Dieta rica em carboidratos: quais os benefícios ou malefícios?

Veja aqui quais são os principais benefícios da dieta rica em carboidratos, quais são suas melhores na saúde, cuidados necessários e mais.

Os carboidratos sempre são tratados como grandes vilões do emagrecimento. Mas, isso não é verdade: adotar uma dieta rica nesse tipo de nutriente pode ser efetivo para a perda de peso, entregando resultados surpreendentes.

O motivo é simples: dietas que não restringem o carboidrato são mais eficazes, porque são mais fáceis de serem mantidas, já que não alteram profundamente a rotina alimentar.

E quais seriam as vantagens obtidas e como adotar uma dieta rica em carboidratos? Confira, a seguir, essas informações e aproveite para colocá-las em prática e emagrecer definitivamente.

Vantagens da dieta rica em carboidratos

Dieta rica em carboidratos: quais os benefícios ou malefícios?

Primeiramente, saiba que uma dieta rica em carboidratos não significa consumir qualquer tipo de carboidrato em grandes quantidades, mas sim ingerir carboidrato de boa qualidade conforme as necessidades, sem exageros.

Veja algumas vantagens de não restringir o carboidrato da alimentação:

  • Eliminação da possibilidade de sofrer hipoglicemia, que é um problema no qual a pessoa tem pouco açúcar no sangue, tendo sintomas como vertigem, tremor, ansiedade, confusão mental e palpitações;
  • Aumento de massa magra, caso o consumo de carboidrato seja adequado e aliado a treinos de hipertrofia;
  • Aumento do metabolismo basal (queima de calorias com o corpo em repouso), passando a utilizar mais estoques de gordura corporal e acelerar o emagrecimento;
  • Estímulo da produção do FGF21, um hormônio que está relacionado ao controle da obesidade e à longevidade. Com essa substância em grande quantidade no organismo, a pessoa sente mais saciedade, comendo menos, além de passar por uma regulagem do metabolismo e pelo fortalecimento do sistema imunológico;
  • Auxilia a perda de peso, sem seguir dietas malucas ou demasiadamente restritivas, que possuem grande chance de prejudicar o organismo em longo prazo.

Como seguir uma dieta rica em carboidratos

Um dos principais erros cometidos por quem decide adotar esse tipo de dieta é comer o carboidrato errado. Ajuda saber que existem dois tipos de carboidrato: o simples e o complexo.

O simples é uma fonte de energia imediata para o organismo, porque é fácil de ser digerido. O grande problema é que, quando essa energia não é gasta, ela transforma-se em gordura. Exemplos de carboidratos simples são os açúcares (todos, inclusive mascavo, mel), pão branco, massas, bolos, bolachas e doces em geral.

Ou seja, se sua dieta for rica em carboidratos simples, não haverá o emagrecimento, inclusive existe uma grande chance de engordar. Para obter o resultado desejado, o correto é investir em carboidratos complexos.

Os carboidratos complexos fornecem energia gradativamente ao organismo e não causam picos de insulina. A lista desse tipo de alimento é imensa, mas caracteriza-se por ter, principalmente, itens integrais, frutas e tubérculos.

Quais carboidratos consumir nas refeições

Café da manhã e lanches

  • Frutas;
  • Pão integral;
  • Aveia;
  • Pipoca estourada com pouco óleo;
  • Panqueca integral.

Com esses alimentos, você pode fazer várias combinações juntamente com alimentos ricos em proteína, como ovos, queijo branco, requeijão, leite, iogurte, entre outros.

Almoço e janta

  • Arroz integral;
  • Feijão;
  • Batata doce;
  • Batata inglesa;
  • Mandioca;
  • Milho;
  • Macarrão integral.

É interessante investir também numa proteína magra como frango, carne, peixe, ovos e em legumes e verduras, crus e cozidos ou refogados.

Dica para potencializar resultados

Quer perder peso de maneira mais rápida? A dica é combinar a dieta rica em carboidratos com a prática regular de exercícios, que ajuda a queimar a caloria acumulada, reduzir medidas e inchaços.

Procure fazer exercícios, pelo menos, três vezes por semana, por trinta minutos, no mínimo. Se sua intenção for emagrecer e ganhar massa magra, invista em treinos de musculação, também.

Consulte especialistas para maiores orientações.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário