Dor no ombro – O que é? Causa, Diagnóstico e Tratamento

Os ortopedistas confirmam: a dor na coluna é a queixa mais frequente entre seus pacientes. Entretanto, existe outra reclamação que está crescendo de forma surpreendente e que precisa de atenção: a dor no ombro!

Sem limite de idade ou sexo, ela pode ocorrer em homens e mulheres, crianças, adultos e idosos, sedentários e até esportistas. O que se sabe é que a dor no ombro é desagradável e merece diagnóstico e tratamento adequados!

Entenda o que causa a dor no ombro, os perigos dessa queixa, como se dá o diagnóstico e quais os tratamentos mais utilizados, aqui no Quero Viver Bem!

dor no ombro

O que causa a dor no ombro?

A dor no ombro, geralmente, acomete mais as pessoas durante o período noturno – quase todos os pacientes fazem queixas em relação ao desconforto que sentem quando deitam em cima do ombro ou no momento de levantar o braço.

As pessoas ainda relatam dificuldade em esticar o braço ou mesmo em pegar/segurar algum objeto mais pesado com a mão do lado que sentem dor. Isso indica como a dor no ombro pode limitar movimentos que antes eram vistos como simples e do cotidiano.

As dores nos ombros são, em grande parte das situações, sintomas de lesões, ocasionadas pela repetição de movimentos que acabam machucando os tendões e também por processos crônico-degenerativos em pessoas após os 40/50 anos de idade.

Veja uma lista com todas as causas possíveis relacionadas à dor no ombro:

  • Artrite nas articulações que se localizam ao redor do ombro;
  • Ataque cardíaco;
  • Bursite (inflamação da bursa – bolsa repleta de líquido que protege o tendão);
  • Distensões;
  • Entorses;
  • Fraturas dos ossos do ombro;
  • Luxação do ombro (ou deslocamento do ombro);
  • Necrose avascular;
  • Polimialgia reumática;
  • Radiculopatia cervical;
  • Síndrome do desfiladeiro torácico;
  • Síndrome do ombro congelado (ou capsulite adesiva);
  • Tendinite (inflamação dos tendões da musculatura do ombro).

É importante que você saiba que o ombro é a articulação mais móvel do nosso corpo e, por conta disso, tem uma maior suscetibilidade a lesões.

Algumas dessas causas, como as tendinites e bursites, podem acontecer de maneira isolada ou ainda conjuntamente, sendo mais comuns de surgirem e que, com o passar dos anos, podem comprimir ainda mais os tendões e prejudicar com mais gravidade movimentos, como o de elevação.

A própria dor no ombro resultante da tendinite pode acontecer não somente pelo movimento de levantamento do membro, mas também pelo desgaste natural (envelhecimento), por atividades esportivas – em especial quando há movimentos de lançamento – e por traumas diretos.

Diagnóstico para a dor no ombro

dor de pescoço

Em geral, o diagnóstico para verificar algum problema no ombro envolve a análise de histórico clínico do paciente, pois é extremamente importante conhecer o que a pessoa sofre ou já sofreu de doenças em sua vida.

A avaliação física verifica, por meio de manobras simples, se há sinais de que a articulação do ombro está comprometida. Por isso, é comum que o médico ortopedista faça testes para que você levante o braço segurando a escápula, para o ombro não subir, ou ainda realizando alguma resistência para forçar o movimento do osso saliente da clavícula contra o tendão (para verificar a presença de dor).

A avaliação física ainda auxilia o médico a descobrir a localização exata da dor, o grau de limitação da movimentação do ombro e se há presença de “estalos” (crepitações).

Caso seja necessário, o profissional da saúde solicitará exames complementares, tais como raio-x, ultrassom e ressonância magnética, a fim de diagnosticar a causa da dor e a extensão do comprometimento.

Um diagnóstico correto é essencial, pois a dor no ombro pode ser, muitas vezes, decorrente de dor nas áreas próximas (como a coluna cervical e o cotovelo), além de doenças que afetam o coração, o fígado e os pulmões.

Como tratar a dor no ombro?

problema no ombro

O tratamento para a dor no ombro dependerá da causa descoberta, que poderá ser conservadora (quando não há necessidade de cirurgia) ou cirúrgica.

O tratamento conservador envolve a utilização de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos, além de recomendação para a prática de fisioterapia (que irá garantir uma gradual recuperação dos movimentos) e educação postural. Exercícios assistidos e orientados por pessoas capacitadas podem ser uma opção interessante.

A dor no ombro também pode ser tratada com compressas de gelo e com repouso. Essas são duas dicas que os médicos recomendam muito, pois, durante a recuperação – principalmente após um procedimento cirúrgico –, tais ações amenizam a dor e reduzem qualquer inflamação.

Claro que, em casos mais graves, como quando acontece ruptura de tendão, deslocamento de ombro ou fratura, o tratamento é justamente a cirurgia.

Lembre-se que, para evitar dores no ombro, você pode adotar algumas atitudes ergonômicas, bem como a prática de exercícios físicos. Evite o sedentarismo e procure manter-se no peso adequado – lembre-se de sempre alongar-se e fortalecer a musculatura da região dos ombros.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

1 Estrela2  Estrelas3  Estrelas4  Estrelas5  Estrelas (Ainda sem avaliações)
Loading...

Quem Leu Este Artigo também costuma ler:

Deixe um Comentário