Azia na gravidez – o que é bom para tratar? 7 soluções caseiras!

Está vivendo a magia da gravidez, mas sofre muito com azia? Confira, aqui no Quero Viver Bem, 7 soluções caseiras para amenizar o desconforto!

Azia é aquela “queimação” que sentimos no peito normalmente após uma refeição mais pesada ou em algumas condições de saúde, como gastrite, hérnia de hiato, refluxo, gravidez, etc.

Isso acontece quando o ácido do estômago vai para o esôfago, causando inflamação e dor. O esôfago tem uma válvula na extremidade inferior (esfíncter esofágico inferior) que se fecha depois que o alimento entra no estômago e impede que o conteúdo do estômago retorne ao esôfago. Se esse esfíncter enfraquece ou relaxa na hora errada, o ácido pode voltar para o esôfago, causando azia e suas complicações.

Azia na gravidez

[VEJA TAMBÉM: AZIA CONSTANTE – O QUE PODE SER?]

Segundo estudos, cerca de 70% das gestantes apresentam esse sintoma com frequência, além de náusea, dor de barriga e enjoos. A azia na gravidez ocorre devido às alterações hormonais e à compressão do sistema gástrico, que precisa ceder espaço para o útero, já que este aumentará de tamanho durante a gravidez.

No entanto, esse problema não é causa perdida! Você pode utilizar alguns métodos caseiros que amenizam e, até mesmo, tratam a azia. Confira, a seguir no Quero Viver Bem, 7 soluções que podem ser feitas em casa!

7 Tratamentos caseiros para azia

Apesar de ser um sintoma normal durante a gravidez, devido às transformações momentâneas no organismo, é possível amenizar a azia com alimentação adequada e hábitos saudáveis. O foco principal é diminuir o excesso de acidez estomacal e evitar que o esfíncter relaxe.

Azia na gravidez

[VEJA TAMBÉM: ALIMENTOS QUE CAUSAM AZIA]

Abaixo, você confere algumas atitudes que podem (e devem) ser mudadas.

Elevar a cabeceira da cama

Deixar a cabeceira da cama alguns centímetros mais alta evita a sensação de que a comida está “voltando”.

Esperar para deitar após comer

Esperar pelo menos 2 horas para deitar após comer é o ideal para uma melhor digestão, evitando que a comida volte ao esôfago.

Fracionar as refeições

Fazer refeições menores e com mais frequência diminui a azia, pois quanto menos comida tiver no estômago, menos ácido o seu organismo precisará para digerir os alimentos.

Preferir refeições leves

Em contrapartida, uma refeição muito volumosa e pesada faz com que o estômago tenha que trabalhar mais para digerir a grande quantidade de alimentos consumidos, produzindo ainda mais ácido.

Consumir fibras

As fibras são excelentes para “absorver” o excesso de ácido estomacal. Elas funcionam como se fosse uma esponja, sugando o excesso de ácido do estômago, o que evita que este suba ao esôfago.

Como exemplo de alimentos ricos em fibras, podemos citar aveia, chia, linhaça, frutas com casca, verduras, grãos integrais, entre outros.

Usar roupas confortáveis

Usar roupas mais largas e confortáveis pode melhorar o sintoma, visto que, se a roupa estiver apertada, sobretudo no tórax e na região abdominal, o sistema digestivo ficará ainda mais comprido, atrapalhando na digestão e podendo causar sintomas como gases, azia e intestino preso.

Não ingerir alimentos que pioram a azia

Alimentos ácidos, condimentados, gaseificados, chocolate, café e bebidas alcoólicas pioram a azia, por aumentarem a quantidade de ácido estomacal e por relaxarem o esfíncter esofágico, facilitando a entrada do ácido no esôfago.

Com essas pequenas mudanças, é possível amenizar o problema de forma que ele não atrapalhe a vida da gestante. Contudo, existem casos mais graves que devem ser avaliados pelo médico, podendo ou não ser prescritos medicamentos. A automedicação não é recomendada em nenhum caso, ainda mais na gravidez.

A gravidez é uma fase muito importante e bonita na vida de uma mulher, e ter uma boa qualidade de vida nessa época é fundamental para que o bebê cresça, se desenvolva e nasça saudável.

[VEJA TAMBÉM: O QUE TOMAR PARA CURAR AZIA?]

Azia na gravidez

Dicas para prevenir a azia na gravidez

Uma boa alimentação pode ajudar (e muito) para que tanto a mãe quanto o bebê tenham saúde e uma gestação sem complicações. Veja, abaixo, dicas de alimentação durante a gestação:

  • Não acredite que “grávida tem que comer por dois”!  A ingestão calórica deve ser de apenas 400kcal a mais do que a habitual ou conforme orientação médica ou nutricional. Um grande consumo alimentar pode causar azia, como já comentado, além de excesso de peso;
  • Forneça todos os nutrientes necessários para ambos (gestante e bebê) – consuma carboidratos integrais, proteínas animais e vegetais, gorduras saudáveis, fibras, vitaminas e minerais. Para isso, a alimentação deve conter mais alimentos naturais do que industrializados, que fornecem muitas calorias e pouquíssimos nutrientes.

Como exemplo de alimentos naturais, podemos citar frutas, verduras, legumes, grãos integrais, sementes, ovos, carne, frango, peixe, oleaginosas, água, laticínios sem conservantes, entre outros.

Caso a azia seja muito frequente e não melhore com as mudanças alimentares e de hábitos, informe o seu médico.


Este texto foi revisado pelo Profissional: Thais Karpowiski (conheça mais sobre ele(a) clicando no link)

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário