Dor de cabeça tensional: o que é, como acontece e mais

Quem nunca sentiu dor de cabeça tensional? Uma sensação de aperto dos dois lados da cabeça. Veja aqui quais são os sintomas, cuidados e mais.

Quem nunca sentiu dor de cabeça tensional? Uma sensação de aperto dos dois lados da cabeça, que, muitas vezes, impede a pessoa de realizar suas tarefas rotineiras. Pode ser um problema episódico, que surge após um longo período de estresse e desaparece com um cochilo ou analgésicos. Por outro lado, pode ser crônico, durando por longos dias.

A dor de cabeça tensional pode ir de leva a moderada. A pessoa sente como se uma faixa estivesse pressionando seu crânio. No entanto, esse problema é muito mais comum do que se imagina! Cerca de 9 entre 10 pessoas afirmam terem dores de cabeça. Mas, qual é a causa? Qual o tratamento adequado e como livrar-se de uma vez por todas desse mal? Vamos te explicar tudo detalhadamente! Confira:

Causas da dor de cabeça tensional

Dor de cabeça tensional: o que é, como acontece e mais

Não possui uma causa específica, no entanto sabe-se que não é um problema hereditário. Geralmente, ela vem após uma tensão muscular, podendo começar atrás do pescoço e/ou do couro cabeludo.

Essa tensão muscular pode surgir por vários fatores, como fome, cansaço, excesso de ansiedade, estresse do trabalho, problemas emocionais, depressão, má postura, pouco descanso ou até excesso de atividades físicas.

Em outras palavras, a dor de cabeça tensional tem origem em algum tipo de estresse, como problemas em casa e/ou no trabalho, períodos de ansiedade, como a chegada de um bebê ou um concurso, insatisfação com alguns aspectos de sua vida entre outros fatores. Ela pode surgir de duas formas:

  • Dor de cabeça tensional episódica;
  • Dor de cabeça tensional crônica.

No primeiro tipo, a causa, geralmente, é uma situação isolada ou até um pequeno acúmulo de estresse do dia a dia. É comum surgir ao final da tarde e início da noite, podendo durar 30 minutos ou alguns dias. Já a crônica é resultado do estresse diário, podendo surgir a qualquer momento. Inclusive, há pacientes que já acordam com dores de cabeça, durando mais que 15 dias.

Pode ser um sintoma de outras doenças, como a sinusite e a congestão nasal. Também, pode ser causada pelo excesso de álcool e café. A abstinência de ambos também pode causar dores de cabeça.

Sintomas

O principal sintoma é a própria dor de cabeça, que, geralmente, é uma pressão na frente, no topo ou nas laterais da cabeça. Ela causa dificuldades para dormir, fadiga, irritabilidade e até outras dores musculares.

A dor de cabeça tensional episódica surge ao final de um dia estressante, podendo resultar em dificuldades de concentração e sensibilidade à luz ou algum tipo de ruído. Não confunda esses sintomas com enxaqueca! A enxaqueca pode estar relacionada a distúrbios visuais e ainda causar náuseas e/ou vômitos.

É um problema comum e, em casos episódicos, é facilmente tratada, sem a necessidade de um médico. Mas, se a sua dor é frequente e aparece mais que 2 vezes na semana, é importante agendar uma consulta, para uma análise mais aprofundada do problema.

Tratamento

É comum que as pessoas, ao sentirem dores de cabeça, tomem analgésicos. Pode até ser uma alternativa, mas o uso contínuo desse tipo de medicamento pode piorar as dores. Lembre-se, se o problema persistir, procure um médico. Nestes casos, o tratamento adequado envolve a combinação de determinados remédios.

Em muitos casos, a dor de cabeça é passageira, podendo durar apenas 30 minutos. Ao sentir as dores, experimente deitar e relaxar por um tempo. Se possível, tome um banho e tire um cochilo rápido. Às vezes, o seu corpo só precisa repor as energias.

Há ainda tratamentos preventivos para quem sofre com o problema amenizar as dores e até diminuir a frequência. Nestes casos, o paciente deverá fazer uso de antidepressivos tricíclicos ou outros e até anticonvulsivantes e relaxantes musculares. No entanto, o tratamento preventivo pode demorar um pouco para fazer efeito.

Outras maneiras de prevenir a dor de cabeça tensional são:

  • Praticar atividade física com frequência e sem exageros;
  • Optar por uma alimentação saudável e equilibrada;
  • Criar uma rotina de sono para dormir bem;
  • Aumentar o consumo de água;
  • Não fumar;
  • Limitar o consumo de certos alimentos, como álcool, café e açúcar.

Se as dores não melhorarem com o tempo, recomenda-se procurar um médico neurologista.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário