Universidade de Oxford. No documento, o diretor do projeto, Robin Dunbar, comenta que aqueles que tiveram melhores respostas emocionais no estudo foram os que tiveram melhores resistência a dores. Ou seja: ter uma rotina feliz te ajuda a sentir menos dores!

assistir filme libera endorfina

3 – Sorrir

Sorrir libera tanto endorfinas quanto serotonina e ajuda o corpo a ficar mais forte e saudável. Portanto, é verdadeira aquela premissa de que bom-humor gera bom-humor: quanto mais você sorrir, maiores serão as chances de continuar se sentindo bem.

como liberar endorfina sorrir

4 – Praticar exercícios

Praticar exercícios liberam hormônios de bem-estar. A prática regular faz com que a pessoa se sinta relaxada, estimula as boas noites de sono e ainda deixa com um “gostinho de quero mais”. O primeiro passo é inciar com uma atividade física que você goste. Se você não sabe por onde começar indicamos que leia o texto de exercícios para fazer em casa. 

5 – Ter relações sexuais

Trocar momentos de intimidade, carícias e manter relações sexuais com recorrência ajuda a controlar os hormônios e mantém a pessoa mais alegre e resistente. Afinal, estas são boas práticas para quem procura aliviar a ansiedade e o estresse.

como liberar endorfina

Funções da endorfina no organismo

A endorfina tem inúmeras funções no organismo. Ela faz parte da tríplice da felicidade – os três hormônios que atuam diretamente na diminuição da ansiedade e sensação de relaxamento. As outras duas parceiras são a serotonina e o triptofano.

Abaixo segue a lista de benefícios que o hormônio desempenha no organismo:

  • Ajuda a superar vícios: quando o nível da endorfina diminui, é mais provável que você procure fontes de conforto ou recompensa, que podem ser vícios, como drogas e álcool;
  • Protege o coração: a endorfina ajuda a melhorar o sistema imunológico e a proteger o coração contra os efeitos do estresse;
  • Trabalha na modulação da dor: ela possui efeitos semelhantes aos da morfina, o que a torna muito eficaz para aliviar dores, bem como torna a pessoa mais resistente físicamente;
  • Alivia estresse, ansiedade e depressão: é responsável por melhorar o humor, o que ajuda a aliviar sintomas danosos ao corpo;
  • Fortalece o sistema imunológico: quanto mais níveis de endorfinas são liberados maiores menores são as chances do usuários ser infectado por vírus e bactérias;
  • Mantém o cérebro aguçado: certos tipos de endorfina são altamente benéficos para a cognição, estimulando a criatividade, inspiração e motivação.

Consequências da falta de endorfinas

O baixo índice de endorfinas no organismo pode provocar uma série de sintomas e até contribuir para o desenvolvimento de doenças como a depressão. Abaixo segue a lista de sinais de que o corpo está sem o estímulo adequado de hormônios da felicidade:

  • Ansiedade constante;
  • Alteração de humor repentina;
  • Irritabilidade;
  • Dores no corpo;
  • Indisposição.

Como a endorfina é produzida?

A endorfina desempenha várias funções no organismo, sendo uma das principais o papel de modulação da dor. Acredita-se que ela seja liberada para inibir a ação de dor e do medo em momentos determinantes, agindo conjuntamente com a adrenalina. Em outros casos, ela é liberada por estímulos no sistema nervoso central.

Quando a endorfina é liberada no sistema nervoso simpático, vai para a corrente sanguínea e se comunica com as demais células.  Quanto maior for a taxa de endorfina no sangue menos dor e mais feliz o usuário estará. Este processo acontece várias vezes durante o dia mediante ações que estimulam a sua liberação.

Agora que você sabe o que é a endorfina e, principalmente, conheceu 10 formas diferentes de produzir endorfinas de forma saudável, é hora de botar tudo em prática. Baixos níveis desse neuro-hormônio podem causar dor crônica e emocional, fibromialgia e outros vícios.


Referências utilizadas neste conteúdo:

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL. Níveis de beta-endorfina em resposta ao exercício e no sobretreinamento. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/40053




UNIVERSIDADE DO PLANALTO CATARINENSE. Atuação dos neurotransmissores na depressão. Disponível em: http://www.saudeemmovimento.com.br/revista/artigos/cienciasfarmaceuticas/v1n1a6.pdf



UNIVERSIDADE DE OXFORD. Friends better than morphine. Disponível em: http://www.ox.ac.uk/news/2016-04-28-friends-better-morphine



Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário