Alzheimer Precoce – Com quantos anos começa? Exames de Identificação e Primeiros sintomas

A Doença de Alzheimer é uma das enfermidades mais desafiadoras para a comunidade científica, pois deteriora a saúde e a qualidade de vida de uma pessoa de modo gradual. E, infelizmente não tem cura.

Apresentando-se como uma demência, o Alzheimer tem maior incidência com o avançar da idade. Entretanto, existe outra forma clínica rara que, mesmo assim, deve ser lembrada: a de início precoce.

O Alzheimer precoce ocorre quando? Saiba dados sobre essa categoria da doença, como proceder quando alguém for diagnosticado com ela, além de entender quais exames podem ser realizados, quais são os sintomas de um Alzheimer precoce e métodos de prevenção, só aqui no Quero Viver Bem!

Alzheimer precoce

Com quantos anos começa o Alzheimer precoce?

A Doença de Alzheimer costuma se apresentar em pessoas com mais de 65 anos de idade; aliás praticamente metade dos indivíduos com 80 a 85 anos de idade possuem sinais da doença, conforme estatísticas.

Por outro lado, a Doença de Alzheimer de início precoce, também conhecida como familiar, é bem mais incomum, praticamente rara – com abrangência de 1% dos casos da doença.

Sua manifestação começa um pouco antes da idade considerada “normal”: antes dos 60 anos e com rápido curso clínico. Ou seja, em uma minoria de pacientes, a incidência do Alzheimer pode acontecer por volta dos 50 ou 60 anos, e sua evolução é bastante rápida.

[CONFIRA TAMBÉM: TESTE PARA DESCOBRIR ALZHEIMER]

Que especialista procurar? Como agir com o Alzheimer?

Um médico especializado na Doença de Alzheimer deve ser consultado quando surgir qualquer dúvida acerca da doença ou mesmo na possibilidade de desenvolvimento da doença (por meio da análise dos primeiros sinais e sintomas).

Em geral, existem três especialistas que podem fornecer um ótimo apoio para um portador de Alzheimer:

  • Geriatra;
  • Neurologista;
  • Psiquiatra.

Lembrando que é necessário que o profissional esteja apto a dar todo o suporte e tratamento para retardar os sintomas e fornecer maior qualidade de vida ao paciente.

Alzheimer precoce

Se você tem dúvidas sobre como agir em relação à doença, principalmente se não sabe se você ou alguém a possui em seu início precoce, leve em consideração os seguintes fatores de risco:

  • Estilo de vida: problemas de pressão alta, diabetes, tabagismo, sedentarismo e obesidade são exemplos de fatores;
  • Histórico familiar: o Alzheimer precoce tem bastante relação com a hereditariedade, por isso considere analisar se existem casos na família dessa doença;
  • Idade: se você (ou o ente querido) está com 50 a 60 anos;
  • Sexo: as mulheres têm maior risco de desenvolvimento da doença.

Além disso, um histórico de complexa atividade intelectual e alta escolaridade também podem favorecer o desenvolvimento da doença (isso para ambos os tipos – precoce e tardio).

[LEIA TAMBÉM: FASES DO ALZHEIMER]

Diagnóstico do Alzheimer Precoce

Na realidade, independentemente da doença precoce ou tardia, o Alzheimer não tem diagnóstico por meio de exames (de sangue e de imagem) – eles podem ser realizados para descartar quaisquer outras possíveis doenças.

A certeza do surgimento mais cedo do Alzheimer é feita justamente por meio do histórico clínico do paciente e pelos sintomas iniciais, muito embora estes sejam confundidos com o envelhecimento normal de uma pessoa.

Por isso, tal confusão pode atrapalhar um diagnóstico mais breve. É sugerível que familiares procurem o profissional de saúde para que seja conversado com o paciente e seja feita uma avaliação mais profunda das funções cognitivas, pois elas são as principais afetadas pelo Alzheimer.

Alzheimer precoce

[VEJA TAMBÉM: EXISTE UMA ALIMENTAÇÃO ADEQUADA PARA QUEM TEM ALZHEIMER?]

Primeiros sintomas do Alzheimer precoce

Como comentado, o Alzheimer precoce acomete pessoas com 50 a 60 anos de idade. Seus principais e primeiros sintomas são equivalentes ao Alzheimer tardio (mais de 65 anos), sendo que o principal deles é o esquecimento, isto é, o comprometimento da memória.

Tal perda está associada às lembranças recentes, por isso a pessoa ainda tem capacidade para evocar informações antigas.

Outros dos sintomas que dão indícios do Alzheimer precoce são:

  • Agressividade;
  • Comprometimento da capacidade de aprendizado;
  • Desorientação sobre tempo e espaço – não sabe em que dia ou mês se encontra;
  • Dificuldade de memorizar, registrar novas informações ou aprender novas coisas;
  • Dificuldade na tomada de decisões;
  • Diminuição da iniciativa e motivação;
  • Perda de interesse por atividades que antes lhe eram agradáveis;
  • Sinais de depressão.

Por ser um quadro de evolução bastante rápida, a doença irá se manifestar de novas formas.

Como prevenir o Alzheimer precoce?

Por ser uma doença incurável, o Alzheimer precoce pode ser prevenido com ações simples. Com o passar da idade, a pessoa deve procurar se manter em atividades sociais, como grupos de convivência, garantindo que sua função intelectual seja preservada.

Além disso, toda pessoa deve ficar longe de fatores de risco para o surgimento do Alzheimer precoce, adotando certas medidas de prevenção, como é o caso de:

  • Consumir alimentos saudáveis para evitar a obesidade e o excesso de gorduras saturadas;
  • Desistir do tabagismo;
  • Fazer um tratamento correto de diabetes;
  • Não consumir álcool em excesso;
  • Sair do sedentarismo;
  • Tratar e combater a depressão e ansiedade.

É recomendável que todo indivíduo nunca perca a vontade de praticar exercícios físicos e realizar atividades que o façam “pensar” – até as mais simples já valem o esforço, como palavras-cruzadas, quebra-cabeças, leituras, etc. O que importa é manter o cérebro ativo!


Ajude a melhorar ainda mais o site, avalie:

Sua avaliação servirá para que tenhamos uma noção da qualidade dos nossos conteúdos. Além de marcar a quantidade de estrelas que esse conteúdo merece, não esqueça de deixar seu comentário.

Deixe um Comentário