Benefícios do alecrim – 5 motivos para consumir já!

Você já conhece os benefícios do alecrim para a saúde? Confira, aqui no Quero Viver Bem, 5 motivos que fazem dessa planta uma aliada da saúde!

O alecrim é uma erva aromática, originária da região do Mediterrâneo. Ela é muito usada como tempero, mas também pode ser consumida na versão em chá.

A lista de benefícios do alecrim é grande, já que ele possui propriedades antibacterianas, diuréticas, analgésicas, entre muitas outras. Conheça mais sobre o alecrim e saiba como incluí-lo em sua alimentação, só aqui no Quero Viver Bem!

Ajuda no emagrecimento

Alecrim

O alecrim possui propriedades diuréticas e reguladoras do trânsito intestinal. Dois motivos que comprovam sua eficiência no processo de emagrecimento.

Sua propriedade diurética é capaz de combater a retenção de líquidos, aliviando o incômodo causado pelos inchaços.

Com o trânsito intestinal regulado, além de evitar incômodos gastrointestinais, o alecrim ajuda na eliminação de toxinas e gorduras, por meio das fezes. Como consequência, também combate os gases intestinais, aliviando as cólicas.

É anti-inflamatório e antioxidante

A erva possui substâncias que, além de serem antioxidantes, são anti-inflamatórias. São elas: ácido rosmarínico, ácido caféico, ácido carnósico, ácido betulínico e carnosol.

Essas substâncias são excelentes para combater os radicais livres, os principais responsáveis por vários danos ao corpo, como o envelhecimento precoce e o câncer.

Sendo assim, o consumo regular do alecrim combate o envelhecimento precoce, diminui as rugas, melhora a aparência e a saúde da pele.

Além disso, essas mesmas substâncias contribuem na formação, na definição e no funcionamento muscular dos vasos sanguíneos.

Alecrim

Melhora a memória e a concentração

Um dos benefícios está ligado ao combate dos sintomas do Mal de Alzheimer. Isso acontece porque o alecrim conta com propriedades que melhoram a memória e a concentração, já que contribui com a circulação de oxigênio pelo cérebro.

Ainda, funciona como um estimulante para as funções cognitivas. Logo, ajuda a manter a memória em boa forma, bem como a concentração e o raciocínio lógico. Isso faz com que a planta seja ótima aliada quando se trata de envelhecimento.

Combate o cansaço mental

Ainda falando em cérebro, o chá de alecrim tem uma função importante para acalmar os ânimos, principalmente em se tratando de momentos de estresse e ansiedade.

Sendo assim, se estiver passando por um momento conturbado de tirar o sono, experimente tomar uma xícara de chá antes de ir dormir. As propriedades do alecrim irão diminuir a agitação e permitirão sentir paz e tranquilidade.

Favorecem a circulação

Para que todo o organismo funcione bem, é necessário que a circulação do sangue aconteça de maneira tranquila, sem interferências.

O alecrim tem efeito antitrombótico, isso significa que é um grande aliado de pessoas com problemas circulatórios. Ele age contribuindo para que o sangue flua, evitando a formação de trombos.

Alecrim

Como consumir

A forma mais tradicional de consumir o alecrim é como tempero. Combina muito bem em carnes magras, como aves e peixes, tubérculos e legumes assados. Também, serve para aromatizar o azeite de oliva.

É encontrado in natura (fresco), desidratado para tempero, em pó ou como óleo. Confira mais sobre o óleo de alecrim clicando aqui!

Outra forma bastante usada para aproveitar os benefícios, principalmente no emagrecimento, é em forma de chá. Para preparar, basta ferver 1 litro de água com 2 colheres de sopa de alecrim desidratado. Após levantar a fervura, tampe e deixe agir por 10 minutos. Coe antes de beber e opte por ingerir quente ou gelado.

Recomendações e contraindicações

Qualquer pessoa pode consumir o alecrim, já que é uma erva natural sem contraindicações. No entanto, recomenda-se que gestantes não tome o chá, já que ainda não há estudos que comprovem a segurança dessa bebida para grávidas.

Apesar de não ter contraindicações, o consumo exagerado pode causar alguns efeitos colaterais, como intoxicação, problemas nos rins ou gastrointestinais.

 


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário