Endometriose: o que é? Causas, sintomas e tratamento

Clique aqui e leia informações completas sobre a endometriose: o que é esta doença, quais são as principais causas e como é realizado o tratamento.

Sendo uma doença que acomete 6 milhões de mulheres no mundo inteiro, segundo a Associação Brasileira de Endometriose e Ginecologia, a endometriose gera dores fortes e, na maioria das vezes, não é diagnosticada, devido aos seus sintomas parecidos com a aproximação do período menstrual.

Se você apresenta esses sintomas antes, durante ou mesmo depois da menstruação, investigar o caso é super importante, isso porque o problema pode ser a causa. Leia mais informações, abaixo.

Endometriose: O Que É?

Endometriose: o que é? Causas, sintomas e tratamento

Essa doença é caracterizada pelo crescimento do endométrio – mucosa que cobre a parede do útero – em outras áreas do corpo. Isso tende a atingir a região pélvica: fora do útero, intestino, reto, peritônio, ovários, reto e outros lugares ao redor do órgão feminino, ademais há chances também de que o problema atinja outras partes do corpo.

A endometriose ainda não possui causas certamente comprovadas, porém os motivos mais considerados, são:

  • Menstruação retrógrada: quando o sangue da menstruação sofre com refluxo para a cavidade pélvica, desse modo, as células endométricas ali presentes, começam a crescer. Isso acontece comumente durante o período menstrual;
  • Aumento das células embrionárias: geralmente, as células que cobrem o abdômen e outras cavidades são de origem embrionária comum, porém há casos – que não se sabe o porquê – em que elas se tornam tecidos endometriais, provocando, assim, a doença;
  • Sistema imunológico enfraquecido: ocorre quando o sistema de defesa do organismo está enfraquecido.

Além disso, cirurgias, como a histerectomia ou cesárea, também podem ser causas da doença, devido às incisões cirúrgicas realizadas.

Tipos de Endometriose

Como já dito, a endometriose pode acometer outras partes do corpo feminino, tendo vários tipos de classificação, sendo:

1 – Endometriose Intestinal

Esse tipo de endometriose desenvolve-se quando o tecido do útero invade o interior do intestino. É normal que quem possui esse tipo da doença enfrente problemas de prisão de ventre com dores acentuadas, sangue nas fezes, dor maior ao defecar, abdômen inchado e dores no reto.

2 – Endometriose Nos Ovários

A endometriose que afeta os ovários tem o nome específico de endometrioma, acontecendo especificamente pelo aumento dos endométrios ao redor do ovário. Os sintomas são mais genéricos, incluindo dores na pelve, fluxo menstrual maior do que o normal e dor durante a relação sexual.

3 – Endometriose na Bexiga

Há casos em que a endometriose aparece também na bexiga, tendo como principais sintomas dor na hora de urinar – em casos mais graves, há pus e sangue na urina -, dor na relação sexual e vontade constante de ir ao banheiro, como se a bexiga estivesse sempre cheia.

É preciso atenção aos sintomas, isso porque essa forma da doença é muito confundida com infecção urinária, o que dificulta o processo de diagnóstico e, consequentemente, o tratamento.

Níveis da Doença

Endometriose: o que é? Causas, sintomas e tratamento

A doença também costuma ser dividida em três níveis, que são: leve, moderada e severa. A primeira apresenta dores suportáveis e não há a necessidade do uso de remédios; na segunda é comum que a paciente use medicamentos para sanar dores; e na terceira, mesmo que a paciente use propriedades analgésicas, é comum que ele apresente dores insuportáveis.

Os Principais Sintomas

Os sintomas da doença podem ser confundidos com os sintomas comuns da menstruação, porém têm maior intensidade, com dores bem mais marcantes, em alguns casos. Veja quais são os principais sintomas da doença, abaixo:

  • Dores durante a menstruação;
  • Dores logo abaixo do abdômen;
  • Dores durante a relação sexual;
  • Dores ao urinar ou defecar, principalmente no ciclo menstrual;
  • Problemas de infertilidade;
  • Inchaço na região abdominal;
  • Dificuldade para evacuar;
  • Urina com sangue;
  • Cansaço;
  • Diarreia.

Caso você sinta algum tipo de desconforto durante a sua menstruação ou no período que a antecede, é indicado verificar com um profissional da saúde o que está acontecendo, pois pode ser outra doença mais grave ou algo mais simples.

Fatores de Risco

A doença costuma ser hereditária, além de ter maior incidência em mulheres que:

  • Tiveram a primeira gestação após os 30 anos de idade;
  • Nunca engravidaram;
  • Possuem ciclos menstruais com menos de 27 dias, além de que costumam ter grande fluxo que perdura por muito tempo;
  • Têm menstruação antes do ciclo ou interrupção durante;
  • Possuem anomalias diagnosticadas no útero.

Diagnóstico

O diagnóstico da doença, em casos mais evidentes, pode ser feito pelo exame de toque ginecológico. Já para os demais casos, os procedimentos são:

  • Exame pélvico: busca alterações no órgão feminino por completo;
  • Ressonância magnética: é usado em casos de endometriose profunda;
  • Colonoscopia: procura por alterações no intestino;
  • Transvaginal: realiza uma busca por cistos na região;
  • Cistocopia: por meio do endoscópio, o médico verifica cada via urinária da paciente;
  • Laparoscopia: analisa a estrutura da cavidade abdominal.

Tratamento da doença

Endometriose: o que é? Causas, sintomas e tratamento

A doença ainda não possui uma cura definitiva, porém há várias maneiras de prevenir e tratamento, que consistem em diminuir a dor, o sangramento em excesso e a infertilidade.

Pílula Anticoncepcional

O uso do anticoncepcional é indicado para evitar o período de ovulação e, por consequência, a inflamação do tecido endometrial, contanto que a mulher não esteja pensando em engravidar.

Esse medicamento pode ser o oral tradicional ou o DIU mirena, da mesma forma que remédios anti-hormonais também podem ser utilizados para a redução do estrogênio gerado pelos ovários, evitando possíveis ciclos menstruais e riscos de aparecimento da endometriose.

Cirurgia da Endometriose

A primeira opção de escolha das mulheres que sofrem constantemente com esse problema é a cirurgia que remove o tecido endometrial de fora do útero, diminuindo, assim, os sintomas e aumentando as chances de gravidez.

A cirurgia pode ser feito pela laparoscopia, principalmente nos casos em que o tecido não é muito grande, a fim de uma recuperação mais rápida e simples. Se a mulher não deseja engravidar, é possível realizar a retirada do útero por completo, porém isso acontece apenas em casos específicos.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário