Benefícios do IMC – Importância, Cálculo e Como manter o peso ideal?

Você está acima do peso, mas não confia na importância do IMC? Confira, aqui no Quero Viver Bem, os benefícios do cálculo e como fazê-lo!

O excesso de peso – seja ele em sua forma de sobrepeso ou de obesidade – apresenta-se como um dos mais perigosos problemas de saúde pública. Não pense só nas razões estéticas desse problema: o excesso de peso pode até matar.

Por isso, muitas vezes, ficamos curiosos em saber se realmente estamos no peso adequado para idade, sexo e altura eu temos. O Índice de Massa Corporal (IMC) foi criado para esse propósito!

Entenda quais os benefícios de calcular o IMC e como fazer esse cálculo, além de dicas para manutenção do peso, só aqui no Quero Viver Bem!

Índice de Massa Corporal (IMC): qual a importância?

IMC

[VEJA TAMBÉM: TABELA IMC – VALORES DE REFERÊNCIA]

O IMC é um famoso índice que tem como objetivo detectar casos de desnutrição ou de obesidade, tanto para cada indivíduo como para grandes populações, estando validado na própria Organização Mundial da Saúde (OMS) como uma medida universal de classificação de obesidade.

É claro que a medida do IMC pode não representar a total realidade do indivíduo, pois a massa corporal não é só formada por gordura, mas também por água, músculos e ossos. Halterofilistas, por exemplo, podem ter um IMC mais alto pela presença de mais músculos, isto é, sua massa corporal é composta por mais músculos do que gordura.

Em conjunto com o IMC, um especialista pode fazer uma análise de outras medidas para entender qual é a real composição corporal de um indivíduo, tais como:

  • Bioimpedância – aparelho que solta uma descarga elétrica bem fraca no corpo para que se auxilie no cálculo do percentual de água, massa muscular e massa gorda;
  • Circunferência abdominal – mede a quantidade de gordura visceral;
  • Medidas antropométricas – mede a circunferência e a quantidade de gordura de certos locais do corpo;
  • Relação cintura-quadril – determina onde está o acúmulo de gordura.

Cálculo do IMC: como fazer?

O cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC) é bastante simples e pode ser feito com o auxílio da calculadora. A fórmula pede somente por dois dados seus: o seu peso atual e a sua altura!

Divida o peso pela altura elevada ao quadrado, isto é, multiplique sua altura por ela mesma. Depois use o seu peso para dividir o resultado daquela multiplicação.

Por exemplo, uma pessoa que pesa 85kg e mede 1,60m, calculará da seguinte maneira:

Multiplicando a altura por ela mesma: 1,60m por 1,60m = 2,56

Dividindo o peso pelo resultado anterior: 85 / 2,56 = 33,20

Ou seja, o IMC dessa pessoa é 33,2.

Agora, para saber se está dentro do peso ideal, existe uma tabela que indica quais são as taxas de IMC para uma pessoa que está muito abaixo do peso, que está no peso ideal ou que sofre com sobrepeso ou obesidade. Basicamente, essa tabela é composta por:

  • IMC menor do que 18,5 = abaixo do peso;
  • IMC entre 18,5 e 24,9 = peso normal;
  • IMC entre 25 e 29,9 = sobrepeso;
  • IMC entre 30 e 34,9 = Obesidade grau 1;
  • IMC entre 35 e 39,9 = Obesidade grau 2;
  • IMC maior do que 40 = Obesidade grau 3.

Levando em consideração o exemplo feito para o cálculo do IMC, a pessoa com IMC de 33,2 se enquadra na obesidade grau 1.

[VEJA TAMBÉM: DESCUBRA O SEU PESO IDEAL!]

Estar acima do peso – e até mesmo abaixo do peso ideal – são condições preocupantes, afinal a pessoa pode possuir ou desenvolver com mais facilidade uma série de doenças. Hoje em dia, esse problema é muito mais comum do que encontrar uma pessoa que sofre com baixo peso, mas ambos os casos devem procurar ajuda especializada.

Tratando-se do sobrepeso em diante, é importante emagrecer não somente pela causa estética, mas também para reduzir o risco de diabetes, infartos, hipertensão, etc. Acima dos 40 pontos no IMC – obesidade grau 3 –, há até necessidade de cirurgia bariátrica, dependendo de cada pessoa.

tabela imc

Como manter o peso ideal?

Em primeiro lugar, a manutenção do peso – ou a busca dele – inicia por uma prática física! Os exercícios físicos são essenciais para proporcionar mais bem-estar e energia, assim como para ajudar no fortalecimento das articulações e dos músculos.

Na perda de peso, os exercícios aceleram o metabolismo e diminuem a gordura corporal. Contudo, há um fator crucial para facilitar o emagrecimento e a manutenção do peso: a alimentação saudável e equilibrada – cuide com as quantidades e a frequência das refeições!

Algumas dicas interessantes são:

  1. Crie uma rotina alimentar;
  2. Olhe os rótulos dos alimentos;
  3. Procure dormir o suficiente todas as noites;
  4. Varie o cardápio de suas refeições e não esqueça de consumir todos os grupos alimentares;
  5. Hidrate-se! No mínimo, procure ingerir 2 litros de água por dia.

Converse com um profissional de saúde, como um nutricionista, para que um plano alimentar seja elaborado de acordo com suas preferências e necessidades. Não esqueça de procurar orientação médica se você possui algum problema decorrente do sobrepeso ou do contrário, ok?


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário