Dor de ouvido – O que é? Causa, Diagnóstico e Tratamento

Você sabe o que é a dor de ouvido? Sabia que ela pode ter várias causas, cada uma com tratamento específico? Descubra tudo, aqui no Quero Viver Bem!

A dor de ouvido é um problema muito mais comum do que se aparenta, afetando principalmente as crianças, embora atinja muitos adultos. Essa dor, muitas vezes, é constante ou surge e some para depois voltar, seja em apenas um ouvido ou nos dois. Entre as características da dor, é possível citar algo como uma sensação de queimação, que pode variar para uma dor pontiaguda ou mesmo maçante.

Causas da dor de ouvido

São várias as causas da dor de ouvido, segundo especialistas da Sociedade Brasileira para Estudo da Dor (SBED). Algumas delas são decorrentes de problemas que atingem a própria orelha (denominadas de otites), mas também há outros que ocorrem em regiões próximas aos ouvidos, como a garganta, os dentes e a articulação temporo-mandibular (ATM). Vejamos, a seguir, algumas causas:

  • Entrada de água ou de cosméticos no canal auditivo;
  • Infecção do canal auditivo fora do tímpano (otite externa);
  • Furúnculo ou folículo piloso infectado no canal auditivo;
  • Artrite da mandíbula;
  • Eczema no canal do ouvido (dermatite seborreica);
  • Lesão no canal auditivo feita por cotonetes ou objetos pontiagudos;
  • Bloqueios na orelha, provocados por placas de cera ou algo enfiado no ouvido;
  • Infecções de garganta e resfriados;
  • Alergias no trato respiratório, ou infecções como rinossinusite;
  • Dor devido a problemas na mandíbula, como a disfunção da articulação temporo-mandibular;
  • Problemas dentários, como abscesso dental na boca e nascimento dos dentes do siso;
  • Neuralgia do trigêmeo (dor provocada por alterações no nervo trigêmeo);
  • Dor gerada por inflamação do nervo facial.

[LEIA TAMBÉM: DOR NO MAXILAR – O QUE É?]

Sintomas e sinais que ajudam a identificar o problema

dor de ouvido

Há alguns sinais que podem ajudar a perceber que a dor de ouvido está afetando o seu dia a dia ou mesmo de seu filho – nesse último caso, inclusive, costuma ser mais difícil de identificar, já que, dependendo da idade, nem todas as crianças conseguem traduzir o que estão sentindo exatamente para os seus pais.

A primeira dica dada por especialistas é para o caso de a pessoa notar uma rigidez no pescoço, acompanhada de irritação e cansaço. Se isso ocorrer, leve a criança ao médico urgentemente.

Outros sintomas relacionados a dor de ouvido podem ser: vertigem, forte dor de cabeça, inchaço ao redor do ouvido afetado, fraqueza nos músculos do rosto e dor intensa, que pode indicar o rompimento de um tímpano.

No caso de crianças pequenas e bebês, outras pistas podem ajudar a interpretar o que está acontecendo. Por exemplo, se o bebê estiver aparentando maior irritação do que o normal, ou se a criança fica puxando e esfregando as mãos no ouvido, se apresenta febre, perda de apetite, tosse e nariz entupido, bem como problemas para dormir à noite, dificuldades na audição e para se equilibrar.

Caso os sintomas de dor, febre e irritabilidade piorarem ou não apresentarem melhora entre 24 e 48 horas, leve a criança ao médico.

Tratamento para dor de ouvido

dor no ouvido

Entre os especialistas que podem avaliar o caso e dar um diagnóstico estão o clínico geral, o pediatra ou o otorrinolaringologista. Pode ser necessário realizar algum tipo de exame complementar para identificar o problema. Caso haja infecções persistentes no ouvido ou mesmo acúmulo de líquido constante no local, o médico poderá encaminhar o paciente para um fonoaudiólogo ou um terapeuta de desenvolvimento, a fim de que alguns testes de audição e de fala sejam feitos.

O especialista poderá ainda prescrever algum medicamento que alivie os sintomas e diminua a infecção no ouvido. Entre os principais que podem ser sugeridos estão: Deocil, Dipirona, Tramal, Nimesulida e Toragesic. Também, costumam ser indicadas medicações tópicas – caso de pomadas e de remédios em gotas -, para serem aplicadas na região afetada. É recomendável, ainda, evitar a umidade na região.

Pacientes com otites externas – uma das mais comuns a atingir pessoas que fazem natação, por exemplo – devem aplicar de duas a três gotas de uma substância oleosa (óleos minerais ou vegetais, como Nujol, óleo Johnson, azeite, entre outros) antes de entrar na piscina ou no mar, e mais duas a três gotas em cada ouvido depois do banho. Já em pacientes com otite média (inflamação no ouvido médio, que fica atrás do tímpano), é recomendado remédio via oral, pois as gotas não são absorvidas pelo tímpano e, portanto, não promovem o alívio desejado.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário