Quais os tipos de aparelho auditivo?

O aparelho auditivo é utilizado em pessoas com perda de audição de alta frequência ou de apenas um ouvido. Veja aqui informações sobre como funciona e mais.

A perda da audição atinge 14% da população brasileira e 10% da população mundial, segundo os dados da OMS (Organização Mundial da Saúde). A partir do momento que a pessoa é diagnosticada com esse problema, o processo de retomada da qualidade de vida é iniciado com o uso de um aparelho auditivo.

O aparelho auditivo é utilizado em pessoas com perda de audição de alta frequência ou de apenas um ouvido. O médico é o responsável pela adaptação do aparelho auditivo, conforme o estágio da perda auditiva do paciente.

Levando em conta as características do problema, o estilo de vida e a adaptação, é possível escolher entre os diversos tipos de aparelhos auditivos existentes no mercado.

Tipos de aparelhos auditivos

Quais os tipos de aparelho auditivo?

Atualmente, existe uma grande infinidade de tipos de aparelhos auditivos, que visam atender pessoas com grau leve, moderado e severo. Confira quais são eles e suas vantagens e desvantagens:

  1. Micro canal (CIC);
  2. Intracanal (ITC);
  3. Intra-auricular (ITE);
  4. Retroauricular (BTE);
  5. Open Fit;
  6. Retroauricular (MBTE).

1- CIC – Micro canal

Esse é um tipo de aparelho auditivo interno, dedicado às pessoas que desejam melhorar a estética, pois o estilo fica praticamente invisível, entretanto, ele não pode ser indicado para pacientes que possuem um canal auditivo muito estreito.

Esse modelo possui 2 tamanhos (CIC e mini CIC), que atendem deficiências auditivas de grau leve e moderado. Infelizmente, pessoas com grau severo não têm a opção desse tipo de aparelho auditivo.

2- ITC – Intracanal

Nessa modalidade, o aparelho auditivo fica um pouco mais visível do que o Micro canal, mas a diferença é praticamente imperceptível, sendo discreto, especialmente direcionado a pessoas que têm o grau moderado a severo.

O modelo tem dois tamanhos, o ITC e o mini ITC, ambos à base de pilhas A10.

3- ITE – Intra-auricular

Essa estilo é um pouco maior, preenche a conchinha da orelha, mas encaixa-se perfeitamente nessa região, conferindo discrição. O aparelho auditivo intra-auricular pode ser encontrado em tecnologia analógica ou digital, que conferem bastante facilidade nos ajustes.

É indicado para todos os graus de perda de audição, entretanto, é mais utilizado na severa.

4- BTE – Retroauricular

Essa é uma das versões mais tradicionais e também mais potentes de aparelhos auditivos. Ele possui uma caixa de plástico, que deve ser colocada atrás da orelha e interligada a um tubo de silicone, que, geralmente, é transparente.

O objetivo é proporcionar um som mais amplificado, transmitido por meio do molde, que fica no canal auditivo. Esse modelo pode ser recomendado para perdas auditivas leves a profundas.

5- Open Fit

Esse é um dos aparelhos auditivos mais discretos do mercado, tanto que ele mal pode ser visto. Ele fica localizado atrás da orelha, sendo que a conexão é feita por meio de um alto falante extremamente pequeno, que fica dentro do canal da orelha.

A qualidade de som desse aparelho é superior aos dispositivos ITE (intra-auricular), no entanto, é indicado somente para graus leves.

6- MBTE – Retroauricular

É leve e pequeno, por isso é bastante recomendado para uso infantil. Ele fica minimamente aparente, pois é colocado atrás da orelha e tem um tubo de silicone, que interliga o canal da orelha.

Ela destaca-se porque é mais durável e com preço mais acessível do que os modelos que ficam dentro do canal do ouvido. Pode ser usado em perda auditiva leve a severa.

Médico responsável pela indicação de aparelho auditivo

Quais os tipos de aparelho auditivo?

O médico especialista para cuidar da audição é o otorrinolaringologista, além disso, essa especialidade médica é habilitada a avaliar a saúde da garganta e das vias nasais. Foram eles que popularizam o uso do aparelho auditivo e devolveram a qualidade de vida para muitas pessoas que tinha dificuldades em ouvir com clareza.

Para ter um diagnóstico preciso sobre a perda auditiva,é necessário realizar um exame chamado “audiometria”. Após confirmada a indicação do aparelho auditivo, cabe ao médico realizar o processo de amplificação indicada para cada grau de perda auditiva.

Após isso, o médico deve avaliar o desempenho do eletroacústico, em intervalos regulares, sendo que todo o processo é acompanhado pelo otorrino, entretanto, é o fonoaudiólogo que realiza a fase de adaptação com o paciente, ensinando a fazer o manuseio.

Otorrinolaringologista e fonoaudiólogo trabalham de forma conjunta, para proporcionar mais conforto auditivo ao paciente.


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário