Dieta para dor de cabeça ou enxaqueca – O que pode comer e o que se deve evitar

A dieta para dor de cabeça envolve alimentos leves e com alta concentração de água. Confira aqui a lista do que comer e o que evitar. A enxaqueca é uma doença que acomete 15,2% da população brasileira, segundo estudos da Sociedade Brasileira de Cefaléia, grande parte dos tratamentos são alimentares.

A enxaqueca é uma doença que acomete 15,2% da população brasileira, segundo estudos da Sociedade Brasileira de Cefaléia. Os médicos afirmam que esta é uma doença multifatorial, sendo que a má alimentação e a desidratação configuram-se entre um dos principais causadores da dor. Por conta disso, adequar um cardápio nutritivo e com muito líquido é essencial para o tratamento eficaz – alguns casos até dispensam a necessidade de remédios.

Entre as mulheres – as mais afetadas pelo problema -, a ingestão de líquido e o uso de alimentos reguladores naturais de hormônios são essenciais, uma vez que um dos principais causadores é a alteração hormonal do ciclo menstrual.

dieta para dor de cabeça

Alimentos que melhoram a dor de cabeça

Água

O corpo humano é composto de 70% de água. A enxaqueca é um dos primeiros sintomas da desidratação, portanto levar sempre uma garrafa de água é um dos conselhos mais sábios para quem sofre deste mal.

Alimentos ricos em triptofano

O triptofano é precursor do hormônio melatonina, uma importante potencializadora de neurotransmissores inibitórios do sistema nervoso central, sendo capaz de inibir o glutamato, eliminar o óxido nítrico, modular a ação da serotonina e agir como um anti-inflamatório. Por isso, pode ser utilizado para a diminuição dos sintomas de cefaleias.

Os alimentos que contém triptofano são: grãos, leguminosas, sementes, oleaginosas.

Peixes

Peixes são as principais fontes de ômega 3 (veja a lista completa de itens que contém) – um óleo que tem benefícios anti-inflamatórios e que ajuda a manter o organismo preparado para enfrentar doenças e possíveis baixas do sistema imunológico.

O ômega 3 desempenha uma ação importante no sistema nervoso e por isso pode ser considerável na prevenção da enxaqueca pois estimula a sintetização dos receptores de serotonina, dopamina e noradrenalina, além de possuir ação antioxidante, protegendo assim, o cérebro dos radicais livres.

Alimentos ricos em magnésio

O magnésio é capaz de neutralizar os vasoespasmos, inibir a agregação de plaquetas e estabilizar as membranas das células, processos os quais estão envolvidos na fisiopatologia da enxaqueca. Além disso, ele possui ação sobre os receptores de serotonina e inibe a sintetização e liberação de óxido nítrico e mediadores inflamatórios.

Os alimentos ricos em magnésio são muitos, como espinafre, feijão, arroz integral, castanhas, batata, uva, entre outros.

Melancia, Banana e frutas doces

Ficar muito tempo sem comer ou ter problemas de diabetes são fatores de risco para o desenvolvimento da enxaqueca. Consumir o açúcar frutose ajuda a suprir rapidamente as necessidades energéticas do organismo e evitar que o cérebro precise enviar sinais da fome, que incluem a dor de cabeça.

Alimentos com fibra

Picos glicêmicos também precisam ser seriamente evitados por quem tem enxaquecas recorrentes. As fibras, quando ingeridas, formam um gel no estômago, que deixa a digestão de carboidratos mais lenta e faz com que o corpo receba energia aos poucos. Isso também é um ponto positivo para quem está de dieta, pois, provavelmente, se sentirá saciado por mais tempo. – Confira aqui a lista completa de alimentos ricos em fibras. 

Granola, alimentos integrais, frutas e vegetais são exemplos de alimentos fibrosos para incluir no dia a dia.

 

Vitaminas do complexo B

As vitaminas do complexo B participam dos processos bioquímicos mitocondriais, sendo que a enxaqueca pode ser recorrente da redução da produção de energia dentro das mitocôndrias. Assim, essas vitaminas podem servir como preventivos da enxaqueca, pois aumentam a produção de energia mitocondrial.

Para consumir essas vitaminas, inclua na sua alimentação cereais integrais, carnes, vegetais folhosos, leguminosas, peixes, feijões, castanhas.

 

Vitamina E

Esta vitamina atua no cérebro e possui ação antioxidante por evitar a formação de radicais livres. As fontes alimentares de vitamina E incluem óleos vegetais, gérmen de trigo, oleaginosas, vegetais folhosos verde-escuros e alimentos de origem animal.

 

Gengibre

O gingerol, composto presente no gengibre, é um anti-inflamatório natural que pode diminuir a dor. Além disso, o gengibre pode ser utilizado no tratamento da enxaqueca, pois inibe a síntese da prostaglandina, substância que causa inflamação.

 

enxaqueca o que comer

Alimentos que pioram a dor de cabeça

É comum o desencadeamento de enxaqueca como efeito colateral de medicamentos e alergias a alimentos. Uma alimentação não balanceada, principalmente que estimula a pressão alta ou o risco cardíaco por conta de alta concentração de gorduras de baixa densidade, também, configura-se entre os causadores número 1 da dor de cabeça.

carboidratos que mais engordamVeja a lista completa de alimentos para ficar longe, em caso de sintomas da doença:

  • Frutas cítricas (pois são fontes de octopamina);
  • Leite e derivados;
  • Vinho (por conter feniletilamina e tiramina, fatores desencadeantes de dor de cabeça);
  • Bebidas Alcoólicas;
  • Cafeína (Chá verde, Café, Chá mate, Chimarrão, );
  • Aspartame (Adoçantes em geral);
  • Glutamato monossódico (temperos prontos, comidas industrializadas);
  • Alimentos gordurosos (ácido oleico e linoleico podem piorar as dores);
  • Amendoim;
  • Carnes processadas (pois contém nitritos e nitratos);
  • Enlatados;
  • Queijos gordurosos (devido a histamina e tiramina);
  • Chocolates (contém cafeína e feniletilamina);
  • Levedura de cerveja (tiramina).

Como fazer o seu cardápio diário sem dores de cabeça

Pensar no que vai comer todos os dias é algo incômodo para muita gente. O problema é que dietas baseadas em produtos industrializados ou no improviso são as mais propícias ao desenvolvimento de doenças, incluindo a dor de cabeça.

A boa notícia é que o preparo de um cardápio adequado à prevenção da enxaqueca não exige alimentos exóticos e nem muito esforço. O primeiro passo é não pular nenhuma refeição e manter o corpo sempre devidamente alimentado.

O café da manhã deve ser o mais reforçado. Evite cafeína, prefira sucos como o de maracujá e chás sem cafeína como o de erva-cidreira ou camomila. Ao ingerir carboidratos, prefira os integrais, pois eles evitam picos de glicemia e são fontes de muitos nutrientes que ajudam a diminuir as dores.

No almoço, prefira proteínas derivadas de peixes, pois eles apresentam menos concentração de gordura, além de serem ricos em ômega 3. Faça pouco uso de sal e varie na salada. Quanto mais cores tiver no seu prato significa que maior será o consumo de vitaminas diversas, essenciais para a manutenção da saúde.

À noite, prefira refeições mais leves, evitando comidas gordurosas ou carnes processadas. Prefira as carnes magras, vegetais e, se quiser uma sobremesa, opte pelas frutas.

Durante todos os dias, sem exceção, beba bastante água. Para quem tem dificuldade de manter-se hidratado, inclua ervas como capim limão, hortelã ou limão para manter um sabor mais agradável.

 

Os causadores da dor de cabeça

A enxaqueca é ainda pior do que uma simples dor de cabeça, pode demorar de 4 a 3 horas e compartilhar sintomas como enjôo, vômito, sensibilidade a luz, barulhos, odores ou cegueira parcial.

Entre as causas do problema está um desequilíbrio hormonal na produção de peptídeos. A regulagem pode acontecer por fatores biológicos, genéticos e alimentares. Uma vida estressante, com baixo índice de serotonina, com sintomas de depressão e com uma alimentação não balanceada está, portanto, muito mais sujeita ao desenvolvimento da doença.

Alguns alimentos são responsáveis por aumentar a ação dos neurotransmissores, estimular o bom funcionamento intestinal e regular a produção dos hormônios responsáveis pela interpretação de dor no cérebro.

Se você tem dores de cabeça frequentemente, reveja sua alimentação! Ela pode ser a causadora do incômodo. Procure um médico se os sintomas persistirem.

 


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Um Comentário

  1. Maria Conceição de Campos

Deixe um Comentário