Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

Veja aqui quais são as principais causas da asma, sintomas, cuidados necessários e como é feito o tratamento, clique aqui e fique por dentro.

Uma doença que parece ser simples mas que atinge mais de 20 milhões de brasileiros e causa 3 mortes diárias, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), é a asma – problema que ainda não é levado a sério como deveria.

A doença atinge as vias respiratórias, necessitando tratamento específico e atenção aos sintomas, principalmente quando uma crise está acontecendo. Leia, aqui, informações completas!

O que é asma?

Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

A asma é uma doença inflamatória congênita que afeta diretamente as vias aéreas, geralmente porque os brônquios são mais sensíveis e ficam constantemente inflamados por qualquer estímulo.

O processo de irritação fica muito mais sensível a qualquer agente, o que provoca a contração da musculatura do brônquio, impedindo que o ar contaminado entre nos pulmões, dificultando, desse modo, a respiração.

Quais os tipos de asma?

É necessário uma análise clínica para saber exatamente qual é o tipo de asma do paciente, desse modo é escolhido o melhor tratamento. A asma pode piorar com o passar do tempo, sendo necessário o reajuste da dosagem do medicamento.

A doença é classifica em:

  • Grau 1: os sintomas são mais leves e costumam acontecer a cada dois dias da semana, duas noites por mês, estando mais evidentes durante o inverno;
  • Grau 2: os sintomas aparecem mais do que 2 vezes na semana, porém não mais do que uma vez no dia;
  • Grau 3: os sintomas são moderados e acontecem uma vez por dia, geralmente uma noite durante a semana;
  • Grau 4 ou asma grave: os sintomas são graves e ocorrem durante o dia e em várias noites.

Quais são as principais causas?

Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

A causa acontece por meio de interações genéticas e ambientais, porém não se sabe ao certo o motivo de uma pessoa ter asma e outra não. Os fatores que podem ajudar a asma acentuar são:

  • Ácaro;
  • Poeira;
  • Poluição;
  • Pólen;
  • Mofo;
  • Pelos de animais;
  • Fumaça de cigarro;
  • Partículas de insetos;
  • Cheiro de tinta;
  • Desinfetantes;
  • Produtos de limpeza;
  • Infecções virais;
  • Resfriado;
  • Gripe.

É importante ficar atento em relação a alguns alimentos, já que há vários deles que podem acentuar a enfermidade, como: ovos, leite de vaca, amendoins, soja, trigo, saladas, camarão e outros frutos do mar.

A asma também pode se desencadear por meio do esforço pela prática de exercícios físicos, neste caso, o pico do estreitamento das vias aéreas pode durar entre 5 a 20 minutos. Em alguns casos, o médico indicará o uso de broncodilatadores antes do exercício.

Existe, ainda, a asma ocupacional, causada em pessoas que têm contato direto com agentes químicos, tinturas e agrotóxicos. O problema ganha proporção durante a noite, pelo esfriamento das vias aéreas e maior contato com ácaros.

Mudanças bruscas de temperatura, uso de medicamentos anti-inflamatórios não hormonais (Ibuprofeno) e problemas de coração podem aumentar as chances de manifestação da doença.

Fatores de risco

Se você possui histórico familiar de asma, há grandes chances da predisposição da doença. Além disso, pessoas com muitas alergias, obesas, bebês de gestantes que fumam durante a gravidez e indivíduos que têm refluxo gastroesofágico também têm grandes chances de possuírem asma.

Sintomas de asma

Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

Fique atento aos principais sinais da asma, pois podem acontecer em intervalos espaçados, com pouca frequência ou diariamente, que são:

  • Tosse – com ou sem muco;
  • Chiado no peito;
  • Pele entre as costelas repuxada quando da respiração;
  • Dores no peito;
  • Problemas de respiração durante a prática de exercícios físicos.

Diagnóstico da doença

Além da análise do histórico do paciente, é preciso passar por alguns exames, como:

  • Função pulmonar: é medida a função dos pulmões;
  • Espirometria: acontece a avaliação dos brônquios, para verificar como está a entrada de ar e rapidez da ação;
  • Teste de óxido nítrico: mede a quantidade de óxido nítrico existente na respiração;
  • Exames de imagem: há a radiografia de tórax, pulmões e cavidades nasais;
  • Gasometria arterial: mede-se os níveis de pH, oxigênio e gás carbônico em uma artéria.

Como é o tratamento?

Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

O principal método para tratar essa doença é por meio da prevenção, já que a asma não tem cura. Neste caso, são utilizado medicamentos para minimizar a incidência das crises. Esse tratamento costuma variar de pessoa para pessoa, porém, na maioria das vezes, são corticosteroides inalados, modificadores de leucotrienos, beta agonistas, teofilina e broncodilatadores.

O método mais conhecido é a bombinha de asma, composta por broncodilatadores e corticoides inalatórios, bastando usar diariamente antes de dormir e quando crises se manifestarem.

Os SUS disponibiliza vários dos medicamentos, bastando ter a receita e o documento de identificação. Os principais são:

  • Budesonida;
  • Salmeterol;
  • Dipropionato de beclometasona;
  • Bromidrato de fenoterol;
  • Formoterol;
  • Sulfato de salbutamol;
  • Brometo de ipratrópio.

Além de tudo, já é cientificamente comprovado que o consumo de fibras em boas quantidades ajuda na prevenção da doença. Isso acontece porque esse tipo de alimento modifica a flora intestinal, gerando mais bactérias boas que aumentam os níveis de ácidos graxos no corpo, principais agentes na hora de reduzir inflamações no organismo.

Complicações da doença

Realizar o correto tratamento da doença faz total diferença quando o assunto são possíveis complicações, que costumam ser:

  • Dificuldade ao fazer exercícios físicos;
  • Problemas ao dormir;
  • Problemas de funcionamento dos pulmões;
  • Tosse contínua;
  • Dificuldade ao respirar;
  • Efeitos colaterais pelo uso contínuo de remédios para asma;
  • Morte.

Prevenção da doença

Asma: principais sintomas, tratamento, cuidados e mais

A doença em si não possui prevenção, porém, é possível diminuir a frequência das crises ao realizar testes de alergia e verificar quais são os agentes causadores, além de ter níveis de vitamina D equilibrados e evitar o contato com cheiros fortes.

Ainda, é preciso realizar o tratamento diário da asma por meio da bombinha, pois, somente assim, o controle da doença fica mais fácil. Outros pontos importantes que devem ser adotados por quem possui asma são:

  • Cuidar da higiene sempre;
  • Ser vacinado da gripe;
  • Estar em forma;
  • Estar sempre bem agasalhado;
  • Não fumar;
  • Cuidar no contato direto com animais.

Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário