Como aferir a frequência cardíaca durante o treino? É importante?

Você sabe qual é a importância de aferir a frequência cardíado durante o treino? Confira informações completas, aqui no Quero Viver Bem!

Para iniciar uma atividade física são necessários alguns cuidados importantes, como: realizar exames médicos, encontrar um bom profissional de educação física para orientar nos exercícios, consultar uma nutricionista para auxiliar na forma correta de comer para que seus resultados sejam os esperados, entre outros.

Mas, além desses cuidados, é muito importante para quem está iniciando elaborar um projeto fitness e saber se há algum problema de saúde pré-existente, como está o coração, a frequência cardíaca, etc. Sendo assim, a mediação de frequência cardíaca e o monitoramento do seu esforço físico passam a ser algo rotineiro em sua vida.

Neste artigo do Quero Viver Bem, você encontrará informações a respeito da frequência cardíaca, como aferir, como funciona o teste de esforço, como monitorar seus batimentos e como usá-los ao seu favor para melhorar o seu desempenho.

Suando no Treino

Como aferir a frequência cardíaca?

A frequência cardíaca pode ser aferida de forma simples, com uma fórmula fácil de aplicar. Essa conta vai lhe dar a frequência máxima cardíaca:

220 menos a idade do praticante

Por exemplo: a pessoa tem 30 anos e quer saber sua frequência máxima. Empregando os dados, a conta fica 220 – 30 = 190, assim, sua frequência máxima é de 190 Bpm.

Mas, há outro modo de fazer essa aferição, um pouco mais profissional, completo e preciso. Nesse caso, é necessário dirigir-se a um laboratório com especialistas e fazer um teste de esforço. Em média, esse exame pode levar de 4 a 10 minutos – tempo suficiente para obter o resultado.

Como funciona o teste de esforço para aferir a frequência cardíaca?

O teste de esforço é um exame que mede a frequência cardíaca, o ritmo cardíaco, a pressão arterial e outros parâmetros cardiológicos, durante um esforço físico gradual e crescente, feito ao caminhar ou correr numa esteira rolante ou numa bicicleta ergométrica.

Durante o teste, é necessário o uso de um eletrocardiograma contínuo, gravado em computador, que registra o funcionamento do coração nas diversas etapas do exame.

Assim, a ergometria em esteira serve para avaliação da capacidade cardiovascular, quando o indivíduo é submetido a esforços, e para ajudar no diagnóstico de algumas anomalias cardíacas.

Como monitorar a frequência cardíaca no dia a dia?

Existem vários equipamentos (frequencímetros) que fazem esse tipo de aferição. Eles vêm em formato de relógio e alguns com uma fita que é presa ao peito, a qual contém um sensor que transmite ao relógio os dados do batimento cardíaco.

Outros modelos de relógio fazem a aferição por meio do batimento do pulso, pela artéria radial.  Esses já possuem o sensor embutido, lembrando que todos os medidores têm funções de frequência mínima, máxima e histórico de variação cardíaca durante o treinamento.

Para usar esses medidores, não é necessário a compra de um aparelho caro, apenas adquira o que mais lhe convém, desde parte financeira, conforto, eficiência, até propósito.

De que maneira a frequência cardíaca ajuda nos treinos?

treino abcd para pernas

A frequência cardíaca é um sistema que pode ser usado para monitorar o tanto de esforço que o praticante necessita para melhorar seu desempenho, seja para perca de calorias ou mesmo para ganho de massa magra, força ou resistência.

Sabendo exatamente qual é sua frequência máxima e mínima, pode ser traçado um parâmetro de treinamento para que se consiga fazer o exercício explorando a melhor forma e a maior intensidade.

Como usar isso a seu favor?

Após saber qual é sua frequência máxima, procure um educador físico que possa lhe orientar a respeito de como chegar nos resultados esperados, traçando uma estratégia de treinamento – mas, para isso, deve-se levar em conta as zonas de frequência que deseja serem trabalhados, conforme seus objetivos.

Essas zonas são divididas em 5. Veja, abaixo, o que consegue ser atingido em cada uma treinada:

  • Zona 1 – 50% a 60% da FC máxima – é para quem está começando ou acima do peso, sendo utilizada para treinos em períodos longos, de 3 vezes por semana, com duração de até 60 minutos;
  • Zona 2 – 60% a 70% da FC máxima – é um pouco mais forte que a zona 1 e treina mais próximo do 70%, começando a preparar-se e melhorar o seu condicionamento para a prática de corridas, por exemplo;
  • Zona 3 – 70% a 80% da FC máxima –
    a atividade ainda se torna razoavelmente confortável, desde que não atinja os 80%. Aqui, o exercício começa a ficar mais difícil, sendo que o corpo começa a melhorar o sistema fisiológico de coração, músculos exigidos e metabolismo. Também, a capacidade para atividade aeróbica, como corrida, aumenta significativamente;
  • Zona 4 – 80% a 90% da FC máxima – é nesse momento que o praticante se interessa por treinamentos de alta performance. Essa zona de frequência é muito utilizada em períodos pré-competição, porém ela necessita de um cuidado, para não provocar lesões, devido à alta performance e ao impacto durante as atividades;
  • Zona 5 – 90% a 100% da FC máxima – essa é a zona em que se encaixam os atletas de alto rendimento, pessoas realmente treinadas e com um ótimo condicionamento, pois o desgaste é enorme, levando, muitas vezes, à fadiga muscular.

Este texto foi revisado pelo Profissional: Eduardo Lembi (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário