Ataque de Ansiedade – Como identificar? Sintomas e Tratamento

Você está sofrendo ou conhece alguém que sofre com sintomas parecidos com os da ansiedade? Confira, aqui no QVB, como identificar e quais os tratamentos.

A ansiedade é considerada uma reação normal do nosso organismo, principalmente quando estamos diante de acontecimentos que podem nos causar expectativas, medos ou dúvidas. Nesses casos, a ansiedade é uma manifestação totalmente normal.

Porém, ataques de ansiedade persistentes, que são difíceis de serem controlados e que duram por, no mínimo, seis meses, são vistos como um transtorno.

Diagnosticar a ansiedade nem sempre é fácil, mas os médicos sabem como lidar com esse distúrbio e como descobri-lo por meio de exames e técnicas. Quer saber quais são? Confira mais, a seguir só no Quero Viver Bem!

Ataques de ansiedade

Por que acontece um ataque de ansiedade?

Um ataque de ansiedade tem causas diversas, em especial por se classificar em tipos distintos.

O mais comum deles é o Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG), que ocorre com a preocupação constante com a rotina, ou seja, há ansiedade e preocupação excessivas que acontecem na maioria dos dias e estão associadas a eventos ou atividades.

Além do TAG, a ansiedade pode se dividir em:

  • Ataques de pânico (Síndrome do Pânico): sua razão é inespecífica, a pessoa apresenta intensos sintomas com o principal sendo sensação de morte imediata;
  • Fobias: um medo extremo de alguma coisa que nem sempre representa um perigo real;
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático: ocorre após algum impacto emocional de muita força;
  • Transtorno Obsessivo-Compulsivo (TOC): a ansiedade se manifesta com obsessões sem razões ou sentidos, nos quais a pessoa se sente compulsada a realizar determinadas ideias e repetições de comportamentos sem lógica.

Um ataque de ansiedade não se caracteriza somente pela preocupação em excesso ou pela expectativa apreensiva, mas também por outros sintomas que são fundamentais em seu diagnóstico.

[VEJA TAMBÉM: QUAIS ALIMENTOS POTENCIALIZAM A ANSIEDADE?]

São eles:

  • Alteração nos hábitos intestinais;
  • Aperto no peito;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Dificuldade de concentração;
  • Dores de cabeça;
  • Dores musculares;
  • Fadiga;
  • Falta de ar;
  • Inquietação;
  • Irritabilidade;
  • Náuseas;
  • Palpitações;
  • Perturbação do sono;
  • Sudorese excessiva;
  • Taquicardia;
  • Tensão muscular.

É interessante notar que esses sintomas podem qualificar dezenas de doenças. Por isso mesmo o diagnóstico se torna um diferencial para confirmar a ansiedade.

Ataques de ansiedade

Quais exames e técnicas são usadas para o diagnóstico de Ansiedade?

Quando a ansiedade começa a ser corriqueira e a incapacitar a vida de uma pessoa, ela é tida como um transtorno, exigindo atenção médica. Entretanto, muitos indivíduos demoram para procurar ajuda ou mesmo para descobrir se o que estão passando realmente é ansiedade.

Um médico (preferencialmente um psiquiatra), ao receber um paciente com suspeita de ansiedade, logo irá querer saber se esse problema já o atrapalha nas atividades e no cotidiano, afinal o histórico da pessoa auxilia (e muito) para dar um ultimato.

[LEIA TAMBÉM: REMÉDIOS PARA ANSIEDADE]

Essa avaliação clínica pode ser suficiente, mas muitos médicos também solicitam a realização de exames complementares para o descarte de possíveis outras doenças, já que, como comentado anteriormente, os sintomas da ansiedade são correspondentes a vários problemas de saúde.

Além disso, os seguintes critérios devem ser atendidos pelo paciente para que o diagnóstico seja de transtorno de ansiedade generalizada:

  • Dificuldade no controle dos sentimentos de preocupação;
  • Ansiedade e preocupação em excesso em relação a vários eventos e atividades em grande parte dos dias, por, pelo menos, seis meses;
  • Ansiedade ou preocupação que interfere na rotina ou cause sofrimento significativo;
  • Ansiedade que não está associada a outra condição mental;
  • Manifestação de pelo menos três desses sintomas: inquietação, dificuldade de concentração, fadiga, irritabilidade, tensão muscular e problemas de sono.

O TAG pode ocorrer junto com outros problemas de saúde mental, portanto um diagnóstico diferenciado pode mostrar também que a pessoa sofre de TOC ou síndrome do pânico, por exemplo.

[CONFIRA TAMBÉM: ANSIEDADE TEM CURA?]

Como se prevenir da ansiedade?

Não existem muitas alternativas que possam ser aplicadas na tentativa de evitar ou combater a ansiedade. Tudo envolve a disciplina da mente, levando em consideração o estado de tensão e a ansiedade do dia a dia.

Algumas dicas que podem ajudar são:

  • Diminua o consumo de cafeína do seu dia;
  • Evite o uso em excesso de álcool;
  • Fique longe do cigarro e até de drogas ilícitas;
  • Medite;
  • Não cobre muito de si mesmo;
  • Pratique atividade física diariamente;
  • Procure realizar alguma tarefa que lhe dê prazer, como a leitura.

Se você faz tratamento para ansiedade, siga-o com dedicação e não deixe de tomar as medicações, muito menos de aumentar ou diminuir a dosagem sem orientação médica.

Gostou do conteúdo? Então, veja, também, Depressão e Ansiedade – Como identificar? Sintomas e Tratamento!


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário